Na íntegra: #GoldClassic 2018

CASCAVEL – Foram momentos muito intensos, esses que pilotos e equipes de quatro estados proporcionaram na última semana na pista de Cascavel. Ninguém podia imaginar, alguns meses atrás, que haveria um evento como esse às portas da Cascavel de Ouro, e menos ainda que seria tão instigante para quem viu e para quem correu.

A primeira edição da #GoldClassic foi um sucesso, posso afirmar sem medo de errar. “Ano que vem a Cascavel de Ouro vai fazer a preliminar para nós”, brincou um dos pilotos pouco antes do pódio, traduzindo o espírito dos mais de 50 que conduziram os 43 carros que de fato estiveram na pista. O pódio foi uma das coisas que deixaram um pouco a desejar: a premiação aconteceu no domingo sob chuva e vento, e isso compromete um pouco as coisas, alguns não apareceram para pegar o troféu, os que apareceram desceram rápido para fugir do aguaceiro e do frio. Faltou também a foto que pretendíamos produzir ao fim dos treinos extraoficiais de quinta-feira, com todos os carros na pista. Isso consome um tempão, estou acostumado a acompanhar ações assim em campeonatos aqui e ali, e tudo que não tínhamos disponível no cronograma era tempo. Para 2019 não deixo escapar.

Foi a primeira, como já citei, que trouxe não só um espetáculo de primeira, mas também uma série de itens para melhorarmos nas próximas. O evento despertou em parte dos pilotos a disposição de também organizarem corridas de clássico festivas em suas praças. Até em realização de campeonato alguém falou, coisa que está fora de questão. Só sei que a segunda edição da #GoldClassic em Cascavel sai no próximo ano. Considerando todo mundo que garantiu que volta, o grid já deve estar fechado. Tudo isso deve ter deixado bastante contente também o Dú Cardim, que partiu poucos dias antes do evento e que nos emprestou seu nome para os troféus dos vencedores.

A CATVE/Rede Cultura mostrou ao vivo as duas corridas da #GoldClassic/Troféu Dú Cardim, com narração de Osires Júnior e reportagem de Deivid Souza – os pilotos José Augusto Alves Júnior e João Cury participaram da transmissão como comentaristas convidados. E no fim, independente dos resultado de pista, todo mundo que veio saiu contente; meu troféu foi esse.

Anúncios

Troféu Du Cardim

IMG-20181110-WA0063

SÃO PAULO – Interlagos, de onde escrevo agora, era o lugar preferido do Du Cardim. Quaisquer que fossem os motores acionados por aqui, por perto estava o Du, porque se não conseguisse uma credencial para os boxes não havia problema algum, ele comprava ingresso e acompanhava da arquibancada ali do Café.
O ambiente preferido pro Du em Interlagos eram os boxes reservados à Classic Cup a cada etapa do Paulista de Automobilismo. Transitava com desenvoltura por todos os parafusos e todas as carenagens da categoria. A predileção pela categoria dos antigos, que eu atribuía ao fato dele também ser antigo, levou o Du a falar bastante comigo depois que lancei a #GoldClassic, que vai acompanhar a festa da Cascavel de Ouro. Ele estava bem contente com o andamento das coisas para o evento de Cascavel, me manifestou alguns comparativos tão irreverentes quanto elogiosos tendo por base os vários eventos a que esteve presente em Interlagos, Velo Città, Piracicaba e Londrina, acho que tem mais algumas pistas nessa lista, talvez Curitiba e Goiânia.
Du nunca foi a Cascavel. Tinha me garantido que embarcaria no caminhão de alguma equipe no meio da próxima semana para estar na #GoldClassic. “Não perco essa bagaça por nada”, foi o que decretou.
Bem, talvez não perca, mesmo, mas a credencial que eu prometi a ele vai ficar guardada. Du morreu ontem, vítima de algo que ainda não sei bem o que foi – uma queda no jardim de casa, uma internação seguida de transferência, uma cirurgia, o fim. “Beijo, fui”, deve ter repetido, pela última vez. Era um dos vários bordões que marcavam seu papo.
Ele não vai estar lá. Não para dizer que a melhor coisa que fiz no automobilismo foi não correr a #GoldClassic, decisão que tomei dias atrás e de que talvez ele nem tenha tomado conhecimento, mas sei que diria isso. Mas vamos celebrar o Du no evento, sim. Dando, inclusive, seu nome aos troféus dos vencedores de cada uma das sete categorias.
Fim de papo, Du.

