Na íntegra: Turismo Nacional 2018, 5/6

GOIÂNIA – É semana de encerramento de temporada na Turismo Nacional, que chega a Curvelo para as corridas da sexta etapa no Circuito dos Cristais. Hora mais que propícia, então, para vermos o que de melhor aconteceu na etapa de Cascavel, que foi a penúltima. Produção e edição do Deivicris de Cristo e da rapaziada da equipe “No Alto Giro”, com minha narração.

Aos que tiverem a curiosidade de acompanhar também o que aconteceu nas etapas anteriores da Turismo Nacional em 2018, elas podem ser vistas aqui mesmo, no blog. Basta acessar os links da primeira etapa, em Londrina, da segunda, que marcou a estreia de Guaporé como sede do campeonato, da terceira, disputada aqui em Goiânia, ou da quarta, em Interlagos, que teve as primeiras corridas noturnas da categoria.

 

Anúncios

A Copa JR

COPA JR 1

Com modelos GM, todos de motor 1.4, a Copa JR prepara sua terceira temporada tendo o baixo custo como atrativo: é possível correr lá com um orçamento de menos que R$ 1.500 por mês.

CASCAVEL – Uma das sacadas positivas dos últimos tempos no universo brasileiro dos campeonatos de Marcas foi a adoção dos motores 1.4, teoricamente menos fortes que os 1.6 de sempre, e que pelo conjunto da obra acabam proporcionando às equipes uma economia nada desprezível.

Os dois exemplos mais evidentes dessa alternativa vêm do Rio Grande do Sul e de Goiás. Já há algum tempo o Campeonato Gaúcho instituiu os motores 1.4 para todos os carros da categoria, inclusive de outras marcas, o que acaba gerando um panorama pitoresco – pode-se ver um Uno, um Gol ou um Ka com motor da GM, por exemplo. O que não ocorre na Copa Centro-Oeste. Lá a categoria Marcas mantém sua raiz. A motorização é 1.6, mesmo, e Gol anda com motor VW, Palio anda com motor Fiat, e Celta com motor GM. Os motores 1.4 compõem uma outra realidade, a da nova Copa JR, que foi implantada no ano passado e cujo regulamento só permite a participação de carros fabricados pela GM. Um grid com os modelos Corsa, Celta e Classic, em resumo.

Tratada inicialmente como categoria de acesso e hoje despertando interesse de pilotos já consagrados do automobilismo regional, a Copa JR começou sua trajetória em Goiás com sete carros no grid. O título de 2017 foi conquistado pelo brasiliense Gustavo Ribeiro. Em 2018 o grid médio tem sido de 14 carros. O promotor Joel Júnior se mostra seguro de que serão mais de 20 na temporada do ano que vem.

COPA JR 3

Rafael Varga e Raphael Teixeira fecharam lado a lado a disputa pela vitória na décima corrida da Copa JR, em novembro. Teixeira levou a melhor por seis milésimos de segundo!

A decisão da Copa JR de 2018 em Goiânia deve emoldurar uma disputa duríssima nas quatro corridas que vão compor a rodada dupla de 8 e 9 de dezembro. Fábio Varga/Rafael Varga, Raphael Teixeira e o próprio Gustavo Ribeiro são os pilotos que decidem o título da classe Super. A Light também tem três candidatos à conquista da taça, que será decidida entre Luiz Fernando, Tiago Vieira e Glêves Campos.

Conversei bastante com o promotor na última semana sobre a Copa JR, de olho em viabilizar minha presença no grid dessa última rodada dupla – vai dar certo. Esse contato me permitiu entender direitinho o funcionamento da categoria. Achei interessante e convidativo, inclusive. Entra sem dúvida na lista de opções para as minhas aceleranças do ano que vem.

O calendário de 2019 será composto por sete etapas, fechando 14 corridas. O deste ano também teve sete etapas, mas com as obras de reforma que mantiveram o autódromo sem automobilismo por alguns meses o campeonato começou um tanto mais tarde e essas corridas foram distribuídas em cinco fins de semana distintos. Houve etapas simples, de duas provas, nos meses de junho, julho e setembro. Em novembro os pilotos tiveram rodada dupla, com quatro corridas, mesmo formato adotado para o evento que vai apontar os campeões na semana que vem.

