O Festival Brasileiro de 2016

festival-t-oliveira

Thiago Oliveira, com o Celta número 105 da AGB Preparações, é mineiro de Belo Horizonte. Por morar em Curitiba, acaba sendo, na prática, o único representante paranaense na pista.

CASCAVEL – O Festival Brasileiro de Marcas & Pilotos 1.6 chega à sua oitava edição em Curvelo. Com 19 carros inscritos, o grid no Circuito dos Cristais terá seis modelos de carros de Fiat, Ford, GM e Volkswagen. Os 25 pilotos participantes, apresentados na relação aí abaixo, representam sete estados brasileiros e mais o Distrito Federal.

A Federação Mineira de Automobilismo e o Automóvel Clube de Belo Horizonte ofereceu premiação de largada para as inscrições efetuadas até determinado prazo. Tinha tudo para ser uma festa esportiva ainda maior no que diz respeito ao número de carros participantes. Os custos considerados elevados para o deslocamento até o interior mineiro têm sido a justificativa das equipes do Sul, por exemplo, para não terem inscrito seus carros.

Há um gaúcho entre os participantes, o Fabiano Cardoso, que mora em Minas Gerais. Em mão inversa, a representação paranaense nesta edição acaba adaptada pela presença de Thiago Oliveira, que é de Belo Horizonte, mas reside em Curitiba. A programação teve início hoje, sexta-feira, com quatro treinos livres.

O sábado terá mais um treino livre, a partir das 11h15. A tomada de tempos classificatória vai começar às 14h30 e a primeira das três corridas terá abertura de box às 14h30. No domingo, depois de um treino de aquecimento marcado para as 9h, a programação da segunda corrida vai começar às 11h e a da terceira, às 14h30. Todos os resultados são disponibilizados em tempo real no site da Race Monitor.

festival-gol

O Gol é o modelo mais frequente no grid em Curvelo, com seis exemplares, como os das duplas Leandro Freitas/Wanderson Freitas e Lisandro Cardoso/Lamartine Pinotti. Também há três Celta, três Corsa, dois Uno, dois Palio, dois Ka e um Fiesta

A relação dos pilotos participantes do Festival Brasileiro, como prometido:

0 – Renato Constantino (DF), GM Celta

2 – João Guimarães Neto (MG), Fiat Uno

31 – Thiago Azalini (DF), GM Celta

36 – Felipe Rabello (MG), Fiat Palio

38 – Yuri Tomé/Alexandre Seda (MG/RJ), VW Gol

41 – João Lemos (SP), GM Corsa

44 – Gabriel Correa (GO), Ford Ka

46 – Edson do Valle (GO), Ford Ka

50 – Luiz Fernando Moura (ES), GM Corsa

53 – Zigomar Júnior/Wilton Pena (SP/MG), VW Gol

66 – Luís Guilherme Filgueiras (MG), VW Gol

71 – Alexandre Souza (SP), Ford Fiesta

74 – Francisco Paiva Júnior (RJ), GM Corsa

77 – Leandro Freitas/Wanderson Freitas (MG), VW Gol

87 – Gustavo Mascarenhas/Fabiano Cardoso (MG/RS), Fiat Uno

88 – Flávio Costa Martins/Renato Rabello (MG), Fiat Palio

98 – Paulo César Pena (MG), VW Gol

105 – Thiago Oliveira (MG), GM Celta

777 – Lisandro Cardoso/Lamartine Pinotti (BA/SP), VW Gol

A primeira edição do Festival Brasileiro de Marcas & Pilotos 1.6 aconteceu em Cascavel em 2009. O campeão foi do paranaense Marco Romanini, piloto da casa. Em 2010 a competição teve duas fases, em Curitiba e Viamão. O título foi do gaúcho Régis Boessio, de Canoas. Em 2011, retomado o formato de corridas em programação única, Curitiba recebeu a competição e o campeão foi Marcel Sedano, catarinense de Porto União. Curitiba foi a sede também em 2012, ano do segundo título de um piloto de Cascavel – no caso, Luiz Fernando Pielak. Cascavel disparou na liderança da estatística em 2013, com outro piloto da cidade, Leandro Zandoná, conquistando o título disputado em Guaporé. Em 2014, novamente em Curitiba, o título foi de Gabriel Corrêa, de Goiânia, que é o único campeão presente à edição deste ano em Curvelo. No ano passado, os dirigentes gaúchos providenciaram boa premiação em dinheiro para a edição em Guaporé. O título ficou com um piloto da casa, Analino “Choka” Sirtuli, de Gravataí.

festival-boxes

O Circuito dos Cristais, em Curvelo, é o quinto autódromo brasileiro a receber as disputas do Festival Brasileiro de Marcas & Pilotos 1.6 em oito anos de existência da competição.

