Novidades na equipe

20170516_180346

Elias Azevedo estreia na Copa Petrobras de Marcas levando para a Paraguay Racing a experiência que acumulou em uma série de competições no Brasil e no exterior.

CASCAVEL – Conversando com a rapaziada da Paraguay Racing, minha equipe aqui no Metropolitano de Marcas & Pilotos, notamos que este vai ser um fim de mês de muitas estreias e novidades. A coisa está ficando ainda mais movimentada. Um pouco dessas novidades já estará à mostra no fim de semana agora, em Santa Cruz do Sul, com a segunda etapa da Copa Petrobras de Marcas. Primeiro, porque a equipe passa a responder pelos quatro Toyota Corolla do grid.

Em um desses carros estará outra novidade da equipe. Elias Azevedo, paulista com quem já convivi em uma série de outros campeonatos, fará sua estreia pilotando um dos Corolla da equipe. Elias é piloto experiente. Já competiu no Porsche GT3 Challenge Brasil, no Audi DTCC, no FARA USA, na Fórmula 3, no Brasileiro de Endurance e no Mitsubishi Lancer Cup. Tem uma galeria de títulos interessante. Por ora seu compromisso com a equipe vale só para a segunda etapa da Copa Petrobras no circuito gaúcho. Se gostar do carro, do campeonato e da erva do chimarrão, continua até o fim do ano. A julgar pelo histórico de pista, parâmetros não lhe faltam para estabelecer esse comparativo a partir de seus próprios critérios.

O fim de semana seguinte, dos dias 27 e 28, será de mais novidades para a Paraguay Racing. Uma delas, na verdade, para uma série de equipes de vários estados, que vão compor cá em Cascavel, no Autódromo Zilmar Beux, a disputa da primeira etapa do novo Campeonato Brasileiro de Turismo 1600. É a categoria Marcas & Pilotos 1.6 que segue ganhando seu espaço. Odair dos Santos, brasileiro radicado no Paraguai, e Diogo Freitas, baiano que chega à equipe para uma experiência inédita depois de vários anos acumulando vitórias em competições de velocidade na terra, são os dois representantes da equipe na categoria por enquanto.

Aí o automobilista mais atento há de perguntar: e o Thiago Klein? Questão pertinente, posto que se trata do piloto que conquistou os dois últimos títulos do Metropolitano de Marcas em Cascavel e foi vice-campeão paranaense – aliás, ele também volta a competir na Copa Petrobras de Marcas, integrando o grid a partir da etapa de Santa Cruz do Sul. Pois é. Ainda não dá para garantir que o Thiago vá estar no grid do Brasileiro de Turismo 1600. Isso porque, no mesmo dia, ele vai disputar também em Cascavel – programação conjunta, obviamente – a terceira etapa da Sprint Race Brasil, formando dupla com o paulista Caê Coelho. A estreia é um prêmio que ganhou da Sprint Race pela vitória na Cascavel de Ouro.

IMG-20170516-WA0070

O Sprint Race número 55 de Caê Coelho, carro com que Thiago Klein vai estrear daqui a menos de duas semanas na Sprint Race Brasil. A foto é do gaudério-curitibano Rodrigo Guimarães.

Me flagrei rindo agora há pouco, enquanto bisbilhotava o site da equipe. Coisa boba. Só porque tem a minha fotinho junto com a dos pilotos da equipe – por ordem alfabética são o Elias Azevedo, o Felipe Tozzo, o Luiz Santos, o Odair dos Santos, o Pedro Pimenta e o Thiago Klein. E vai aparecer mais gente nessa lista nas próximas semanas. É, a equipe está ficando com a agenda lotada.

Sprint Race em sete pistas

sprint-race

A temporada que começa em abril vai ser a sexta da história da Sprint Race Brasil, que mantém suas corridas com transmissão em VT pelo BandSports e pela PlayTV. Continuo na narração.

CASCAVEL – Saiu nesta semana o calendário de eventos para a sexta temporada da Sprint Race Brasil. As oito etapas vão acontecer em sete pistas diferentes, em que pese o fato de só haver cinco autódromos indicados como sedes.

Curitiba vai receber três etapas da Sprint Race sem proporcionar repetições aos pilotos. A primeira vai desafiá-los no anel externo do autódromo. A quinta, abrindo a segunda metade da temporada, terá o traçado original cumprido em sentido inverso – o grid também será formado em ordem inversa à que for definida pelo treino classificatório, com o mais rápido da tomada de tempos largando em último e daí por diante. A última, fechando a temporada, terá suas corridas no traçado habitual do circuito curitibano e nessas os pontos serão atribuídos em dobro em relação ao sistema praticado nas demais etapas.

