Cascavel de Ouro só com a Classe 1

OURO 2020 5

O Gol G7 de Lucas Inoue/Leandro Totti e os HB20 Rspec de Rafael Lopes/Pedro Pimenta e André Bragantini/Caíto Carvalho na Cascavel de Ouro de 2018: prova de 2020 terá apenas os Classe 1 na pista.

CASCAVEL – Definir o regulamento técnico para a Cascavel de Ouro de 2019 foi uma tarefa indigesta. Conforme comentei aqui no blog dias atrás, a missão da equipe liderada pelo Paulo Nazzari, comissário técnico da Federação Paranaense de Automobilismo, e do Edson Massaro, promotor da corrida, foi a de equalizar o rendimento dos modelos de carros mais antigos com o dos mais recentes. Uma necessidade que não existe na temporada da Turismo Nacional, visto que as respectivas Classe 2 e Classe 1 formam grids separados e não há uma disputa direta entre os pilotos das duas.

É um panorama justamente oposto ao da Cascavel de Ouro, onde os R$ 150 mil em prêmios serão disputados durante as mesmas três horas por pilotos de carros enquadrados nas duas categorias. Resumidamente, em relação às regras que são praticadas na Turismo Nacional, houve uma redução do peso mínimo dos carros da Classe 2 e uma redução do diâmetro da borboleta do corpo de aceleração de um dos modelos da Classe 1, o Gol G7 da Volkswagen. Sem qualquer surpresa, houve pontas de insatisfação aqui e ali por parte das equipes.

OURO 2020 1

A corrida de 3 de novembro será a última da Cascavel de Ouro com os carros da Classe 1 e da Classe 2 compondo o mesmo grid. Categorias e premiação serão separadas a partir do ano que vem.

Bem, isso tudo é conversa para este ano, para a corrida de 3 de novembro. A edição de 2020 transcorrerá sob um formato diferente, segundo definiu ontem o Massaro – que, cabe lembrar, tem contrato com o Automóvel Clube de Cascavel para promover a Cascavel de Ouro até 2023. O que vai mudar na Cascavel de Ouro? Bem pouco, na verdade. A prova principal, com suas três horas de duração, terá apenas os carros da Classe 1 no grid a partir do ano que vem. Os da Classe 2 vão compor um grid à parte, para uma corrida com duas horas de duração. Em termos de regulamento técnico, será seguido exatamente o que estiver escrito pela Turismo Nacional na época da corrida – nem uma vírgula a mais, nem um ponto a menos.

Um primeiro efeito da adoção desse formato tende a ser a eliminação da corrida de respescagem. No ano passado, por exemplo, foram 70 carros inscritos para 55 vagas. O limite para o grid cascavelense no formato atual, com categoria única e três horas de disputas, é de 55 carros, que seguirá valendo para a Cascavel de Ouro. Na prova da Classe 2, que por ora levará o nome Copa Masso Alimentos, a tendência é de um limite um pouco menor, por conta da duração menor – nada impede que a sequência desse preparativo faça com que a prova da Classe 2 também seja levada a três horas. De qualquer modo, todos que vierem a Cascavel para correr vão de fato correr.

OURO 2020 3

Sete exemplares do modelo Hyundai HB20, que na TN compõe a Classe 1, figuram na lista de carros já inscritos para a disputa pelos R$ 150 mil em prêmios oferecidos na 33ª edição da Cascavel de Ouro.

Massaro garante no mínimo a manutenção da premiação atual, de R$ 150 mil. Hoje esse prêmio é dividido em R$ 100 mil para o vencedor, R$ 20 mil para o segundo colocado, R$ 12 mil para o terceiro, R$ 8 mil para o quarto, R$ 5 mil para o quinto e outros R$ 5 mil para o pole position. Em 2020 o pagamento dos prêmios será bem mais simples: R$ 100 mil para o vencedor da Cascavel de Ouro, R$ 50 mil para o vencedor da Copa Masso Alimentos.