COPA JR 2

O regulamento padronizado para fornecimento de motor, injeção e amortecedores alavanca a competitividade da Copa JR. A foto, como todas as que ilustram o post, é da lavra do Fábio César.

O custo de cada etapa, para o piloto, é de 5 mil reais. O valor, fixo em contrato com o promotor, cobre a inscrição na etapa, combustível, pneus, assistência técnica de preparador e mecânicos no fim de semana de corrida, fornecimento de motor, amortecedores e injeção eletrônica. Quem corre de Marcas em qualquer lugar do Brasil já terá percebido que o valor fechado é muito atrativo. Automobilismo bom e barato.

Voltando ao orçamento de 5 mil por etapa, chegamos a um valor de 35 mil reais para a temporada completa, que pode ser quitado em 12 parcelas de janeiro a dezembro. O piloto pode fazer um campeonato completo pagando menos de 3 mil reais por mês. Se for correr em dupla, vai gastar menos de 1,5 por mês. Foi a conta que fiz enquanto conversava com o Juninho, e até perguntei a ele se havia algum erro de informação. Ele riu e disse que não havia erro algum, é isso mesmo. Guardei o rascunho da conta comigo, posso precisar dele nos próximos meses.

Aí me chamou atenção a questão dos preparadores e mecânicos. Essa mão-de-obra está incluída no pacote oferecido aos pilotos, o que me levou de imediato à conclusão de que não poderia contar com um preparador que venha me acompanhando há algum tempo – todo piloto tem seu preparador de confiança, quase de estimação, afinal. Nesse caso, suposição errada. O participante pode tanto contar com um dos preparadores que já integram a equipe técnica da categoria quanto tem a opção de indicar seu próprio preparador, que será pago pelo organizador da Copa JR – é um custo que está incluído no pacote, lembremos disso.

Para esses casos, além do contrato entre piloto e promotor, celebra-se um contrato paralelo com o preparador. Uma das cláusulas desse contrato adicional, estipulada para garantir a homogeneidade entre os carros, prevê que a eventual adoção de soluções vetadas pelo regulamento técnico implicará não só a desclassificação do piloto, mas também o veto definitivo à atuação do preparador em questão na Copa JR. Espertalhões não têm vez.

COPA JR 4

Diferente do que ocorre na Copa Centro-Oeste de Marcas, também disputada em Goiânia, a Copa JR determina o uso de carros da GM. Corsa, Celta e Classic compõem o grid, todos com motores 1.4.

A ideia de disputar um campeonato completo pagando menos de 1.500 reais por mês é atrativa ao extremo – lembrando que essa é uma estimativa para os que optam por correr em dupla. E é valida inclusive para quem não tem seu próprio carro: pode-se alugar um carro junto à própria organização da categoria, por 1.500 reais por etapa. Quem tiver interesse em se inteirar devidamente de mais detalhes da Copa JR pode contatar diretamente o Joel Júnior pelo número (62) 9 8305-3333, disponível também para comunicação via WhatsApp.

Bem, está decidido. Na semana que vem vou a Goiânia ver de perto, provavelmente de dentro, o andamento das coisas na Copa JR, e de quebra acompanhar essa decisão dos títulos. Pode ser o meu campeonato em 2019.

COPA JR 5

A Copa JR foi criada em 2017 com sete carros na pista, e o grid médio da temporada que termina na semana que vem foi de 14. A projeção do organizador para o campeonato de 2019 é de mais de 20.

 

Os nomes do novo Brasileiro

BACIAO

Cadê a sequência da pista? A descida para a curva do Bacião, ainda desconhecida de parte dos pilotos inscritos, recebe 35 pilotos para a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Turismo 1600

CASCAVEL – “A hora dos marquinhas”, foi o que escrevi outro dia. E a hora chegou. O Campeonato Brasileiro de Turismo 1600 abre nesta sexta-feira sua programação de treinos livres para a primeira etapa da temporada. Vai ser aqui mesmo, em Cascavel, com 27 carros e 35 pilotos confirmados para as duas corridas de domingo à tarde. A programação vai ser muito bacana, inclui também as duas corridas da terceira etapa da Sprint Race Brasil e as da Copa Paraná-Sul de Motovelocidade, também em sua terceira etapa.