O único traçado que vai acolher os pilotos mais que uma vez é o de Interlagos, palco da segunda e da quarta etapa. A novidade na segunda vai ficar por conta da Superpole, um recurso já consagrado em tomadas de tempos de campeonatos como a Fórmula Truck, parece-me que também já foi utilizado na Stock Car, segue em vigor em vários campeonatos regionais de automobilismo. A quarta etapa terá uma bateria extra, a Corrida dos Convidados, que superou as expectativas da organização na primeira edição, no ano passado. Essa corrida vale pontos na tabela para os pilotos regulares do campeonato.

Cá em Cascavel receberemos as provas da terceira etapa da Sprint, em que a cereja do bolo para os pilotos será o set up livre dos carros – diferente do que ocorre nas demais etapas, em que um acerto padrão é configurado pela empresa promotora, os carros recebem as configurações indicadas pelos participantes para os treinos e corridas de Cascavel. Londrina terá o penúltimo evento do calendário, mantendo a tradição da corrida noturna, que me dá um pouquinho a mais de trabalho na narração para o BandSports e a PlayTV, mas que é um dos grandes baratos da temporada. E a novidade maior fica por conta do Velo Città, aquele autódromo paradisíaco inaugurado em 2012 em Mogi Guaçu, que receberá os Sprint Race pela primeira vez na sexta etapa da temporada.

Para manter a atrativa relação custo-benefício, que é uma das melhores do automobilismo brasileiro – ou seria a melhor? –, o Thiago Marques tratou cuidadosamente de escalar suas etapas na programação de outros eventos. Divisão de despesas com os promotores de outros eventos para viabilizar um custo baixo aos pilotos, e sei que o Thiago é bem, hã, sistemático quanto a isso.

Seis etapas vão somar atratividade com os campeonatos metropolitanos de Cascavel, Londrina e Curitiba ou, no caso de Interlagos, com o Paulista de Automobilismo. Na ida inédita ao Velo Città a categoria vai acompanhar mais uma edição dos 500 Quilômetros de São Paulo. A dúvida da companhia da Sprint Race, por ora, está na etapa de dezembro, que encerra o calendário no dia 3 de dezembro. Esta foi uma das duas datas apontadas pela Fórmula Truck no calendário distribuído à imprensa anteontem para sua etapa final, também em Curitiba. Caso seja esta a opção da Truck, as duas categorias vão revezar a pista ao longo do fim de semana; caso não, os monopostos carenados vão intercalar treinos e corridas com o Campeonato Paranaense de Motovelocidade.

Também numa programação de Metropolitano, antes do campeonato começar, a Sprint Race terá em Curitiba um fim de semana de treinos coletivos, isso nos dias 11 e 12 de março. Vai servir tanto para o primeiro contato de novos nomes quanto para tirar o ferrugem dos pilotos que continuam no grid. Não tenho a lista completa aqui. Sei que Caê Coelho, Cássio Cortes, Cláudio Buschmann, Eduardo Berlanda/Juninho Berlanda, Erik Mayrink, Gabriel Lusquiños, Gerson Campos, Jorge Martelli e Nuno Pagliato estão entre os já inscritos. Até pensei em perguntar ao Thiago quem são os outros, mas ele está curtindo as férias ali naquele lugar perto do boteco onde vendem espetinhos e hambúrgueres e charutos de todas as variedades possíveis, então preferi não incomodar com assuntos de trabalho.

Ah. E vai ser meu sexto ano na narração das corridas da Sprint Race na televisão.

O CALENDÁRIO DA SPRINT RACE EM 2017

12 de março, Curitiba – treino coletivo oficial

9 de abril, Curitiba – primeira etapa, anel externo

30 de abril, Interlagos – segunda etapa, com Superpole

28 de maio, Cascavel – terceira etapa, com set up livre

30 de julho, Interlagos – quarta etapa, Corrida dos Convidados

20 de agosto, Curitiba – quinta etapa, circuito e grid invertidos

24 de setembro, Velo Città – sexta etapa

5 de novembro, Londrina – sétima etapa, Night Challenge

3 de dezembro, Curitiba – oitava etapa, pontuação em dobro

sprint-race

O traçado de Interlagos será o único que os pilotos repetirão no calendário de oito etapas da Sprint Race Brasil. Sim, Curitiba receberá três etapas, mas cada uma ocorrerá em um traçado diferente.

Decisão e novas caras

sprint-race

A Sprint Race Brasil volta a Interlagos, onde no meio da temporada teve sua Guest Race, para apontar os campeões de 2016 em uma decisão de título particularmente equilibrada. Foto do Fernando JS.

SÃO PAULO – Hoje começa a decisão de título de um monte de categorias em Interlagos. Inclusive do Paulista de Marcas & Pilotos, cujo grid terá minha invejável companhia. Mas é da Sprint Race que vim falar. O encerramento da quinta temporada da Sprint vai oferecer momentos muito interessantes na disputa pelos dois títulos.