Nomes e cores: #GoldClassic

CASCAVEL – Costura daqui, vai dali, muda de lá, e no fim das contas a primeira edição da #GoldClassic, dias 17 e 18 de novembro no autódromo de Cascavel, terá 50 carros na pista. É o maior grid de uma competição de carros clássicos da história do automobilismo brasileiro, motivo de orgulho para todos nós que estamos envolvidos com a organização e a realização do torneio. Em número, seríamos mais. Chegamos a 91 numa primeira relação, caímos a 74 na segunda, a 50 na definitiva. Quem cancelou a vinda tem seus motivos, todos incontestáveis, e de agora em diante a conversa em torno da #GoldClassic orbita apenas os que de fato vão estar na pista, 60 pilotos para 50 carrinhos com pelo menos 25 anos de idade (os carrinhos, não os pilotos), um mais simpático que o outro (de novo falo dos carrinhos, não dos pilotos).

A #GoldClassic, como grande parte das coisas boas da vida, nasceu de uma conversa de mesa de bar. Era para ser algo menor, mas tomou a proporção que tomou, em boa parte por ter sido acolhida pela Cascavel de Ouro – Edson Massaro, promotor da Cascavel de Ouro, colocou como condição bem-humorada para isso que ele também pudesse participar das corridas, o que foi providenciado de pronto, e o Massaro vai ser um dos pilotos da Wessler Racing, num Fusca cor-de-rosa.

Assim, chega o momento de apresentar à audiência os 50 carros que estarão na pista nas corridas de daqui a dois fins de semana, que terão transmissão pela CATVE, afiliada paranaense da Rede Cultura – o material será exibido também na internet. Nem todo mundo está com os carros prontos, motivo pelo qual algumas fotos mostram os brinquedos no estado em que se encontram nas oficinas das equipes, alguns aparecem com número diferente, porque foi o número de inscrição em outro evento, e também tem caso em que a foto tem a indicação do layout que o carro vai ter. O que vale é mostrar os carros da #GoldClassic. E não relacionei devidamente os créditos dos fotógrafos, mas sei que aí abaixo, em meio às fotos que os próprios pilotos tiraram e armazenaram com seus celulares há material da Sandra Zama, da Mônica Godoy, do Rodrigo Ruiz, do César Luz, do Paolo Reis, do Deivicris de Cristo, do Sérgio Sanderson, do Ângelo Gomes, do Victor Lara, do Jimmi Torres, do Humberto da Silva e do Anderson Zambrzycki. A eles todos um muito obrigado pela contribuição.

 1 – Neno Oliveira (PR), VW Fusca/Sávio Sorvetes (Speed Fusca)GC 001

  2 – Deninho Casarini (SP), VW Puma/Casarini Racing (Força Livre)GC 002

  3 – Niltão Amaral (RS), VW Passat/Brazauto Racing (Turismo Super)GC 003

  9 – José Newton Ficagna (PR), Ford Escort/Ficagna Competições (Turismo Light)GC 009

  11 – Gelson Veronese (PR), VW Apollo/Sete Motorsport (Turismo Light)GC 011

 13 – José Antonio Sala (RS), VW Fusca/Equipe Sala (Força Livre)GC 013

15 – eAdemar Fedrigo (PR), VW Fusca (Speed Fusca)GC 015

 17 – Humberto Guerra Júnior (SP), VW Passat/HT Guerra (Turismo Light)GC 017

22 – Joacir Alves (PR), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)GCA 22A

23 – Alex Sandre Morais (PR), Protótipo Aldee/Paraná Racing (Força Livre)GCA 23

27 – Wanderlei Berlanda (SC), GM Omega/MIG Motorsport (Força Livre)GC 027

32 – Reinaldo Cangueiro (SP), VW Karmann-Ghia/HT Guerra (GTS)GC 032

33 – Beto Lacombe (RS), VW Gol BX/Lacombe Motorsport (Força Livre)GC 033

35 – Marcos Sommer (SC), GM Chevette/Pinduca Racing (Turismo Light)GC 035

36 – Miguel Galli (PR), VW Fusca/Galli (Speed Fusca)GC 063

39 – Cleiton Krause (RS), Fiat Uno/Castelo Pack (Turismo Light)GC 039

41 – Ike Nodari (SC), Fiat Uno/Bonora Racing (Turismo Light)GCA 41

43 – Hamilton Morsch (PR), GM Chevette/SydiMotorsport (Turismo Light)GC 043

45 – Marcelo Tizzot (PR), VW Fusca/Tumiate Competições (Speed Fusca)GC 045

46 – Maurizio Sala/Cleves Formentão (SP/PR), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)GCA 46.jpg