O formato é bom. E por que não adotá-lo já para a corrida deste ano?, foi o que perguntei ao Massaro. Bem, as inscrições estão abertas desde fevereiro e há mais de 30 carros já inscritos. Não seria justo, segundo ele, mudar a regra do jogo com o jogo em andamento.

OURO 2020 2

A Classe 2 foi maioria no grid da Cascavel de Ouro em 2018. Tendência é de distribuição parelha entre as duas categorias no grid da prova de 3 de novembro no Autódromo Internacional Zilmar Beux.

Os regulamentos da Cascavel de Ouro

OURO 3

O VW Gol da Ymagawa Racing, do paranaense Lucas Inoue, e o Hyundai HB20 da Scuderia Fast Racing, do paulista Rafael Lopes, dois dos carros que deverão compor o grid da Cascavel de Ouro.

CASCAVEL – Saíram hoje os regulamentos técnico e desportivo que serão praticados na 33ª Cascavel de Ouro. Era intenção do promotor do evento, obviamente, tê-los divulgado algumas semanas atrás, o que não foi possível por conta do minucioso trabalho de análise de dados para equalização dos modelos atuais com os mais antigos para a corrida de 3 de novembro, que colocará em jogo no Autódromo Internacional Zilmar Beux uma premiação em dinheiro de R$ 150 mil.

Pelo sexto ano consecutivo a Cascavel de Ouro terá seu grid formado por carros da categoria Marcas 1.6, os mesmos que atualmente compõem a Turismo Nacional. Foi justamente a boa fase do campeonato brasileiro que fez demorar um pouco mais a divulgação dos regulamentos para a prova longa mais tradicional do nosso automobilismo. Isso porque lá, na TN, existem a Classe 1, para carros produzidos a partir de 2016, e a Classe 2, para os modelos fabricados até 2015. Como as duas acontecem em separado, as regras vigentes favorecem um melhor desempenho na Classe 1. A Cascavel de Ouro, pelo menos até a edição de aqui a quatro meses e seis dias, admite as duas opções em um único grid, o que suscitou a necessidade de se trabalhar a equalização de todas as idades dos carros.

OURO 4

A Cascavel de Ouro de 2018 atingiu o recorde de 70 carros inscritos. O promotor Edson Massaro trabalha com a expectativa de que pelo menos 75 estejam inscritos para a corrida de 3 de novembro.

Se bem conheço os personagens do automobilismo, vai haver algum descontentamento aqui e ali, ameaça de boicote de um outro, e para a maioria o regulamento divulgado hoje, que está disponível aqui, na página da Cascavel de Ouro no Facebook, marca a fase final da preparação da corrida, que terá algumas novidades também no campo desportivo. Uma delas, a possibilidade de participação individual – até o ano passado os pilotos tinham de integrar duplas ou trios, opções que seguem valendo. Houve até mais aceitação a isso que a organização da prova esperava. E nenhuma rejeição, já que a taxa de inscrição na corrida é cobrada por carro, e não por piloto.

Aliás, a divulgação do regulamento algumas semanas depois do previsto fez com que Edson Massaro, piloto e promotor da Cascavel de Ouro, estendesse de 30 de junho a 10 de julho a vigência do desconto de dez por cento na taxa de inscrição. Muitos pilotos esperam ter o regulamento em mãos para definir se estarão na pista ou não, o que é absolutamente natural.

A edição de 2018 teve 70 carros inscritos na Cascavel de Ouro, e 68 deles estiveram na pista – houve duas desistências na semana do evento, forçadas por questões particulares dos pilotos. Para a corrida de novembro próximo, até o momento, são 29 carros inscritos. Massaro e sua trupe trabalham com uma projeção de 75. Vale lembrar que os procedimentos classificatórios da corrida, bastante específicos, determinam os 55 que podem formar o grid da prova principal. Os demais formam o grid preliminar da Copa Masso Alimentos, que vale isenções na taxa de inscrição para 2020. Quanto à Copa Masso, ela emoldura outra mudança no regulamento desportivo de 2019: pilotos não classificados em seus carros para o grid principal podem disputar a Copa Masso e, além disso, transferir sua participação para um dos 55 que tiverem garantido vaga.