Aos boxes, agora

GOIÂNIA – Recebi e reproduzo press release do colega Flávio Bergmann, da YesSports, sobre o andamento das obras do Circuito dos Cristais, na mineira Curvelo. Com o asfaltamento do traçado de 4,4 km já concluído, começam agora os trabalhos de construção dos boxes. Que poderão brotar em maior número que o esperado.

A foto aí abaixo, que acompanhou o material enviado pelo Flávio, mostra a curva Cauda da Onça, da qual já falei aqui outro dia.

20150925092346

Com pista já asfaltada TecRacing inicia construção dos boxes no Circuito dos Cristais

Empresa também iniciou o muro da reta principal e Espaço Camarote

No último sábado (12) a TecRacing finalizou mais uma etapa da construção do Circuito dos Cristais. Está concluída a pavimentação asfáltica dos 4.420 metros da pista do primeiro Autódromo Internacional de Minas Gerais e ainda mais 2.000 metros de áreas de acesso. No mesmo dia, a empresa iniciou a construção dos boxes e do muro que separa a reta principal do Pit Lane e confirmou a abertura da pista em março de 2016.

“Estamos empenhados em manter nosso planejamento e cronograma de obras para atender as expectativas dos associados do Clube CASA DE PISTA, que estão ansiosos para acelerarem no autódromo”, disse Marco Túlio, diretor da TecRacing. Ao todo foram asfaltados aproximadamente 6.000 metros lineares. Além da pista principal, dois atalhos foram criados para criar alternativas de traçados reduzidos dentro da pista, o que permitirá a realização de eventos simultâneos. Áreas de acesso à pista e estacionamentos também foram asfaltadas.

Dos 29 boxes previstos no projeto, a TecRacing iniciou a construção de 18, com quase 150 m2 cada (10 x 14,60m) e a previsão é que estarão prontos em 5 meses. Até o box 7, no segundo piso, a empresa irá construir o Espaço Camarote, para receber os convidados dos eventos esportivos. A preparação das áreas de escapes, sinalização, construção das zebras e muros de proteção também serão executadas durante esse período.

“Estaremos aptos a receber eventos nacionais com essa infraestrutura, mas as obras irão continuar em 2016. Estaremos trabalhando para obtermos homologações junto à FIM e FIA. Temos como meta a realização de uma etapa da MotoGP no Circuito dos Cristais em 2017 e para tanto iremos aplicar mais uma camada de asfalto”, disse Alfredo Rodrigues, diretor da TecRacing e engenheiro responsável pela obra.

Outra boa notícia é a retomada das obras de pavimentação da rodovia LMG 754, autorizada oficialmente pelo governo do estado no último dia 15 de agosto.  O autódromo está localizado às margens da Rota 754, que liga Cordisburgo à Curvelo e está inserida dentro dos Circuitos Turísticos das Grutas e Cultural Guimarães Rosa. Essa nova via asfaltada, que já está 65% concluída, irá permitir aos visitantes do autódromo uma redução de 20 km, no trajeto entre a capital e o Circuito dos Cristais.

Com acesso fácil pelos quatro cantos do Brasil e área total de 4 milhões de m2, o Circuito dos Cristais tem atraído associados de vários estados para o Clube CASA DE PISTA. Além da pista asfaltada o sócio poderá também usufruir de circuitos e trilhas para a prática OFF ROAD. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (31) 2523-6619, pelo e-mail contato@tecracing.com.br ou através do site www.circuitodoscristais.com.br.

A Cauda da Onça

CURVELO

Um complexo com quatro milhões de metros quadrados vai acolher, a partir de 2016, o novo endereço do automobilismo brasileiro. Falo do Circuito dos Cristais, em Curvelo, cidade mineira distante 160 km da capital Belo Horizonte. Uma grande tacada da iniciativa privada, neste caso da TecRacing, empresa capitaneada por Alfredo Santos e Marco Túlio Santos. O empreendimento levado adiante com recursos próprios e, claro, também com o captado junto aos investidores e compradores das cotas do Clube Casa de Pista. Na parte que mais interessa ao público das corridas em geral, o autódromo deverá ser inaugurado em março de 2016.

O autódromo está sendo construído sob moldes já consagrados no primeiro mundo – o Ascari, na Espanha, e o Monticello, nos EUA, são dois exemplos bem concorridos. A cota adquirida por um associado lhe dá direito a uma série de vantagens, nelas incluídos o acesso à pista em um número determinado de vezes por ano, já que a previsão é de realização de sessenta edições anuais de Track Day, e 500 metros quadrados de área no condomínio que vai integrar o complexo. As fases seguintes do empreendimento compreenderão estrutura hoteleira, galpões, pistas off-road e de mountain bike, além da proximidade com loteamento comercial.

