Na íntegra: Copa Paraná-Sul 2016, 4/8

SÃO PAULO – Na carona do último post, reúno aqui os VTs que o Beto Borghesi preparou para o “Velocidade Máxima” com os melhores momentos das provas que compuseram, também em 12 de junho, a quarta etapa da Copa Paraná-Sul de Motovelocidade. Foram corridas bem “pegadas”, como o pessoal costuma dizer.

O evento teve também a prova das categorias 600cc e 1.000cc. O VT do Borghesi segue abaixo.

Anúncios

Na íntegra: Copa Paraná-Sul 2016, 3/8

CASCAVEL – As coisas têm acontecido rápidas demais e às vezes não consigo acompanhar o bonde. Caso, por exemplo, da postagem, aqui no blog, do VT das corridas da terceira etapa da Copa Paraná-Sul de Motovelocidade, o campeonato que o Orlei Silva formatou e que está ganhando boa projeção.

Essas corridas aconteceram no dia 15 de maio no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel. A edição aí abaixo, assinada pelo Beto Borghesi e narrada por mim, foi exibida pelo “Velocidade Máxima”, programa que o Beto distribui a uma porção de emissoras de televisão do Paraná – amigos meus já viram em Santa Catarina, também.

Essa terceira etapa, inclusive, teve uma novidade: o lançamento da categoria-escola, para motos de 1.000 e de 600 cilindradas. A primeira corrida, também válida pela classificação da Copa Paraná-Sul, será exibida nesta semana na TV – logo em seguida estará aqui no blog também.

A exibição das provas pelo “Velocidade Máxima” acontece desde o início da temporada. O VT da primeira etapa está nesse link aqui; o da segunda pode ser visto aqui. E as corridas da quarta etapa, para efeito de agenda, vão acontecer já neste domingo, 12 de junho, no autódromo de Cascavel.

Na íntegra: Copa Paraná-Sul 2016, 2/8

CASCAVEL – Antes de fechar as malas para voltar à Argentina, compartilho com vocês a edição do programa “Velocidade Máxima” que traz, em vídeo, as corridas da segunda etapa da boa Copa Paraná Sul de Motovelocidade.

Essas corridas aconteceram no autódromo de Cascavel no dia 3 de abril e a produção é do Beto Borghesi. A terceira etapa está confirmada para o dia 15 de maio, sempre em programação conjunta com o Metropolitano de Automobilismo.

Para quem não viu, a primeira etapa, disputada no dia 28 de fevereiro, está aqui.

Na íntegra: Copa Paraná-Sul 2016, 1/8

88CURITIBA – Faz quase três semanas que o Orlei Silva deu início a uma história que vinha bolando já há algum tempo, sobretudo desde que passou a integrar o staff do Moto 1000 GP. Sob sua batuta e com os devidos reconhecimentos legais de federação e confederação competentes, e já tendo experimentado a vida de promotor de corridas nas três etapas da Copa Verão, ele deu início no Autódromo Zilmar Beux, lá em Cascavel, à Copa Paraná-Sul de Motovelocidade.

Foram 15 os pilotos na pista nesta primeira etapa, subdivididos nas classes Pro e Evo, determinadas pela graduação de cada um. Os resultados podem ser conferidos aqui, no site Cascavel News, do Luiz Aparecido. O VT das duas corridas, editado pelo Beto Borghesi para exibição nas várias emissoras parceiras de seu programa “Velocidade Máxima”,  segue aí abaixo, em duas partes.

A segunda etapa da Copa Paraná-Sul terá suas provas no dia 3 de abril, como sempre acompanhando em Cascavel as corridas automobilísticas dos campeonatos metropolitanos das categorias Turismo 1600 e Marcas & Pilotos.

Visão de piloto

CASCAVEL – Largada inspirada, por assim dizer, do parceiro Sílvio Inomata na segunda bateria da Copa Verão de Motovelocidade, dia 24 do mês passado em Cascavel.

O Sílvio tinha terminado a primeira bateria do evento em quinto lugar. A inversão absoluta do resultado, prevista em regulamento, o jogou para a 13ª posição no grid da prova final – eram 18 pilotos participantes. E, saindo de 13º, em metade da reta, ele fez o que o vídeo mostra.

Todo grupo do esporte a motor tem seu “japonês” voador. Também temos o nosso – que, a propósito, terminou essa segunda bateria em segundo lugar.