Dos 27 carros, 13 terão pelo menos um piloto cascavelense – uma definição imprecisa, já que nessa lista incluo por exemplo o Natan Sperafico, que é de Toledo, o Odair dos Santos, gaúcho de nascimento que mora no Paraguai. Mas a distribuição geográfica do grid está interessante: treinos e corridas terão em ação pilotos de sete estados brasileiros e mais o Distrito Federal.  Um deles, que tomo como paulista por morar na Baixada Santista, é o João Lemos Mont, que na verdade é português. A lista completa dos participantes da etapa cascavelense está aí abaixo, no fim do post.

Normalmente, em posts como esse aqui, usamos fotos dos carros na pista, daquelas bonitonas e cheias de trabalho com os efeitos da luz que costumam sair das lentes do Cleocinei Zonta, do Vanderley Soares, do Sérgio Sanderson, do Orlei Silva – que agora guardou a câmera, virou dirigente e está diretamente envolvido na organização da categoria -, do Vandré Dubiela, da Sandra Zama, da Monica Godoy, da Cíntia Azevedo e de tantos outros amigos que costumam fotografar as corridas em Cascavel. Mas, como citei no post anterior, estou de saída para o Rio Grande do Sul e não vou poder acompanhar o início das atividades de pista, daqui a pouquinho. Assim, a saída nada ortodoxa para ilustrar o post é apelar para a imagem lá em cima, produzida durante a última Cascavel de Ouro (confesso que não sei por qual dos fotógrafos citados há pouco) e também para as fotos que os pilotos vieram postando no grupo do campeonato no WhatsApp, maioria deles com os carros já carregados nas carretinhas de transporte, a caminho de Cascavel e do autódromo.

No domingo estarei de volta, para narrar as corridas da primeira etapa na transmissão ao vivo da CATVE e da E-Paraná. Amanhã, já da sala de imprensa em Santa Cruz do Sul, volto a falar um pouquinho do Brasileiro em Cascavel. Que os amigos aqui já instalados tenham um ótimo fim de semana de trabalho. A história que eles estão retomando no automobilismo nacional merece isso.

CAMPEONATO BRASILEIRO DE TURISMO 1600

(Os 35 pilotos participantes da etapa de Cascavel)

0 – Renato Constantino (DF), A, VW Gol/Cesinha Competições

1 – Thiago Klein (PR), A, VW Gol/Paraguay Racing

2 –  Edoli Caús Júnior (PR), A, GM Celta/Caús Motorsport

7 – Guilherme Sirtoli/Leônidas Fagundes (PR/PR), B, Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team

8 – Analino “Choka” Sirtuli (RS), A, Ford Ka/Choka Car Racing

10 – Célio Vinicius (GO), A, Ford Ka/Ferrari Motorsport-Classe A

12 – Vilmar Priviatelli (PR), B, Ford Fiesta/Ferrari Motorsport

13 – Caíto Carvalho/Paulo Bento (PR/PR), B, GM Celta/Sensei-Sorbara Motorsport

14 – Marcelo Beux (PR), B, VW Gol/Speed Car

17 – Daniel Kaefer (PR), A, Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team

27 – Natan Sperafico (PR), A, Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team

33 – Felipe Carvalho (PR), B, GM Celta/Sensei-Sorbara Motorsport

41 – João Lemos Mont (POR), Máster, VW Gol/Paraguay Racing

42 – Larissa Cruzeiro/Rogério Cruzeiro (GO/GO), B, Ford Ka/Ferrari Motorsport-Classe A

44 – Gabriel Correa/Leandro Zandoná (GO/PR), A, Ford Ka/Ferrari Motorsport-Classe A

46 – Edson do Vale/Giovane Ferreira (GO/GO), A, Ford Ka/Ferrari Motorsport-Classe A

64 – Edson Massaro/Lorenzo Massaro (PR/PR), B, VW Gol/Speed Car

66 – Luís Guilherme Filgueiras (MG), A, VW Gol/AGB Preparações

71 – Alexandre Souza/Wyllian Cezarotto (SP/PR), B, Ford Fiesta/Ferrari Motorsport