47 – Jeff Foitte/Anderson Rieper (SC/SC), VW Gol/Devassos Racing (Turismo Light)GC 047

49 – Marcelo Pacheco (SC), Fiat Uno/Bonora Racing (Turismo Light)GCA 49

53 – Milton Borges Vieira (PR), VW Voyage/Milton Racing (Turismo Light)GC 053

54 – Rafael Lopes/Ricardo Domenech (SP/SP), GM Omega/RC Racing (Força Livre)GC 054

55 – Estevam Manhani (PR), VW Fusca/Grilo Motorsport (Speed Fusca)GC 055

69 – Fernando Brock (RS), Bianco S/Eltz Racing (GTL)GC 069

74 – Fabiano Schneider (SC), GM Chevette/Pinduca Racing (Turismo Light)GC 074

77 – Luciano Cortina/César Cortina (PR/PR), VW Gol/Cortina Competições (Turismo Light)GC 077

84 – Miguel Beux (PR), Avallone-Chevrolet/Beux Competições (Força Livre)GC 084

88 – Osnildo Lemes/Júlio Saravy (PR), VW Fusca/Julião Racing (Speed Fusca)GC 088

97 – Felipe Schumann/Cesar Cardoso (RS/RS), GM Chevette/Fast Racing (Força Livre)GC 097

99 – João Cury (SP), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)GC 099

112 – Carlos Guizzo (RS), VW Fusca/Guizzo’s (Speed Fusca)GC 112

133 – Duda Weirich (PR), VW Voyage/Weirich Competições (Turismo Light)GCA 133 B

192 – Anselmo Canelas Júnior (SP), VW Passat/X Power (Turismo Light)GC 192

211 – Rodrigo Pupo/Clifford Jelinsky (SC/SC), VW Fusca “Zé-do-Caixão”/Devassos Racing (Turismo Light)GCA 211

222 – Fábio Tokunaga (PR), VW Gol/RedFoot Racing Team (Turismo Light)GC 222

302 – Leovaldo Petry (RS), Ford Maverick/Project Motorsport (Força Livre)GC 302

333 – Tony Manhani (PR), VW Fusca/Grilo Motorsport (Speed Fusca)GC 333

339 – Rafael Schuhli/Rogério Schuhli (PR/PR), VW Puma/Terraquatro (Força Livre)GC 339

538 – Nenê Finotti/Marcelo Caslini (SP/SP), Porsche 550/LF Preparações (GTS)GC 538

 777 – PH Costa (PR), VW Voyage/Red Foot Racing Team (Turismo Light)GC 777

 888 – Júnior Herzog (PR), GM Chevette/Auto Molar (Turismo Light)GC 888

899 – Alexandre Martins/Adriano Martins (SC/SC), VW Gol/AVM Racing (Turismo Light)GC 899

911 – Ronaldo César (PR), VW Voyage/Ronaldo Racing (Turismo Light)GC 911

913 – Carlos Estites (SP), VW Passat/HT Guerra (Força Livre)GC 913

#GoldClassic em dois grids

20160320_327_RodrigoRuiz_04866.jpg

Março de 2016, em Curitiba, na última vez em que equipes de várias partes do país se reuniram para um torneio extracampeonato. A farra em Cascavel na #GoldClassic vai ser bem maior.

CASCAVEL – Vocês que me leem vão lembrar que, num post de fim de maio (que tratei de excluir depois para evitar confusões em eventuais consultas), eu disse que por força das regras não passaríamos de 40 carros no grid da #GoldClassic. Bem, eu estava errado. Apesar da Federação Paranaense de Automobilismo nos ter instruído sobre ser esse o limite para corridas no formato do nosso torneio de clássicos e antigos em Cascavel, a coisa tomou uma proporção que num primeiro momento assustou.