A propósito da Copa Verão, a terceira e última etapa, nas categorias 250cc e 300cc, vai acontecer no Autódromo Zilmar Beux, cá mesmo em Cascavel, nos dias 13 e 14 de fevereiro. Promoção e organização do campeonato são atribuições do intrépido Orlei Silva, figura conhecida sobretudo nos meios da Fórmula Truck e do Moto 1000 GP.

Cheguei a duvidar da realização do campeonato enquanto acompanhava, em 2015, a correria frenética do Orlei atrás de todos os laudos, atestados, alvarás, permissões e papéis do gênero para levar seu plano a efeito dentro de todas as normas. Felizmente errei e a Copa Verão está aí, como aperitivo para a Copa Cascavel, criada para formar pilotos competitivos o suficiente para conquistarem vitórias e títulos no âmbito nacional.

COPA VERAOA primeira temporada da Copa Cascavel de Motovelocidade vai acompanhar a programação das seis etapas do Campeonato Metropolitano de Marcas & Pilotos – as datas são 28 de fevereiro, 3 de março, 15 de maio, 12 de junho, 7 de agosto e 11 de setembro. Quanto à Copa Verão, a classificação pode ser conferida nesse link do site Cascavel News, do Luiz Aparecido.

Na íntegra: Moto 1000 GP 2014, 2/8

CASCAVEL – O último fim de semana foi de dedicação total ao Moto 1000 GP, que teve as corridas da segunda etapa em Interlagos. Narrei as corridas, que já estão postadas na íntegra na internet.

Como não narro todas as etapas, o Campeonato Brasileiro de Motovelocidade não vai pingar completo aqui no blog, mas trago as corridas de ontem para quem não viu ou para quem quer ver de novo. Primeiro, a da categoria principal, a GP 1000, cujo resultado final foi algo que eu jamais havia visto numa corrida de motos. Bem, o César Barros, que atuou como comentarista na transmissão e que acompanha tudo que ande sobre duas rodas, também falou que nunca tinha visto. E o Sidnei Scigliano, um dos pilotos mais importantes da história do motociclismo brasileiro, que estava lá por Interlagos, calçou-se em seus mais de 40 anos de convívio direto com o assunto para declarar ao repórter Ricardinho Montesano, também ao vivo, que jamais havia visto coisa parecida.

Vejam vocês mesmos.

A categoria GP Light precisou de três largadas para acontecer, por conta de acidentes que proporcionaram imagens até assustadoras – saiu todo mundo bem dos acidentes, para nosso alívio. Bem, está tudo aí abaixo, na edição.

A categoria GP 600 teve a disputa pela vitória polarizada. A gente sabia, no fundo, que isso aconteceria caso não houvesse excepcionalidades. Duelo bastante interessante.

A primeira corrida do dia, da categoria-escola GPR 250, já dava pinta de que o domingo seria de fortes emoções. A molecada deu um show de competitividade ao longo das oito voltas da corrida. Vejam aí.

As corridas da segunda etapa do Moto 1000 GP tiveram em disputa o GP Michelin. E a próxima etapa, dia 27 de julho, vai marcar a estreia da competição em Goiânia, no Autódromo Internacional Ayrton Senna.

Moto 1000 GP e o calendário definitivo

Imagem

CASCAVEL – Tenho acompanhado de perto, nos últimos meses, a habilidade com que Gilson Scudeler teve de conduzir a elaboração do calendário de etapas de seu Moto 1000 GP. A quarta temporada do evento, segunda sob a homologação da CBM como Campeonato Brasileiro de Motovelocidade.

O calendário saiu hoje, a 33 dias da abertura da temporada em Santa Cruz do Sul. Gilson tinha planos de torná-lo público ainda no começo de janeiro, mas as indefinições quanto à disponibilidade de autódromos, vários deles com obras de reforma agendadas para o decorrer do ano, forçaram mudanças sucessivas. A opção do ex-piloto e agora dirigente foi por retardar essa divulgação tanto quanto necessário para que, quando ocorresse, pudesse ser aplicada por pilotos, equipes e todos os demais envolvidos sem o risco de mudanças.

Pareceu-me, desconsiderando minha ligação com o Gilson e todo pessoal do campeonato, uma postura bastante ponderada. Porque, podem anotar e me cobrar depois, haverá mudanças em todos os calendários de etapas já disponibilizados por promotores de campeonatos de carros e de motos.