Visão de piloto

CASCAVEL – Largada inspirada, por assim dizer, do parceiro Sílvio Inomata na segunda bateria da Copa Verão de Motovelocidade, dia 24 do mês passado em Cascavel.

O Sílvio tinha terminado a primeira bateria do evento em quinto lugar. A inversão absoluta do resultado, prevista em regulamento, o jogou para a 13ª posição no grid da prova final – eram 18 pilotos participantes. E, saindo de 13º, em metade da reta, ele fez o que o vídeo mostra.

Todo grupo do esporte a motor tem seu “japonês” voador. Também temos o nosso – que, a propósito, terminou essa segunda bateria em segundo lugar.

A propósito da Copa Verão, a terceira e última etapa, nas categorias 250cc e 300cc, vai acontecer no Autódromo Zilmar Beux, cá mesmo em Cascavel, nos dias 13 e 14 de fevereiro. Promoção e organização do campeonato são atribuições do intrépido Orlei Silva, figura conhecida sobretudo nos meios da Fórmula Truck e do Moto 1000 GP.

Cheguei a duvidar da realização do campeonato enquanto acompanhava, em 2015, a correria frenética do Orlei atrás de todos os laudos, atestados, alvarás, permissões e papéis do gênero para levar seu plano a efeito dentro de todas as normas. Felizmente errei e a Copa Verão está aí, como aperitivo para a Copa Cascavel, criada para formar pilotos competitivos o suficiente para conquistarem vitórias e títulos no âmbito nacional.

COPA VERAOA primeira temporada da Copa Cascavel de Motovelocidade vai acompanhar a programação das seis etapas do Campeonato Metropolitano de Marcas & Pilotos – as datas são 28 de fevereiro, 3 de março, 15 de maio, 12 de junho, 7 de agosto e 11 de setembro. Quanto à Copa Verão, a classificação pode ser conferida nesse link do site Cascavel News, do Luiz Aparecido.

Anúncios

Visão de piloto

GOIÂNIA – A chamada em vídeo preparada pelo Marcello Paiva para o GP Goiânia, quinta etapa do Moto 1000 GP, dá bem uma noção do desafio que o traçado do Autódromo Internacional Ayrton Senna impõe aos pilotos do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade.

O vídeo gravado pela câmera instalada na Kawasaki do Joelsu Mitiko, piloto da GP 600, mostra uma volta completa pelos 3.835 metros da pista. Essa reta dos boxes chega a arrepiar – lá ao fim, os pilotos da GP 1000 vão buscar o freio já tendo rompido a barreira dos 300 km/h. Coisa de doido, não?

O GP Goiânia terá quatro corridas – clicando aqui você vê a programação completa. Todas as corridas serão transmitidas ao vivo no “Live streaming” do site do Moto 1000 GP. Os canais Bandsports e Esporte Interativo e o portal Terra vão exibir a etapa das 12h30 às 14h, janela que compreenderá a íntegra ao vivo das categorias GP 1000 e GPR 250 e VTs compactos da GP 600 e da GP Light.

E, enquanto eu finalizava o post, o Mitiko sofria uma queda no treino classificatório da GP 600. Escapou ileso e, estando ainda em segundo, deve avançar ao Q2.

Visão de piloto

CASCAVEL – A quinta etapa da Copa Petrobras de Marcas foi uma das melhores da ainda curta história do campeonato – pelo menos desde que eu cheguei lá, há coisa de um ano. Vitória do Allam Khodair na primeira corrida, com Toyota, retorno com vitória de Thiago Camilo na segunda prova, com Honda. O bicampeão Ricardo Maurício, que marcou um quarto e um sexto lugar, segue na liderança. Narrei as duas corridas de domingo em Pinhais, para o portal Terra e para a Rede Bandeirantes.