O asfaltamento da pista vai de vento em popa. A aplicação do asfalto segue o sentido anti-horário do traçado de 4.415 metros e já alcançou a curva 4 – a foto mostra uma faixa mais escura já na décima das dezessete curvas, que representa a imprimação, uma fase pré-asfáltica do trabalho, por assim dizer. Nem todas as curvas ganharam nomes, mas sei que já há por lá a Ferradura, o Anzol, a Cauda da Onça… Nunca me imaginei narrando uma disputa por posição em que um piloto tenta chegar antes de seu oponente à Cauda da Onça. Farei isso em Curvelo durante a próxima temporada – basta-me continuar trabalhando como narrador de corridas.

O plano inicial prevê a inauguração daqui a sete meses com dez boxes. Pouco, pelos padrões que conhecemos. Ainda assim, há contatos para que Stock Car e Fórmula Truck tenham etapas em Curvelo já no próximo ano, o que implicaria a necessidade de construírem mais boxes – será o menor dos problemas. O trabalho no Circuito dos Cristais segue dentro dos prazos pré-estabelecidos, o que é uma conquista e tanto, tudo dentro dos padrões da FIA, a Federação Internacional de Automobilismo. Há o compromisso, para a fase imediatamente seguinte, de adequação de tudo conforme reza a FIM, que gere o motociclismo internacional.

É um alento ver o empenho com que os curvelanos trabalham, seja no canteiro de obras ou nos rincões distantes dali onde exista algum interesse no resultado final. Inevitável o clichê de que a realidade do Circuito dos Cristais vai na contramão da onda infeliz de sucateamento e desativação de tantos autódromos brasileiros. Há esperança, contudo. Goiânia deu grande passo ao reestruturar seu autódromo. Cascavel tentou coisa parecida, o resultado foi suficiente para voltar ao cenário. Interlagos deve renascer logo, também. Há mais casos, e acho que é nisso que Curvelo arrebatou minha simpatia: encarou a contramão da tendência de ora.

Asfalto neles! (2)

CURVELO 1CASCAVEL – Vias de acesso e pit lane já asfaltados. Curvas 1 e 2 e reta oposta já recebendo as camadas asfálticas na chamada imprimação (identificada pela parte mais escura na foto cima), que começou algumas semanas atrás e ainda nesta semana vai alcançar os 4.415 metros do traçado. Essa é, hoje, a situação do Circuito dos Cristais, em Curvelo.

É questão de dias para começarem a derramar o asfalto na pista, e a partir daí qualquer coisa adiante de dois meses a título de cura.

A coisa vai ganhando corpo.

Vai ficar assim

CURVELOCAMPO GRANDE – Fotos que circularam ontem nas redes. É legal falar “circula nas redes”, embora o sentido da expressão seja um tanto vago. E são fotos de ontem, mesmo, que mostram claramente o traçado do Circuito dos Cristais, na mineira Curvelo. A fase de imprimação transcorre a bons passos e, ao que tudo indica, a semana que vem deverá marcar o início do asfaltamento da pista.

Nessa outra foto, aí de baixo, dá para notar que as experiências asfálticas já tomam conta do que vai ser o pit lane.

CURVELO 2

Asfalto neles!

CASCAVEL – Anda a passos acelerados o trabalho de construção do Circuito dos Cristais, em Curvelo, que deverá ser inaugurado em março do ano que vem para ajudar a suprir a crise criada pelo sucateamento dos autódromos brasileiros.

O trabalho de asfaltamento do traçado começou na semana passada. O início da aplicação deu-se precisamente pela imprimação da faixa que servirá como pit lane.

CURVELO

Curvelo deverá ser o vigésimo autódromo de onde terei narrado corridas de carros. Por enquanto minha lista tem 18.

Stock Car em Curvelo

SANTA CRUZ DO SUL – A primeira categoria de automobilismo a pôr seus carros na nova pista do Circuito dos Cristais, na mineira Curvelo, foi a Stock Car.

Sim, eu sei, o traçado ainda nem foi asfaltado. Mas o Lucas Foresti, que é do Distrito Federal, e o Rapha Matos, que é de Minas, estiveram por lá dias atrás com os Stock Car de suas equipes, respectivamente a AMG Motorsport e a Schin Racing Team.

Mexendo em coisas aqui e ali na internet cá em Santa Cruz do Sul, dei de cara com esse vídeo produzido pelo moropôrrico Fábio Oliveira.

Animal!, como diria – ou disse, não estou certo – o próprio Fabão.