A #GoldClassic, para quem não sabe, é um minitorneio que vai integrar, entre 16 e 18 de novembro, a programação da 32ª Cascavel de Ouro, no Autódromo Zilmar Beux, cá em Cascavel. Como não temos pelas bandas de cá nenhum equivalente da categoria Classic Cup, a partir do momento em que o promotor Edson Massaro autorizou a abertura de espaço para a competição dos antigos em Cascavel, fomos atrás dos pilotos do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, de São Paulo, de Minas Gerais, do Paraná – justiça seja feita, vários deles, atraídos pela notícia de que haveria a competição, é que vieram atrás de nós. E foi questão de dias para rompermos, com boa sobra, o limite de 40 carros.

Numa situação dessas, o que fazer? Como são sete as classes em disputa, a solução que formatamos foi a divisão do grupo em dois grids. Um deles, mais forte tecnicamente no que diz respeito ao potencial dos carros, vai reunir os participantes das classes Força Livre, GTS, GTL, Turismo Super e Fusca Cup. O outro, de menor velocidade e – ao que me parece – maior competitividade, terá as classes Turismo Light e Speed Fusca, esta última baseada no regulamento do Campeonato Metropolitano de Londrina, de onde vêm maioria dos inscritos. A Fusca Cup, na primeira divisão, também integrava esse grid, e acabou realocada para o grupo dos mais fortes para atendermos as demandas manifestadas.

Haverá boxes para todo mundo da #GoldClassic no autódromo?, é o que têm me perguntado praticamente todo dia. Não, não haverá. Para ninguém, aliás. Como a Cascavel de Ouro e a Sprint Race Brasil vão ocupar todos os 27 boxes disponíveis, desde o início sabemos que os belos exemplares do grid clássico serão acomodados em tendas fechadas distribuídas pela área de boxes, a partir de um mapa que já estamos estudando com método e com carinho. A probabilidade de montarmos essa estrutura na área dos boxes antigos do autódromo é muito grande. E se o novo limite estourar de novo? Bem, agora não há mais o que fazer. O máximo para cada um dos grids é mesmo de 40 carros.

A situação me faz lembrar de uma senhora que anda um tanto esquecida. Afinal de contas, estipulamos a meta, atingimos a meta e dobramos a meta. Abaixo deixo um álbum de fotos de algumas das máquinas que vão compor os grids da #GoldClassic, em novembro. Abaixo das fotos, a lista dos participantes devidamente inscritos. É essa a lista que vou atualizando conforme novas adesões forem confirmadas.

 

 

 

 

1 – Neno Oliveira (PR), VW Fusca/Sávio Sorvetes (Speed Fusca)

2 – Deninho Casarini (SP), VW Puma/Casarini Racing (GTS)

3 – Niltão Amaral (RS), VW Passat/Brazauto Racing (Turismo Super)

6 – Caio Lacerda (SP), VW Passat/HT Guerra (Turismo Super)

7 – Érico Sávio (PR), VW Fusca/Sávio Sorvetes (Speed Fusca)

8 – Cleber Fonseca (PR), Ford Escort/Fast Racing (Turismo Light)

9 – José Newton Ficagna (PR), Ford Escort/Ficagna Competições (Turismo Light)

11 – Gelson Veronese (PR), VW Apollo/Sete Motorsport (Turismo Light)

12 – César Ferro/Marcelo Rampazzo (PR/PR), VW Fusca/Feinho Racing (Speed Fusca)

13 – José Antonio Sala (RS), VW Fusca/Equipe Sala (Força Livre)

14 – Geraldo Mesquita (MG), VW Passat/Greff Motor Club (Turismo Light)

15 – Ademar Fedrigo/Luiz Gehring (PR/PR), VW Fusca (Speed Fusca)

16 – Beto Haus (PR), VW Gol/Cortina Competições (Turismo Light)

17 – Humberto Guerra Júnior (SP), VW Passat/HT Guerra (Turismo Light)

18 – Douglas Speto (SP), VW Voyage/Spirit Race (Turismo Light)

19 – Paulo Cury (SP), VW Passat/Cassarini Racing (Turismo Super)

20 – Denísio Casarini (SP), Porsche 914/Casarini Racing (Força Livre)