OURO 2

A meticulosa análise do regulamento técnico seguiu o propósito de, pelo menos para a edição de 2019, equalizar na Cascavel de Ouro o rendimento dos modelos novos e dos que já estão fora das linhas de produção.

Há vagas!

CASCAVEL – Pelo envolvimento que tenho com a organização da Cascavel de Ouro, recebo a todo momento sondagem de um ou de outro sobre eventuais vagas disponíveis para participação na corrida. Bati um papo rápido com algumas equipes e listei alguns carros que estão à espera de pilotos para integrar o grid de 18 de novembro no Autódromo Zilmar Beux, cá em Cascavel. Aquilo que todo mundo já sabe: três horas de corrida para dupla ou trios de pilotos, transmissão ao vivo do BandSports, premiação de R$ 150 mil para os pilotos, regulamento só para carros da categoria Marcas 1.6, configurados pelo regulamento do Campeonato Paranaense.

Bem, coloco aqui alguns dos carros que rastreei, e que podem interessar. Os contatos dos preparadores responsáveis estão indicados também. Negociem e regateiem à vontade. Se souber de mais opções, acrescento-as ao post.

OURO CELTA

Carro vice-campeão da Cascavel de Ouro em 2014 e 2015 com o piloto Júnior Caús, que participou daquelas duas corridas formando duplas com os primos – Juliano Bastos num ano, Marlon Bastos no outro. Contato é o próprio Juninho, que atende pelo número (45) 9 9982-4354.

OURO KA

O Ford Ka que cumpriu algumas temporadas no Paulista de Marcas está agora sob o domínio da Cezarotto Motorsport – lembro a canseira que tomei desse carro na final de 2016, o piloto do carro era o Nuno Pagliato. O Wyllian Cezarotto é quem resolve, podem chamá-lo no (45) 9 9940-7386.

FIESTA FERRARI

O Ford Fiesta da Ferrari Motorsport esteve na pole da Cascavel de Ouro em 2016, com Leandro Zandoná/Marco Romanini. Nascido e desenvolvido na pista de Cascavel, o carro marcou inúmeras vitórias no Metropolitano de Marcas. Contato com Edson Ferrari, (45) 9 9833-0281.

OURO FIESTA

Outro carrinho da frota da Cezarotto Motosport disponível à rapaziada que estuda as opções para a Cascavel de Ouro. Fiz uma corrida com esse carrinho em Cascavel. O Wyllian também responde por ele. Se preferirem podem chamar o Welintom Cezarotto, vulgo “Faustinho”, no (45) 9 9831-7189.

OURO GOL

O VW Gol da Sete Motorsport, que já esteve no grid em etapas do Metropolitano de Marcas aqui de Cascavel. Não sei dizer se as modelos fazem parte do pacote, mas o custo-benefício proposto pelo Juninho Sorbara me pareceu bem atrativo. Ele pode falar mais, pelo (45) 9 9947-2877.

KA CIRO

O Ford Ka da equipe goiana Classe A levou Edson do Valle e Wellington Justino ao terceiro lugar final na última edição da Cascavel de Ouro. Carro com cartel de títulos no Festival Brasileiro e na Copa Centro-Oeste. Ciro Sousa, responsável pelo carro, atende no (62) 9 9118-4832.

OURO CLIO

O Renault Clio da Ferrari Motorsport, carro utilizado pelo Gabriel Corrêa na última etapa da Turismo Nacional, em Interlagos – segundo o próprio Gabriel, um foguete, de tão veloz. Podem tratar diretamente com o Edson Ferrari, preparador e chefe de equipe, pelo (45) 9 9833-0281.

A 32ª Cascavel de Ouro já tem assegurado o recorde absoluto de carros inscritos. Preparo essa postagem contabilizando 68 carros. A lista de participantes confirmados está publicada aqui mesmo no blog e recebe atualização a cada nova adesão. São tantos os carros que teremos até uma corrida extra para duplas e trios que não obtiverem classificação ente os 55 do grid principal. Essa corrida é denominada Copa Masso Alimentos e colocará em jogo inscrições para a Cascavel de Ouro do ano que vem. Essa é a novidade do ano, que já está despertando bastante expectativa.