Basta ver as diferenças irrisórias entre os candidatos na pontuação. Na categoria Pro, Luca Milani lidera com 321 pontos, contra 318 dos irmãos Juninho e Eduardo Berlanda. Três pontos de diferença, com 100 em jogo no fim de semana – as corridas da final atribuem o dobro dos pontos das demais etapas. Na GP, são seis pilotos de olho no título, quatro deles integrando duas duplas. Vinícius Margiota lidera com 298 pontos, contra 274 da dupla de pai e filho formada por Marcus e Lucas Peres, 268 de Kau Machado e Jorge Martelli e 212 de Cláudio Buschmann. Quem não estiver no autódromo para ver as corridas poderá conferir o VT na quinta-feira, dia 21, na programação do BandSports; quem estiver que já se programe para uma largada às 17h10 de amanhã e outra às 11h do domingo. Ia até brincar que a de domingo vai ser preliminar da nossa do Marcas, que larga ao meio-dia, mas aí o Thiago Marques me tira o escalpo.

elger

Rodrigo Elger, paranaense de Maringá que recebe a vaga no grid da Sprint Race como prêmio pelo título brasileiro da Fórmula Júnior de 2014: saiu no lucro… A foto é da lavra do André Kotoman.

O grid da etapa final apresentará algumas novidades ao público da Sprint Race. Uma delas é a estreia de Rodrigo Elger. Sua presença no grid é o resultado de uma compensação da Confederação Brasileira de Automobilismo. Rodrigo, em 2014, conquistou o título brasileiro da Fórmula Júnior. Como prêmio, participaria de algo como uma academia de pilotos no México, não sei exatamente do que se trata. Enfim, cobrou o prêmio algumas vezes, sem jamais tê-lo recebido, consta até que a tal academia nem existe mais. Bem, a CBA, como forma de compensação, bancou sua participação na Sprint Race em Interlagos – ficou de ótimo tamanho para o piloto, convenhamos. Outra estreia é a de Leonardo Nienkötter e de Sérgio Crispim, que igualmente ganham a participação como prêmio pela atuação vitoriosa no kart.

Para não passarmos batidos em nome algum, segue aí a lista de chamada da etapa final da Sprint Race.

 

4 – Leonardo Nienkötter/Sérgio Crispim (Pro)

7 – Vinicius Margiota (GP)

12 – Cláudio Buschmann (GP)

13 – Raphael Campos (Pro)

17 – Eduardo Berlanda/Wanderley Berlanda Júnior (Pro)

22 – Gabriel Lusquiños (Pro)

23 – Guido Cotta (Pro)

81 – Rodrigo Elger/Luiz Santos (Pro)

44 – Kau Machado/Jorge Martelli (GP)

55 – Caê Coelho (GP)

77 – Luca Milani (Pro)

78 – Marcus Peres/Lucas Peres (GP)

82 – Cássio Cortes/Gerson Campos (GP)

Conhecendo a Sprint Race

sprint-01CASCAVEL – Comentei dias atrás que a Sprint Race Brasil estava preparando algo como uma seletiva para os pilotos interessados em tomar parte do grid a partir de 2017. Bem, não chega a ser exatamente uma seletiva. Trata-se, sim, de uma oportunidade agendada pela direção do campeonato para que os pilotos experimentem o carro da categoria. Tudo isso já tem data e lugar definidos. Autódromo de Interlagos, dia 15 de dezembro. Vai ser uma quinta-feira, véspera do início dos treinos para a etapa final da Sprint Race, que vai acompanhar a programação das últimas corridas do Campeonato Paulista de Automobilismo.

Thiago Marques, diretor técnico da Sprint, aposta sem medo nos atrativos do carro. O conjunto, afinal, tem causado impressões positivas ao longo das cinco temporadas de história da categoria. O carro é equipado com motor V6, que desenvolve 270 cavalos, e câmbio seqüencial. A velocidade final passa fácil dos 260 km/h. Uma particularidade é a posição do piloto, que fica sentado exatamente no meio do carro, e não no lado esquerdo, como na maioria dos carros de competições de turismo. Na última temporada, o Sprint Race ganhou um recurso adicional: a regulagem das barras estabilizadoras ao alcance dos pilotos, que deixam a frente do carro mais rígida ou mais maleável, de acordo com a exigência de cada trecho das pistas que recebem as etapas do campeonato. O conceito de categoria-escola tem atendido bem tanto os garotos recém saídos do kart quanto pilotos que buscam uma fase intermediária entre os campeonatos regionais de automobilismo e as principais séries nacionais.