21 – Léo Freitas (MG), VW Puma/Greff Motor Club (GTS)

22 – Joacir Alves (PR), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)

27 – Wanderlei Berlanda (SC), GM Omega/MIG Motorsport (Força Livre)

28 – Mallaco Maam (SP), GM Opala/Odeon Racing (Força Livre)

29 – Jorge Mansur (MG), VW Fusca/Greff Motor Club (Turismo Light)

30 – Henry Grosskopf (SC), VW Brasília/HG Custom (Turismo Super)

32 – Reinaldo Cangueiro (SP), VW Karmann-Ghia/HT Guerra (GTS)

33 – Beto Lacombe (RS), VW Gol BX/Lacombe Motorsport (Força Livre)

35 – Marcos Sommer (SC), GM Chevette/Pinduca Racing (Turismo Light)

39 – Cleiton Krause (RS), Fiat Uno/Castelo Pack (Turismo Light)

40 – Tiago Schaedler (RS), Fiat 147/Fórmula Uno Racing-Fast Racing (Força Livre)

41 – Ike Nodari (SC), Fiat Uno/Bonora Racing (Turismo Light)

43 – Hamilton Morsch (PR), GM Chevette/SydiMotorsport (Turismo Light)

44 – Guilherme Fubá (MG), VW Puma/Greff Motor Club (GTS)

45 – Marcelo Tizzot (PR), VW Fusca/Tumiate Competições (Speed Fusca)

46 – Edson Massaro (PR), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)

47 – Fred Mesquita (MG), GM Chevette/Greff Motor Club (Turismo Light)

49 – Marcelo Pacheco (SC), Fiat Uno/Bonora Racing (Turismo Light)

53 – Milton Borges Vieira (PR), VW Voyage (Turismo Light)

54 – Rafael Lopes/Ricardo Domenech (SP/SP), GM Omega/RC Racing (Força Livre)

55 – Estevam Manhani (PR), VW Fusca/Grilo Motorsport (Speed Fusca)

63 – Miguel Galli (PR), VW Fusca/equipe a definir (Speed Fusca)

64 – Marcos Philippi (SP), Ford Maverick/Philippi Racing (Força Livre)

66 – Luc Monteiro (PR), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)

69 – Fernando Brock (RS), Bianco S/Eltz Racing (GTL)

73 – Flávio César (MG), GM Chevette/Greff Motor Club (Turismo Light)

74 – Fabiano Schneider (SC), GM Chevette/Pinduca Racing (Turismo Light)

75 – João Ometto Neto (SP), GM Opala/JON Racing Team (Força Livre)

77 – Luciano Cortina (PR), VW Gol/Cortina Competições (Turismo Light)

78 – Thiago Macedo (MG), GM Chevette/Greff Motor Club (Turismo Super)

83 – Antônio Pitta Neto/Tarcilo Pimentel Sobrinho (CE/CE), VW Passat/Spirit Race (Turismo Super)

84 – Miguel Beux (PR), Avallone-Chevrolet/Beux Competições (Força Livre)

86 – Anderson Baggio (RS), VW Voyage/Baggio Racing Team (Turismo Super)

88 – Júlio Saravy (PR), VW Fusca/Julião Racing (Speed Fusca)

97 – Felipe Schumann/Cesar Cardoso (RS/RS), GM Chevette/Fast Racing (Força Livre)

99 – João Cury (SP), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)

112 – Carlos Guizzo (RS), VW Fusca/Guizzo’s (Speed Fusca)

113 – Bruno Campos (MG), VW Passat/Greff Motor Club (Turismo Super)

128 – Vanessa Mallaco (SP), VW Fusca/Odeon Racing (Speed Fusca)

133 – Duda Weirich (PR), VW Voyage/Weirich Competições (Turismo Light)

147 – Jeff Foitte/Anderson Rieper (SC/SC), VW Gol/Devassos Racing (Turismo Light)

148 – Sérgio Rocha (RS), Ford Escort/Lopes Car (Turismo Light)

192 – Anselmo Canelas Júnior (SP), VW Passat/X Power (Turismo Light)

211 – Rodrigo Pupo/Clifford Jelinsky (SC/SC), VW Fusca “Zé-do-Caixão/Devassos Racing (Turismo Light)

222 – Fábio Tokunaga (PR), VW Gol/RedFoot Racing Team (Turismo Light)