 

Casa cheia!

IMG-20180215-WA0035

Uma das relargadas da Cascavel de Ouro do ano passado, que teve 50 carros na pista. A corrida de 18 de novembro de 2018 teve seu grid ampliado para 55.

CASCAVEL – As pessoas ligadas ao automobilismo, vez ou outra, endereçam cumprimentos especiais ao Edson Massaro e a mim, nós dois encabeçando uma equipe de trabalho que desde fevereiro arregaça as mangas para que tenhamos, de novo, a maior e melhor edição da Cascavel de Ouro de todos os tempos. Agradecemos, como é praxe, mas não temos a resposta para a pergunta que costuma acompanhar essas gentis manifestações, e que só hoje já me foi feita duas vezes: qual é o segredo?

Não há segredo. Aliás, se há uma coisa inexistente nesse processo todo é qualquer coisa que se assemelhe a uma fórmula mágica. Apenas propusemos uma disputa sob uma fórmula que ao longo dos anos vem cultivando bons índices de aceitação de pilotos e equipes de todos os cantos do Brasil. Mas o Edson e eu não podemos disfarçar com falsa modéstia a satisfação que já temos com os números do evento de 17 e 18 de novembro no Autódromo Internacional Zilmar Beux. A Cascavel de Ouro, na 32ª edição de seus 51 anos de história, tem hoje 60 carros confirmados. Na #GoldClassic, torneio para carros clássicos e antigos que criamos para dar suporte à programação, são nada menos que 72 carros.

Falo, aqui, dos carros que já estão devidamente confirmados, com taxa de inscrição já depositada na conta do promotor e tudo mais. No caso da Cascavel de Ouro, que tem como atrativo a premiação de R$ 150 mil, todos os carros são configurados pelo regulamento da categoria Marcas 1.6, ou Turismo Nacional, como queiram. Quem chegar na frente leva, sem handicap, sem divisão de categorias. Diferente da #GoldClassic, que tem subdivisão em sete categorias, cada uma com premiação em separado a partir da soma de pontos das duas provas de cada grid. Teremos um grid para as classes Turismo Light e Speed Fusca, com uma corrida de meia hora no sábado e outra no domingo, e um grid para as classes Força Livre, Turismo Super, Gran Turismo Super, Gran Turismo Light e Fusca Cup, igualmente com uma bateria por dia.

Cada grid da #GoldClassic é limitado a 40 vagas por força das regras desportivas, a partir de uma fórmula que considera todos os números envolvidos – dimensões da pista e duração da disputa, principalmente. É uma fórmula regida pela FIA, totalmente alheia ao nosso controle ou conhecimento. Não tenho a menor dúvida quanto a preenchermos todas as 80 vagas. É a mesma fórmula que fixa em 55 carros o limite para a largada da Cascavel de Ouro, com suas três horas de duração e transmissão ao vivo do canal BandSports. Então cinco dos carros inscritos vão ficar fora?, você pode perguntar. Hoje, sim; até o fim de semana do evento serão mais. Fiz uma aposta hoje cedo, afirmei que teremos mais que 70 carros inscritos até a véspera da abertura da programação oficial.

A isso tudo somem-se os 15 carros da Sprint Race Brasil, que vai integrar o evento com as corridas de sua sétima e penúltima etapa. Nada menos que 147 carros de competição em um evento, e aí você pode perguntar outra coisa: tem espaço para tanto carro? Hoje não tem. Mas vamos criar esse espaço. Aliás, esse post seria publicado sob o título “Vai faltar espaço!”, mas resolvi mudar. A turminha do contra poderia entender como crítica.

IMG-20180215-WA0075

Até o momento são 60 os carros inscritos na disputa pelos R$ 150 mil oferecidos na 32ª Cascavel de Ouro. Apostei com um parceiro que até a véspera dos treinos oficiais vamos passar de 70.