74 – Francisco Júnior/Alexandre Seda (RJ/RJ), B, GM Celta/Landerson Competições

77 – Wanderson Freitas/Leandro Freitas (MG/MG), A, VW Gol/W Motorsport-Stumpf

99 – César Bonilha (PR/DF), A, VW Gol/Cesinha Competições

100 – Marcelo di Tripa (GO), A, VW Gol/Lucascar Motorsport

107 – Edson Bueno (PR), B, VW Gol/Stumpf Preparações

333 – Mário Garibaldi Filho (PR), B, VW Gol/Red Foot Racing Team

722 – Diogo Freitas (BA), A, VW Gol/Paraguay Racing

774 – Odair dos Santos (PR), B, VW Gol/Paraguay Racing,

Meus highlights

CASCAVEL – Mês passado fomos a Curitiba para uma etapa do Metropolitano de Marcas & Pilotos de Cascavel, acho que já contei isso. Se não contei, pelo menos chamei atenção para o videotape do evento, que foi mostrado em várias cidades do Paraná e de Santa Catarina no programa “Velocidade Máxima”.

Foi um fim de semana bem bacana, aquele de Curitiba. No que diz respeito propriamente às duas corridas, que aconteceram no dia 9 de abril, o Deivicris de Cristo fez um resuminho bem bacana, também em vídeo, do que foi minha participação, que valeu um trofeuzinho de terceiro lugar na etapa da categoria Marcas B.

A terceira etapa do Metropolitano vai ser em Cascavel, no dia 4 de junho, na mesma programação da quarta etapa da Fórmula Truck. Chegarei à cidade na madrugada do domingo – até sábado estarei em Mogi Guaçu narrando a terceira etapa do Porsche Império GT3 Cup – para largar da última fila e tentar fazer mais uns pontinhos. Estou em quarto no campeonato, afinal. Para mim, nada mau.

Na íntegra: Paranaense de Turismo 1.6 2017, 1/3

CASCAVEL – Depois de apresentar as provas da categoria Marcas & Pilotos, o “Velocidade Máxima”, do Beto Borghesi, teve incluídas em sua pauta as corridas da primeira etapa do Campeonato Paranaense de Turismo 1600, que aconteceram no dia 9 no Autódromo Internacional de Curitiba. O VT apresentado segue reproduzido aqui no blog.

Na íntegra: Paranaense de Marcas 2017, 1/3

LUC CINTIA

Participei da abertura do Paranaense integrando a Paraguay Racing, com o VW Gol número 66. Como a etapa valeu por todos os campeonatos metropolitanos do Paraná, cavei um pódio em terceiro no Marcas B de Cascavel.

CASCAVEL – Bem, não é exatamente na íntegra, por se tratar de um VT editado. Enfim, está no ar a primeira etapa do Campeonato Paranaense de Marcas & Pilotos. As corridas da primeira etapa aconteceram no dia 9 de abril no Autódromo Internacional de Curitiba e foram exibidas no programa “Velocidade Máxima”, do Beto Borghesi, que integra as grades de várias emissoras de televisão do Paraná e de Santa Catarina.

Foram 35 carros no grid do Paranaense, atualmente o maior do Brasil na categoria. Isso sem contar os quase 40 que compuseram o grid da carburada Turismo 1600, que essa nós vamos preparar a edição de televisão na semana que vem. A narração das duas baterias do Paranaense é minha, o que configura um crime contra a ética – afinal de contas, também participei das corridas. A galera do grid compreendeu e concordou.

Metropolitano com 32 carros (?)

f-conto-35

Também vou participar do Metropolitano de Marcas & Pilotos em Cascavel. O carro será o VW Gol número 66 da Paraguay Racing, o mesmo com que fui ao pódio da classe Novatos do Paulista. A foto é do bróder Fernando Conto.

CASCAVEL – Todos os ambientes de convivência de hoje em dia contêm um grupo de WhatsApp. Não seria diferente, claro, com o Campeonato Metropolitano de Marcas & Pilotos de Cascavel, que terá no próximo dia 19 as provas de sua primeira etapa no Autódromo Zilmar Beux. Chegando em casa agora à noite, vi na troca de mensagens do grupo que a grande curiosidade de todo mundo lá é saber quantos e quem serão os pilotos na pista.

Será um ano de novidades, em que o grid volta acolher os carros da Turismo 1600 e em que a própria Turismo 1600 também passa a ter duas subdivisões, uma para os carros carburados e outra para os injetados. A categoria Marcas segue com as classes A e B. É no Marcas B, aliás, que pela primeira vez vou fazer uma pretensa temporada completa. Acertei hoje os ponteiros com a Paraguay Racing para participar com o mesmo carro com que belisquei um terceiro lugar na categoria Novatos em Interlagos, dois meses e meio atrás, no encerramento do Campeonato Paulista. A agenda de narrações fora de Cascavel deve me tirar de uma etapa ou outra, ainda não confrontei os calendários para saber quando as folgas no trabalho me permitirão correr.