Hoje cedo, mexendo na internet, acabei dando de cara com um vídeo que resulta de uma ação promovida pela Chevrolet durante a programação de treinos para a etapa. Sincronizaram vários vídeos onboard de uma volta do Thiago Marques, que disputa a Copa Petrobras com um Cruze, durante uma volta no traçado de 3.695 metros do Autódromo Internacional de Curitiba. É o próprio Thiago, que terminou uma corrida em quinto e outra em quarto, quem apresenta o material.

Visão de piloto

Imagem

CASCAVEL – Um dos momentos bacanas do Brasileiro de Marcas do ano passado – pelo menos da quinta etapa em diante, fase que acompanhei mais atentamente por ter sido convidado a narrar as corridas da categoria – ficou por conta do Thiago Marques na etapa de Tarumã.

Ele enfrentava sérias dificuldades com o desgaste de pneus, me contou isso horas depois na fila de embarque do aeroporto. O resultado foi a ocorrência de verdadeiras manobras de drift na temida curva Um do circuito gaúcho. Isso a cerca de 170 km/h…

Lembro que já estava preparado para narrar uma rodada do Thiago, mas ele manteve o carro na pista e terminou a corrida em segundo, na vitória do Ricardo Maurício.

Uma amostra do perrengue foi postada pelo próprio Thiago, em vídeo, em sua conta no Instagram. Está aqui para quem quiser conferir.

Visão de piloto

71 - Domingo - Joseě Maěrio Dias - 4454

CASCAVEL – Transcorria a 23ª volta da etapa de domingo passado da Fórmula Truck em Córdoba quando Raijan Mascarello, o portador da câmera GoPro que nos dá essa imagem, levou o maior susto de sua ainda curta carreira na categoria.

O piloto mato-grossense da Ford Racing Trucks, que estava em nono no momento do incidente e acabou a corrida em 12º, deve ter sentido uma saudade e tanto de casa quando o motor do caminhão de Wellington Cirino explodiu logo à sua frente. Além do óleo, peças do Mercedes-Benz do paranaense acertaram várias partes do Fordão do Raijan, que ficou no estado lastimável mostrado aí acima na foto feita pelo chevético Zé Mário Dias.

Visão de piloto

CASCAVEL – O Daniel Kaefer tornou-se ontem o segundo piloto de Cascavel a disputar a categoria de acesso da Stock Car. O primeiro, claro, foi Diogo Pachenki, campeão em 2004 e 2010, que hoje alavanca uma nova carreira na Fórmula Truck.

Daniel, que disputa regularmente a Sprint Race, participou da etapa de Cascavel pilotando um dos carros da Scuderia 111. Foi uma participação complicada, a dele. Depois de ficar em 17º e em 12º nos dois treinos livres, ficou só em 14º na tomada de tempos que definiu o grid, da qual perdeu 10 minutos como punição por ter excedido o limite de velocidade na área de boxes.

A corrida de Daniel durou só cinco voltas. Seu primeiro contratempo aconteceu na largada, conforme mostra o vídeo abaixo, gravado de sua câmera onboard. Aos 12 segundos da edição, é possível ver o instante em que o piloto da casa sai do alinhamento para não acertar a traseira do carro de Fernando Fortes, que largava à sua frente e freou depois de ganhar velocidade na reta dos boxes. A direção de prova entendeu a manobra de Daniel como queima de largada – configurada pelo avanço do carro ou pelo movimento lateral antes do apagar das luzes vermelhas. Seria punido com drive thru. Acabou não tendo tempo para pagar a punição.

Aos 32 segundos, o vídeo mostra que Daniel quase acabou fora da corrida ainda na primeira curva, envolvido que foi no acidente em pleno Bacião entre Norberto Gresse e Felipe Tozzo, que abandonaram. Ele, Daniel, também abandonaria, depois de passar por cima do parachoque de algum outro carro, que estava na pista, quando tentava ultrapassar Fábio Carreira.

“Aquele parachoque furou meu radiador e tive que parar. Culpa dos fiscais que não tiraram o parachoque da pista. Fora isso, eu estava rápido, iria para a frente”, falou o piloto, que vai voltar a atuar em casa daqui a três semanas, na sexta etapa da Sprint Race.