#GoldClassic em dois grids

20160320_327_RodrigoRuiz_04866.jpg

Março de 2016, em Curitiba, na última vez em que equipes de várias partes do país se reuniram para um torneio extracampeonato. A farra em Cascavel na #GoldClassic vai ser bem maior.

CASCAVEL – Vocês que me leem vão lembrar que, num post de fim de maio (que tratei de excluir depois para evitar confusões em eventuais consultas), eu disse que por força das regras não passaríamos de 40 carros no grid da #GoldClassic. Bem, eu estava errado. Apesar da Federação Paranaense de Automobilismo nos ter instruído sobre ser esse o limite para corridas no formato do nosso torneio de clássicos e antigos em Cascavel, a coisa tomou uma proporção que num primeiro momento assustou.

A #GoldClassic, para quem não sabe, é um minitorneio que vai integrar, entre 16 e 18 de novembro, a programação da 32ª Cascavel de Ouro, no Autódromo Zilmar Beux, cá em Cascavel. Como não temos pelas bandas de cá nenhum equivalente da categoria Classic Cup, a partir do momento em que o promotor Edson Massaro autorizou a abertura de espaço para a competição dos antigos em Cascavel, fomos atrás dos pilotos do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, de São Paulo, de Minas Gerais, do Paraná – justiça seja feita, vários deles, atraídos pela notícia de que haveria a competição, é que vieram atrás de nós. E foi questão de dias para rompermos, com boa sobra, o limite de 40 carros.

Numa situação dessas, o que fazer? Como são sete as classes em disputa, a solução que formatamos foi a divisão do grupo em dois grids. Um deles, mais forte tecnicamente no que diz respeito ao potencial dos carros, vai reunir os participantes das classes Força Livre, GTS, GTL, Turismo Super e Fusca Cup. O outro, de menor velocidade e – ao que me parece – maior competitividade, terá as classes Turismo Light e Speed Fusca, esta última baseada no regulamento do Campeonato Metropolitano de Londrina, de onde vêm maioria dos inscritos. A Fusca Cup, na primeira divisão, também integrava esse grid, e acabou realocada para o grupo dos mais fortes para atendermos as demandas manifestadas.

Haverá boxes para todo mundo da #GoldClassic no autódromo?, é o que têm me perguntado praticamente todo dia. Não, não haverá. Para ninguém, aliás. Como a Cascavel de Ouro e a Sprint Race Brasil vão ocupar todos os 27 boxes disponíveis, desde o início sabemos que os belos exemplares do grid clássico serão acomodados em tendas fechadas distribuídas pela área de boxes, a partir de um mapa que já estamos estudando com método e com carinho. A probabilidade de montarmos essa estrutura na área dos boxes antigos do autódromo é muito grande. E se o novo limite estourar de novo? Bem, agora não há mais o que fazer. O máximo para cada um dos grids é mesmo de 40 carros.

A situação me faz lembrar de uma senhora que anda um tanto esquecida. Afinal de contas, estipulamos a meta, atingimos a meta e dobramos a meta. Abaixo deixo um álbum de fotos de algumas das máquinas que vão compor os grids da #GoldClassic, em novembro. Abaixo das fotos, a lista dos participantes devidamente inscritos. É essa a lista que vou atualizando conforme novas adesões forem confirmadas.

 

 

 

 

1 – Neno Oliveira (PR), VW Fusca/Sávio Sorvetes (Speed Fusca)

2 – Deninho Casarini (SP), VW Puma/Casarini Racing (GTS)

3 – Niltão Amaral (RS), VW Passat/Brazauto Racing (Turismo Super)

6 – Caio Lacerda (SP), VW Passat/HT Guerra (Turismo Super)

7 – Érico Sávio (PR), VW Fusca/Sávio Sorvetes (Speed Fusca)

8 – Cleber Fonseca (PR), Ford Escort/Fast Racing (Turismo Light)

9 – José Newton Ficagna (PR), Ford Escort/Ficagna Competições (Turismo Light)

11 – Gelson Veronese (PR), VW Apollo/Sete Motorsport (Turismo Light)

