Na íntegra: Três Horas de Joaçaba

JOACABACASCAVEL – Digno de todo o aplauso o esforço de todo mundo que moveu no mínimo um palito para a realização das Três Horas de Joaçaba. Acompanhei de longe os preparativos todos por alguns meses, como já contei aqui, e o resultado de tantas mangas arregaçadas foi um domingo do qual o automobilismo catarinense não vai esquecer tão cedo. Talvez nuna esqueça.

Depois de 136 voltas, a vitória foi de Fausto de Lucca/Gustavo Magnabosco. O resultado completo – ilustrado, inclusive! – está nesse link aqui do Poeira na Veia, página boa e especializada no assunto, é do nosso Francis Trennepohl.

Acabei não conseguindo estar em Joaçaba e sequer consegui acompanhar a transmissão do evento ao vivo pela internet. A transmissão tem narração do Juca Bala e segue reproduzida aí abaixo.

As Três Horas de Joaçaba, aliás, instigaram os piloto. Vários deles já pleiteiam a realização de um campeonato de longa duração e manifestam preferir esse que oferece muito mais tempo de atividade em pista e tem o que já estão tratando como “atmosfera diferente”, ao já tradicional Catarinense de Velocidade na Terra, mais dispendioso por ter mais etapas e de programação mais enxuta. Tenho notado que a Fauesc, federação de automobilismo de lá, tem boa aceitação entre pilotos e equipes. Tudo indica que vão todos acelerar na mesma direção.

E não deixo de estar em Joaçaba na edição do ano que vem – não se comete o mesmo pecado duas vezes. Ou vendo, ou escrevendo, ou cuidando ao almoço, ou correndo. Tanta coisa vai mudar até ano que vem que não arrisco prognósticos mais detalhados.

Três horas na terra em Joaçaba

JOA LAGOCASCAVEL – Quem tiver a questionável pretensão de acompanhar absolutamente tudo que acontece no automobilismo não pode, definitivamente, pensar em férias. Janeiro já será repleto de movimentação no âmbito do bom automobilismo regional. Interlagos, nos dias 23 e 24, terá as corridas da etapa de abertura do Campeonato Paulista, com suas zilhões de categorias. Na catarinense Joaçaba, que tem o segundo autódromo mais antigo do Brasil – quando o construíram o único que existia era justamente o de Interlagos –, pilotos e dirigentes seguem em ritmo frenético o trabalho de preparação para a corrida festiva que vai inaugurar, no mesmo fim de semana, o calendário da velocidade na terra. Três Horas de Joaçaba, prova festiva de longa duração.

Várias duplas já estão confirmadas na corrida, casos de Juliano Dutra/Rafael Ramthun, Cris Bornemann/Raulino Kreis Júnior, Paulo Maba/César Maba, Ezequiel Vieira/Josias Esmerio, Társis Hildebrando/Marco Becker, Leopoldo Mess/Jorge Rodhen, Fausto de Lucca/Gustavo Magnabosco, Marcelo Cancelli/Samuel Deucher, Renato Uliana/André Heberle, Tandy Kath/Fernando Kath, Meicon Silva/Cassiano Zoboli e Marcelo Beux/Marquinhos.

A lista de trios inscritos apresenta os nomes de Andrey Arenhart/Adelar da Rocha/Luciano Melo Pratto, Luciano Troes/Luiz Pereira Júnior/Juninho Pavelski, Gefferson de Lima/Amauri “Juca” Lisboa/Helinson “Cebola” Pampuch, Alan Prim/Michel Giusti/Davi dal Pizzol e Alexandre Frankenberger/Felipe Tozzo/Alessandro Coelho.

Há participantes inscritos que vão correr em dupla e ainda não têm os parceiros definidos. Cleber Fonseca, Norberto Will e Juliano Bittencourt formam essa lista. Isso sem contar que a Equipe Scuderia tem dois já carros inscritos, faltando só o chefe de equipe indicar quem serão seus pilotos.

JOA CURVAOO regulamento das Três Horas de Joaçaba, considerando aspectos físicos do autódromo, admite 28 carros. Nem um a mais. A lista aí acima, que me foi passada pelo Michel Giusti durante o feriadão e seguramente terá um ajuste aqui ou ali, perfaz 22 carros – a corrida já é sucesso garantido, pois. O regulamento técnico segue o da categoria Marcas no Catarinense de Velocidade na Terra, com as classes A, B e N – valem carros injetados e carburados, todos competindo em categoria única.

A premiação chama atenção. Quem fizer a pole position leva R$ 1 mil. Haverá ainda R$ 7 mil para a dupla ou o trio que vencer, R$ 2 mil para o segundo colocado e mais R$ 1 mil para o terceiro. Quarto a décimo lugar na corrida valerão belos troféus. E a programação terá uma preliminar da Super Fórmula, com duas baterias de 20 minutos e mais uma volta. As inscrições para a prova dos carros tubulares são gratuitas e haverá troféus para os cinco primeiros colocados. Já soube, também, que estão preparando a instalação de arquibancadas para dois mil torcedores.

JOA CARTAZ.jpg

Por falar em inscrições, voltando às Três Horas, o prazo da taxa promocional acabou no dia 31. Bastante gente aproveitou. Agora, a inscrição custa R$ 1,5 mil para duplas e R$ 2 mil para trios. Pilotos e equipes interessados podem manter contato diretamente com o Giusti, que está envolvido diretamente com a organização do evento. O celular dele é (49) 9943-0300; o e-mail, michelgiusti@hotmail.com.

Vai ser interessante acompanhar os 28 carros (não tenho a menor dúvida de que vão atingir o limite) fazendo a poeira subir em um traçado curto, de 2.350 metros, e de desenho bastante seletivo, que em alguns aspectos me faz lembrar o do autódromo de Guaporé. Os tempos de volta deverão girar na casa de 1min10s. Considerei até ir a Joaçaba com o Escort nº 66, talvez o Thiago Klein topasse uma improvável dupla comigo nas Três Horas. Acabei abortando a ideia, nunca sequer fiz um treino em uma pista de terra, então fica para a próxima. De qualquer forma, a corrida do dia 24 terá transmissão ao vivo pela internet. Não deixo de ver, mesmo aqui de longe.

JOA PISTA