Encantadores de vidas

“Encantadores de vidas”. É esse o título do livro de Eduardo Moreira que será lançado daqui a dois meses, com o selo da editora Civilização Brasileira.

O professor e preparador físico Nuno Cobra e o treinador de cavalos Monty Roberts são as guias do roteiro. O book trailer está circulando já há algum tempo pelas redes sociais:


Parte da renda da venda de “Encantadores de vidas” será destinada ao IBK, instituto filantrópico mantido pelos pilotos Tony Kanaan e Rubens Barrichello.

Anúncios

Festa veloz em Londrina

Papo bacana agora há pouco com o Kaká Ambrósio, que no último fim de semana esteve ao microfone das 500 Milhas de Londrina. A corrida teve a vigésima edição no sábado, foram 36 carros no grid, como sempre batendo data com a forte 12 Horas de Tarumã. Não acompanhei, estive cá em São Paulo envolvido com o Porsche GT3 Brasil e o Porsche Club Cup.

Kaká falou-me de uma das várias iniciativas que marcaram o número redondo, de 20 edições ininterruptas da “Londrina 500”. Um livro escrito pelo jornalista Bernardo Pelegrini, contando a história da prova – que é rica, diga-se. Chama-se “500 Milhas, 20 anos – Londrina a toda velocidade”, publicação de boa qualidade editorial, textos e fotos convivendo na medida exata. “Texto macio, escrito por um cara poeta e músico”, segundo descreve o Kaká. Vou tratar de descobrir onde compra e providenciar o meu, o Daniel Procópio deve aparecer aí na área de comentários, já, já, dando a dica.

O pessoal de Londrina sempre dá um show nas 500 Milhas. Assisti a várias edições da prova, trabalhei como locutor em três delas, é um clima de competição bem diferente daquele a que frequento o ano todo. Nem melhor, nem pior, só diferente e bem agradável. E desta vez, eu soube, substituíram a tradicional costela bovina por uma costela de carneiro “que só os deuses conhecem”, segundo a descrição do Kaká, que comeu até lamber os beiços.

A vitória na prova foi do trio da Ferrari número 33, que teve sua pilotagem revezada pelos cariocas Lucas Molo e Anderson Faria e o paranaense Beto Richa, que é o governador do estado. Sujeito que tem a mão da coisa, é piloto de corridas há 27 anos. Terminaram 12 voltas à frente do protótipo Spyder vice-campeão, pilotado por Leandro Totti e Paulo Totaro, que ficaram com a vitória no grupo 3. Odone Ranocchi e Gualter Pinheiro formaram a dupla vencedora do grupo 2, enquanto a família Pardo, representada na pista por Diego, Bruno e Admir, ganhou a corrida no grupo 4.

E desta vez, conforme informa o press-release que recebi do evento, também houve o grupo 5, com vitória de Márcio Ymagawa, Arthur Tellis e Maicom Tumiate, e o grupo 6, com Renan Pires e Reinaldo Galli Júnior em primeiro. Com tanta gente a ser premiada, e conhecendo o eleitorado automobilístico de lá, imagino quão animada tenha sido a farra no pódio, adentrando a madrugada do domingo.

Como sempre, o povo saiu das 500 Milhas já sabendo quando vai ser a 21ª edição – vai ser de 6 a 8 de dezembro. Eu, aqui de longe, já sei que vou perder a festa de novo, o que é uma pena.