12 – César Ferro/Marcelo Rampazzo (PR/PR), VW Fusca/Feinho Racing (Speed Fusca)

13 – José Antonio Sala (RS), VW Fusca/Equipe Sala (Força Livre)

14 – Geraldo Mesquita (MG), VW Passat/Greff Motor Club (Turismo Light)

15 – Ademar Fedrigo/Luiz Gehring (PR/PR), VW Fusca (Speed Fusca)

16 – Beto Haus (PR), VW Gol/Cortina Competições (Turismo Light)

17 – Humberto Guerra Júnior (SP), VW Passat/HT Guerra (Turismo Light)

18 – Douglas Speto (SP), VW Voyage/Spirit Race (Turismo Light)

19 – Paulo Cury (SP), VW Passat/Cassarini Racing (Turismo Super)

20 – Denísio Casarini (SP), Porsche 914/Casarini Racing (Força Livre)

21 – Léo Freitas (MG), VW Puma/Greff Motor Club (GTS)

22 – Joacir Alves (PR), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)

27 – Wanderlei Berlanda (SC), GM Omega/MIG Motorsport (Força Livre)

28 – Mallaco Maam (SP), GM Opala/Odeon Racing (Força Livre)

29 – Jorge Mansur (MG), VW Fusca/Greff Motor Club (Turismo Light)

30 – Henry Grosskopf (SC), VW Brasília/HG Custom (Turismo Super)

32 – Reinaldo Cangueiro (SP), VW Karmann-Ghia/HT Guerra (GTS)

33 – Beto Lacombe (RS), VW Gol BX/Lacombe Motorsport (Força Livre)

35 – Marcos Sommer (SC), GM Chevette/Pinduca Racing (Turismo Light)

39 – Cleiton Krause (RS), Fiat Uno/Castelo Pack (Turismo Light)

40 – Tiago Schaedler (RS), Fiat 147/Fórmula Uno Racing-Fast Racing (Força Livre)

41 – Ike Nodari (SC), Fiat Uno/Bonora Racing (Turismo Light)

43 – Hamilton Morsch (PR), GM Chevette/SydiMotorsport (Turismo Light)

44 – Guilherme Fubá (MG), VW Puma/Greff Motor Club (GTS)

45 – Marcelo Tizzot (PR), VW Fusca/Tumiate Competições (Speed Fusca)

46 – Edson Massaro (PR), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)

47 – Fred Mesquita (MG), GM Chevette/Greff Motor Club (Turismo Light)

49 – Marcelo Pacheco (SC), Fiat Uno/Bonora Racing (Turismo Light)

53 – Milton Borges Vieira (PR), VW Voyage (Turismo Light)

54 – Rafael Lopes/Ricardo Domenech (SP/SP), GM Omega/RC Racing (Força Livre)

55 – Estevam Manhani (PR), VW Fusca/Grilo Motorsport (Speed Fusca)

63 – Miguel Galli (PR), VW Fusca/equipe a definir (Speed Fusca)

64 – Marcos Philippi (SP), Ford Maverick/Philippi Racing (Força Livre)

66 – Luc Monteiro (PR), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)

69 – Fernando Brock (RS), Bianco S/Eltz Racing (GTL)

73 – Flávio César (MG), GM Chevette/Greff Motor Club (Turismo Light)

74 – Fabiano Schneider (SC), GM Chevette/Pinduca Racing (Turismo Light)

75 – João Ometto Neto (SP), GM Opala/JON Racing Team (Força Livre)

77 – Luciano Cortina (PR), VW Gol/Cortina Competições (Turismo Light)

78 – Thiago Macedo (MG), GM Chevette/Greff Motor Club (Turismo Super)

83 – Antônio Pitta Neto/Tarcilo Pimentel Sobrinho (CE/CE), VW Passat/Spirit Race (Turismo Super)

84 – Miguel Beux (PR), Avallone-Chevrolet/Beux Competições (Força Livre)

86 – Anderson Baggio (RS), VW Voyage/Baggio Racing Team (Turismo Super)