A julgar pela lista de participantes que rascunhei aqui, decreto: vai ser uma dificuldade monstruosa pensar em pódio. Cheguei a um total de 32 carros, e 15 deles são da categoria Marcas B. Outros 10 são do Marcas A, e os seis restantes estão distribuídos entre as duas classes da Turismo 1600 – que deverá ter alguns nomes a mais. Ao mesmo tempo, não se descarte a possibilidade de nomes que estão na minha lista não irem para a pista (Anderson Portes e Guilherme Sperafico, por exemplo, informaram logo após a publicação que não vão participar da primeira etapa). Fazer essas listas é um exercício de adivinhação. O grid que imagino que vá abrir a temporada daqui a menos de duas semanas está listado aí abaixo.

1 – Thiago Klein (VW Gol/Paraguay Racing), Marcas A

2 – Junior Caus (GM Celta/Caús Motorsport), Marcas A

3 – Felipe Carvalho (GM Classic/Sensei-Sorbara Motorsport), Marcas B

5 – Eduardo Bacarin (VW Gol/Sorbara Competições), Marcas B

7 – Leônidas Fagundes Júnior (Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team), Marcas A

8 – Leandro Zandoná (Ford Fiesta/Ferrari Motorsport), Marcas A

10 – Rodrigo Larralde (VW Gol/Larralde), Turismo 1600

12 – Jair Peasson (GM Celta/Peasson Competições), Marcas B

13 – Caíto Carvalho (GM Celta/Sensei-Sorbara Motorsport), Marcas B

14 – Marcelo Beux (VW Gol/Speed Car), Marcas B

19 – Junior Niju (VW Gol/FF Racing), Marcas B

17 – Daniel Kaefer (Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team), Marcas A

18 – Gabriel Formentao (VW Gol/Speed Car), Marcas B

23 – Guilherme Sperafico (Renault Clio/Sérgio Ferrari Racing Team), Marcas A

27 – Natan Sperafico (Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team), Marcas A

28 – Marcel Sedano (VW Gol/Stumpf Preparações), Marcas A

31 – Higor Hoffmann/Rodrigo Elger (GM Corsa/Ribecar), Marcas A

32 – Clovis Alberto/Cido Ferreira (VW Gol/Cezarotto Motorsport), Marcas B

33 – Paulo Bento (GM Celta/Sensei-Sorbara Motorsport), Marcas A

36 – André Marafon (Ford Fiesta/Cezarotto Motorsport), Marcas B

39 – Roney Ribeiro/Felipe Braz (VW Gol/Stumpf Preparações), Marcas B

41 – Flamarion Zacchi (VW Gol/Zacchi Racing), Turismo 1600

43 – Anderson Portes (Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team), Marcas B

46 – Edson Massaro (VW Gol/Speed Car), Marcas B

50 – Gustavo Myasava (GM Celta/Caús Motorsport), Marcas A

64 – Lorenzo Massaro (VW Gol/Speed Car), Marcas B

66 – Luc Monteiro (VW Gol/Paraguay Racing), Marcas B

71 – Wyllian Cezarotto (Ford Ka/Cezarotto Motorsport), Marcas B

74 – Odair Dos Santos (VW Gol/Paraguay Racing), Marcas B

77 –Duda Weirich (VW Gol/Weirich Racing), Turismo 1600

88 – Cleber Fonseca/Jefferson Fonseca Jr. (VW Gol/Fonseca Racing), Turismo 1600

99 – Vilmar Priviatelli (Ford Fiesta/Sensei-Sorbara Motorsport), Marcas B

212 – Gelson Veronese (VW Apollo/Sorbara Competições), Turismo 1600

213 –Nuno Pagliato (Ford Fiesta/Ferrari Motorsport), Marcas B

555 – Rafael Paiva (Ford Ka/Ferrari Motorsport), Marcas B

911 – Ronaldo Cezar da Silva (VW Gol/Ronaldo Racing), Turismo 1600

?? – José Newton Ficagna (Ford Escort/FKS Competições), Turismo 1600