233 – Manoel Salgueiro (MG), VW Passat/Greff Motor Club (Turismo Light)

302 – Leovaldo Petry (RS), Ford Maverick/Project Motorsport (Força Livre)

333 – Tony Manhani (PR), VW Fusca/Grilo Motorsport (Speed Fusca)

339 – Rafael Schuhli/Rogério Schuhli (PR/PR), VW Puma (Força Livre)

454 – Daniel Kelemen (SP), GM Opala/RC Racing (Forca Livre)

666 – Luiz Carlos Preto/Luiz Fellipe Preto (PR/PR), VW Fusca/Grilo Motorsport (Speed Fusca)

777 – PH Costa (PR), VW Voyage/Red Foot Racing Team (Turismo Light)

888 – Júnior Herzog (PR), GM Chevette/Auto Molar (Turismo Light)

899 – Alexandre Martins/Adriano Martins (SC/SC), VW Gol/AVM Racing (Turismo Light)

911 – Ronaldo Cesar Silva/Renan Silva (PR/PR), VW Voyage/Ronaldo Racing (Turismo Light)

913 – Carlos Estites (SP), VW Passat/HT Guerra (Força Livre)

Enfim, a Gold Classic!

GOLD CLASSIC - GAUCHO

As equipes da Classic Cup do Rio Grande do Sul já trataram de colocar a Gold Classic em sua agenda de eventos para 2018. Maioria desses belos carros estarão no nosso grid no dia 17 de novembro.

CASCAVEL – Faltam ainda sete meses para o evento propriamente dito, o que não significa que o trabalho em torno da Cascavel de Ouro tenha de esperar. Pelo contrário, ele já começou e já nos tem consumido muito. A 32ª edição da corrida vai acontecer no dia 18 de novembro, com premiação recorde de R$ 150 mil, transmissão ao vivo na tevê, tudo aquilo que já é sabido pelos pilotos dos carros de Marcas 1.6 em todo o país – aliás, neste ano a categoria passa a ser oficialmente tratada como Turismo Nacional, para efeito de Campeonato Brasileiro.

Bem, a programação da Cascavel de Ouro terá mais atrações. Entre elas, as corridas da sétima e penúltima etapa da Sprint Race Brasil. Essa não nos dá trabalho algum. Pelo contrário, a trupe do Thiago Marques já traz a festa prontinha da sede em Curitiba, nosso único trabalho é alocar os carros nos boxes e os treinos e corridas na tabela de programação, tarefas que já estão devidamente cumpridas. Outra atração é a Gold Classic, um torneio para carros antigos que vai ter duas corridas na véspera da Cascavel de Ouro, dia 17 de novembro. É a ela, à Gold Classic, que o post se destina.

GOLD CLASSIC - MIGUEL BEUX

Miguel Beux, de Cascavel, fará na Gold Classic a estreia em corridas do Avallone-Chevrolet ao qual tem se dedicado nos últimos 12 anos. O carro já protagonizou demonstrações em várias pistas.

Pois bem, a ideia de trazer os clássicos para a pista em Cascavel não é nova. Falo nisso desde a edição de 2015. Expus isso ao Edson Massaro depois da última Cascavel de Ouro e ele, promotor do evento e entusiasta de qualquer coisa relacionada ao automobilismo, topou na hora. Fez mais: me encarregou de fazer o negócio acontecer, motivo pelo qual aproveitei as corridas que fiz no Paulista de Automobilismo entre dezembro e fevereiro para contatar diretamente as equipes de lá a respeito. Trouxe de Interlagos um bom pacote de sugestões a respeito. Num segundo momento as equipes do Rio Grande do Sul também passaram a fazer parte da conversa, e em seguida as de Minas Gerais e as de Londrina, onde neste ano ressuscitaram a boa e velha Speed Fusca, mais boa que velha.

A primeira coisa foi configurar um regulamento técnico que contemplasse todo mundo. Não é intenção de ninguém fazer com que as equipes modifiquem seus carros para disputar um torneio de fim de ano em Cascavel. O Paulo Nazzari, que é comissário da Federação Paranaense de Automobilismo, acabou debruçado sobre os regulamentos técnicos de todos esses campeonatos que citei. Combina daqui, compara dali, e o Paulo formatou um regulamento próprio para a Gold Classic. Serão sete as categorias em disputa: Força Livre, Gran Turismo Super, Gran Turismo Light, Turismo Super, Turismo Light, Gold Speed Fusca e Gold Fusca Cup. As cinco primeiras podem ser tratadas pelas siglas FL, GTS, GTL, TS e TL, que no mundo dos vivos podem não ter muito sentido, mas são bem familiares aos pilotos e às equipes.