88 – Júlio Saravy (PR), VW Fusca/Julião Racing (Speed Fusca)

97 – Felipe Schumann/Cesar Cardoso (RS/RS), GM Chevette/Fast Racing (Força Livre)

99 – João Cury (SP), VW Fusca/Wessler Racing (Fusca Cup)

112 – Carlos Guizzo (RS), VW Fusca/Guizzo’s (Speed Fusca)

113 – Bruno Campos (MG), VW Passat/Greff Motor Club (Turismo Super)

128 – Vanessa Mallaco (SP), VW Fusca/Odeon Racing (Speed Fusca)

133 – Duda Weirich (PR), VW Voyage/Weirich Competições (Turismo Light)

147 – Jeff Foitte/Anderson Rieper (SC/SC), VW Gol/Devassos Racing (Turismo Light)

148 – Sérgio Rocha (RS), Ford Escort/Lopes Car (Turismo Light)

192 – Anselmo Canelas Júnior (SP), VW Passat/X Power (Turismo Light)

211 – Rodrigo Pupo/Clifford Jelinsky (SC/SC), VW Fusca “Zé-do-Caixão/Devassos Racing (Turismo Light)

222 – Fábio Tokunaga (PR), VW Gol/RedFoot Racing Team (Turismo Light)

233 – Manoel Salgueiro (MG), VW Passat/Greff Motor Club (Turismo Light)

302 – Leovaldo Petry (RS), Ford Maverick/Project Motorsport (Força Livre)

333 – Tony Manhani (PR), VW Fusca/Grilo Motorsport (Speed Fusca)

339 – Rafael Schuhli/Rogério Schuhli (PR/PR), VW Puma (Força Livre)

454 – Daniel Kelemen (SP), GM Opala/RC Racing (Forca Livre)

666 – Luiz Carlos Preto/Luiz Fellipe Preto (PR/PR), VW Fusca/Grilo Motorsport (Speed Fusca)

777 – PH Costa (PR), VW Voyage/Red Foot Racing Team (Turismo Light)

888 – Júnior Herzog (PR), GM Chevette/Auto Molar (Turismo Light)

899 – Alexandre Martins/Adriano Martins (SC/SC), VW Gol/AVM Racing (Turismo Light)

911 – Ronaldo Cesar Silva/Renan Silva (PR/PR), VW Voyage/Ronaldo Racing (Turismo Light)

913 – Carlos Estites (SP), VW Passat/HT Guerra (Força Livre)

O grid da Cascavel de Ouro

INSC 03

Foto que o José Mário Dias produziu na última Cascavel de Ouro, com o VW Gol vencedor de Emílio Weiss/Marcel Sedano entre os Ford Ka de Daniel Kaefer/Carlos SG e Natan Sperafico/Gabriel Correa.

SÃO PAULO – Todo ano faço um post como esse, que vai sendo atualizado à medida em que as coisas acontecem no âmbito administrativo da Cascavel de Ouro. Aqui estão relacionados todos os pilotos já devidamente inscritos na corrida de novembro. Conforme novas inscrições forem sendo feitas, serão incorporadas ao post, também.

Na data original da postagem, 11 de maio, são (eram, para quem ler do dia 12 em diante) 31 carros inscritos, alguns deles com apenas um piloto indicado, conforme permite o regulamento desportivo. Imaginar quantos podem ser os carros inscritos até a abertura da programação, no dia 16 no Autódromo Zilmar Beux, é exercício que parece já estar rendendo alguns bolões informais lá pelas bandas de Cascavel.