A atividade de 15 de dezembro em Interlagos para os interessados em conhecer a Sprint Race tem custo de R$ 3.500,00, que cairá a zero para os pilotos que disputarem o campeonato de 2017 – esse valor será descontado da taxa de participação na próxima temporada, na verdade. O orçamento para disputar um campeonato completo continua sendo um dos mais convidativos, também. O custo para as oito etapas é parcelado em 12 pagamentos de R$ 11,6 mil – ou o dobro disso, no caso dos pilotos que preferirem não competir em dupla. Quem fechar o contrato até 10 de janeiro ganha pintura personalizada do carro, primeira aplicação de adesivos, macacão oficial da categoria e um dia de treinos na programação da pré-temporada. O primeiro a aderir ao campeonato de 2017 foi Gabriel Lusquiños.

sprint-02

O primeiro nome para 2017

marques-lusquinos

Thiago Marques, promotor da Sprint Race Brasil, e Gabriel Lusquiños, primeiro nome confirmado no grid, foi assinado no último domingo, durante a etapa de Cascavel

CASCAVEL – O campeonato de 2016 nem terminou ainda e a Sprint Race Brasil já tem em andamento a formação de seu grid para 2017. O primeiro nome confirmado na temporada do ano que vem é o de Gabriel Lusquiños, um carioca radicado em São Paulo que já estreou na categoria, gostou do que viu e aproveitou a etapa do último fim de semana em Cascavel para assinar contrato com o promotor Thiago Marques.

Lusquiños tem 22 anos. Foi picado pelo bichinho da velocidade aos 10, quando participou pela primeira vez de uma corrida de karts alugados. Há cinco anos assumiu envolvimento direto com as corridas. No ano passado, conquistou o título da Copa Brasil de Fórmula 1600. Foi quando tive contato com seu nome pela primeira vez – narrei o VT das quatro corridas que compuseram o festival da categoria em Interlagos na semana do Natal. Pelo que dizem os que convivem com ele mais de perto, é absolutamente do ramo. Em Cascavel, no último domingo, já marcou seu primeiro pódio na Sprint Race, com um terceiro lugar.

A bem da verdade, não são poucos os pilotos que estão em contato com a direção do campeonato atrás de informação sobre custos e benefícios – fatores que, no caso da Sprint Race, compõem uma relação bastante atrativa, sobretudo para os que estão avançando da fase do aprendizado no kart e para os que planejam o passo seguinte aos campeonatos regionais de automobilismo. Ao que sei, algo como uma seletiva para novos pilotos está sendo preparada para a semana da etapa final da atual temporada, que terá suas provas em Interlagos no dia 18 de dezembro.

Quem pilotou ou pilota o carro da categoria avaliza a boa impressão causada a quem vê de fora. Não foram poucos os que me manifestaram isso, dado meu contato com a categoria – narro as corridas para as transmissões do Bandsports e da PlayTV desde a primeira temporada, em 2012. Pelo sim, pelo não, basta aos interessados enviar por e-mail uma solicitação de orçamento e informações. O endereço é contato@sprintrace.com.br.

lusquino-pista

Campeão da Copa Brasil de F-1600 em 2015, Gabriel Lusquiños conquistou na etapa de Cascavel, no último domingo, seu primeiro pódio na Sprint Race Brasil, com um terceiro lugar

A Sprint Race Brasil

CASCAVEL – Produção de qualidade digna de aplausos da Rockset, seis minutos que dão uma boa noção do que é, como opção de ambiente automobilístico, a Sprint Race Brasil.

A categoria, que tem motores V6 de 260 cavalos, oferece não só uma convidativa relação custo-benefício como também configura uma opção bastante interessante para a garotada que sai do kart e para a rapaziada que iniciou trajetória nos campeonatos regionais de olho nas principais competições de nível nacional.

Vale ver.

Sprint Race no “Acelerados”

278133_586066_img_0449CASCAVEL – Um reality show onde sempre vai haver um líder, embora ninguém garante que haja um anjo escalado. Os paredões acontecem vez ou outra, faz parte do jogo. Falo, claro, da Sprint Race Brasil, que abre mais sua quinta temporada neste fim de semana em Curitiba e que terá algo como seu próprio reality show.

Isso por conta da participação dos intrépidos Cássio Cortes e Gerson Campos, jornalistas e pilotos nas horas de folga (conheço mais alguns nessa condição), que retomam em todo campeonato de 2016 a dupla que formaram no ano passado na etapa de Casavel – lembro que o Gerson foi ao pódio em segundo lugar na categoria GP.

Cássio e Gerson dividem com Rubens Barrichello a apresentação do “Acelerados”, sucesso do YouTube que já há algum tempo ganha destaque na programação das manhãs de domingo do SBT. A história está bem contadinha aqui.