GOLD CLASSIC - NENE FINOTTI

Nenê Finotti, de São Paulo, vai disputar a Gold Classic a bordo de seu invejável Porsche 550. Sua equipe, a LF Preparações, terá vários outros modelos no grid. Acho que com pilotos de Cascavel, inclusive.

Uma das dificuldades que encontro quando vou correr em São Paulo está sanada para a Gold Classic, que é o pouco tempo de pista. A programação prevê cinco sessões de treinos livres de meia hora, mais uma tomada de tempos classificatória e as duas corridas, cada uma com 30 minutos e mais uma volta. O chefe de uma equipe já me disse que os treinos livres são excessivos. Respondi-lhe que melhor sobrar, como aqui, que faltar, como em Interlagos. Os pilotos não precisam participar de todos os treinos, mas acho melhor que tenham todas essas sessões disponíveis para trabalharem quanto e como acharem melhor.

A Cascavel de Ouro vai fechar um fim de semana prolongado – 15 de novembro, feriado nacional alusivo à Proclamação da República, vai ser dia reservado a treinos extraoficiais com cronometragem na pista de Cascavel. Em princípio, só para a Cascavel de Ouro. Havendo demanda das equipes da Gold Classic, já com a prévia concordância do Massaro, teremos no feriado duas horas de pista liberada para os antigos e furiosos. Não sei se já disse, mas a programação oficial da Gold Classic será toda desenvolvida nos dias 16 e 17. Três treinos livres na sexta, ficando o sábado reservado a mais dois treinos livres, à tomada de tempos e às duas corridas. Fica o domingo para as equipes de fora, que serão a grande maioria, destinarem à viagem de volta. Mais um problema resolvido.

GOLD CLASSIC - WESSLER COMPETICOES

Parte do “arsenal” da Wessler Competições. A equipe do Stanley Wessler vai integrar o grid da Gold Classic. O meu carro está ali no meio, o Fuscão vermelho com que consegui minha primeira vitória.

Outro empecilho que me foi manifestado nesse contato prévio com as equipes estava atrelado ao valor da taxa de inscrição, previamente anunciado em R$ 1.000 por carro – pode haver inscrições individuais ou em dupla, a inteiro critério dos participantes. Piloto sempre vai achar que a inscrição é cara, eu também acho quando vou correr. Busquei um meio para isso, também. Assim, quem efetuar sua inscrição até dia 31 de julho paga R$ 650. A partir de 1º de agosto voltamos aos R$ 1.000 previstos no regulamento desportivo.

Uma coisa que ainda não podemos bater no peito para confirmar é a transmissão das corridas da Gold Classic na TV e na internet. O que dá para afirmar é que temos tratado do assunto. Palpite meu, teremos essas corridas mostradas para o mundo inteiro. Os pilotos que não vierem vão poder acompanhar de casa o nosso torneio e se arrepender de terem deixado a participação para 2019.

Meu palpite para o grid de 17 de novembro? Hum… 50 carros.

GOLD CLASSIC - BETO LACOMBE

Beto Lacombe, do Rio Grande do Sul, fez questão de ser o primeiro a se inscrever na Gold Classic. Vem com o Gol BX da Lacombe Motorsport, puxado por um motorzão de 216 hp, na classe Força Livre.

Por fim, sobre o regulamento técnico: ele já existe. Os que tiverem interesse em consultá-lo podem solicitar o envio com mensagem para o meu e-mail, lucmonteiro10@gmail.com. Os que têm meu número de WhatsApp podem solicitar o regulamento por lá, também, e já o receberão no ato.

Abaixo, repico as fotos de alguns dos carros que deveremos ver em ação no feriadão de novembro no circuito mais veloz do automobilismo brasileiro. Vai ser uma festa para saudosista ou antigomobilista nenhum colocar defeito. E um grande aperitivo para a maior Cascavel de Ouro de todos os tempos.