Curvelo

Imagem

CASCAVEL – O governo de Minas Gerais disponibilizou recursos de seu Banco de Desenvolvimento para viabilizar a consolidação do Autódromo Internacional de Curvelo, a 160 km da capital Belo Horizonte. É o que anuncia o texto distribuído pela agência Y Sports, do colega Flávio Bergmann, ele próprio envolvido diretamente com a iniciativa do circuito mineiro, em torno do qual flanam promessas de que será o maior complexo de velocidade da América Latina.

O investimento estimado é de 60 milhões de reais e 30% desse valor já teriam sido captados junto à iniciativa privada. As obras, anuncia o comunicado, serão iniciadas em seis meses, com previsão de conclusão de sua primeira fase em novembro de 2015.

Mantenho minha postura à São Tomé. Mas os indicativos são de que veremos, sim, a coisa pronta.

Novos autódromos

GRAVATAÍ – Pingaram há pouco no perfil de um grupo no Facebook esse vídeo, que fala de um “novo autódromo para o estado de São Paulo”, fazendo menção também à “região metropolitana de São Paulo”, sem no entanto precisar onde raios se pretende construir o complexo.

X-Track Motorsports, seria o nome do lugar. Uma fuçadinha básica na internet não foi suficiente para eu descobrir à qual cidade refere-se o projeto, que conta ao menos com uma razoável apresentação em 3D. Deve haver algum fundamento, ninguém se daria a tanto trabalho por nada. Omitir a cidade pode ser parte da estratégia toda, nunca se sabe.

Por falar em novo autódromo, nesta semana vazou a informação de que Cacá Bueno estaria intermediando pessoalmente a construção de um em Balneário Camboriú. “Já que foi divulgado mesmo, trabalhando a mil por hora pra ter mais uma praça esportiva de alto nível no Brasil”, escreveu o pentacampeão da Stock Car em seu perfil no Instagram. Perguntado por um seguidor sobre o motivo de não canalizar essa energia para o Rio de Janeiro, seu estado, o piloto foi enfático: “Tentei de todas as maneiras fazer algo no Rio, porém sou do esporte, não da política. No Rio infelizmente o buraco é mais embaixo”.

Sem esquecer, claro, do projeto de Curvelo, cidade mineira distante 160 km de Belo Horizonte. A iniciativa, sobre a qual o Flávio Bergmann já me falou durante horas, tem esse perfil no Facebook. Havia um site, também, acho que foi desativado, ou esqueci o endereço. Aos meus ouvidos, pelo menos, o assunto esfriou bastante de uns meses para cá.

Consistentes ou não, percebem-se muitas iniciativas para que haja novos autódromos no Brasil, enquanto outros vão sendo demolidos, sucateados ou relegados à fase negra que o automobilismo vive no país.

De modo ou outro, se alguém interessado e disposto a construir um autódromo me pedisse opinião sobre onde empreendê-lo, eu teria a resposta na ponta da língua: vá conhecer Itaipulândia, na Costa Oeste do Paraná. Se a viabilidade não fosse a esperada pelo imaginário interlocutor, ele pelo menos passaria um fim de semana num lugar bastante tranquilo e agradável.

Autódromo de Curvelo

SÃO PAULO – Esse é o convite que recebi do colega Flávio Bergmann para o lançamento do projeto do Autódromo Internacional de Curvelo, cidade mineira distante uns 160 km da capital Belô. O convite é legal, é só clicar nele que a imagem amplia. Legal, sobretudo, por ter uma foto atribuída à primeira corrida de carros da história das Américas, corrida de quase 120 anos atrás, disputada no dia dia reservado ao evento da semana que vem, 28 de novembro, que será também aniversário da minha cunhada.

O convite explicita que o Brasil tem mais de 20 mil pilotos federados, entre carros e motos, e conta com apenas 17 autódromos. Consegui contar 16, Brasília, Campo Grande, Caruaru, Cascavel, Curitiba, Fazenda Capuava, Fortaleza, Goiânia, Guaporé, Interlagos, Londrina, Mega Space, Santa Cruz do Sul, Tarumã, Velo Città e Velopark, talvez a conta do pessoal de Curvelo contemple o finado Jacarepaguá.

A promessa, enfim, é de um autódromo suficientemente bom para receber as principais competições mundiais de autos e motocas. Que saia do papel, o projeto, e que o autódromo curvelense (é curvelense que se diz?) tenha longa vida.

Quanto ao lançamento de quarta-feira, lamento não poder ir. Sobretudo pelo cardápio mineiro prometido para o almoço. Vou sugerir comida mineira à cunhada para o jantar do aniversário.

ATUALIZANDO EM 23 DE NOVEMBRO, ÀS 22h26:

O 17º autódromo que faltou na lista da minha já falível memória foi o ECPA, em Piracicaba.