0 – Marcelo Beux/Aloysio Ludwig Neto (PR/PR), GM Celta/Caús Motorsport

1 – Odair dos Santos/Thiago Klein (PAR/PR), VW Gol/Paraguay Racing-Stumpf Preparações

3 – Felipe Carvalho/Guilherme Salas/Cleiton Campos (PR/SP/SC), GM Celta/Fast Racing

5 – Marcos Cortina/Beto Vanzin (PR/PR), VW Gol/Cortina Competições

6 – Fernando Júnior/Roger Sandoval (RS/RS), GM Celta/CenterBUS-Sambaíba Racing Team

7 – Ariel Barranco/Rafael Barranco (PR/PR), VW Gol/RB Motorsport

8 – Leandro Zandoná/Paulo Pizzoni (PR/PR), Ford Fiesta/Ferrari Motorsport

9 – Alexandre Seda/Marcelo Costa/Lamartine Pinotti (RJ/RJ/SP), GM Celta/Landerson Competições

10 – Célio Vinícius/Pablo Alves (GO/GO), Fiat Mobi/Landerson Competições

11 – Marcelo Andrade/Andrei Carta/Ruslan Carta Filho (PR/PR/PR), VW Gol/Stumpf Competições

12 – Luís Santini/Alex Chicati (MT/MT), VW Gol/Paraguay Racing

16 – Richard Heidrich/Richard Anthony Heidrich (SC/SC), VW Gol/Pein Competições

17 – Jorge Martelli/Wanderlei Berlanda Jr. (SC/SC), VW Gol/MP Competições

18 – Gabriel Formentão/Cleves Formentão (PR/PR), VW Gol/SpeedCar

19 – Guilherme Sirtoli/Leônidas Fagundes (PR/PR), Ford Ka/Sergio Ferrari Racing Team

21 – Eduardo Pavelski/Nicolas Salmini (PR/PR), VW Gol/SR Competições

22 – David Muffato/Edgar Favarin/Israel Favarin (PR/PR/PR), VW Gol/Paraguay Racing-Stumpf Preparações

25 – Júnior Niju/Vinícius Roso/Bruno Ceccagno (SC/RS/RS), VW Gol/Niju Racing

28 – Marcel Sedano/Emílio Weiss (SC/PR), VW Gol/Stumpf Preparações

30 – Renan Guerra/Marlon Caús Bastos (SP/PR), GM Celta/Alpie Competições

32 – Tuca Antoniazi/Thiago Messias (RS/RS), GM Celta/Tuta Racing

33 – Gustavo Magnabosco/Eduardo Berlanda (SC/SC), VW Gol/Pein Competições

35 – Ernani Kuhn/Renan Pietrowski (MT/PR), VW Gol/Abreu Motors

37 – Marcelo Campagnolo/Gastão Weigert (PR/PR), Ford Fiesta/Seidel Preparações

41 – Lucas Bornemann/Edson Leandro dos Reis (PR/PR), VW Gol/MP Competições

43 – Anderson Portes/Juliano Bastos (PR/PR), Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team

44 – Luiz Carlos Ribeiro/Cleber Vieira/Peter Ferter (RS/RS/MS), Ford Ka/Ourocar-Charrua Racing

45 – Fabiano Cardoso/Caíto Carvalho (RS/PR), Hyundai HB20/Fast Racing

46 – Thiago Tambasco/Mauro Neuenschwander (MG/MG), GM Celta/Fast Racing

51 – Fausto de Lucca/Juca Lisboa (SC/PR), VW Gol/MIG Motorsport

53 – Wilton Pena/Lucca Paulinelli/Zigomar Júnior (MG/MG/SP), VW Gol/PaceCar Motorsport

54 – Rafael Lopes/Pedro Pimenta (SP/SP), Hyundai HB20/Fast Racing

60 – Betão Fonseca/Adriano Rabelo (SP/CE), GM Celta/CenterBUS-Sambaíba Racing Team

62 – Allan Aquino/Ingmar Biberg (PAR/PR), Ford Ka/RMP Motorsport

64 – Ricardo Sperafico/NatanSperafico/Lorenzo Massaro (PR/PR/PR), VW Gol/Jack’s-Masso Alimentos Especiais

66 – Thiago Camilo/Luiz Sérgio Sena Júnior (SP/RS), GM Celta/CenterBUS-Sambaíba Racing Team

67 – James Ramos/Pierre Sabbagh (SC/SC), VW Gol/Stumpf Preparações

72 – Davi dal Pizzol/Gustavo dal Pizzol (PR/PR), VW Gol/Roger Preparações

73 – Raphael Teixeira/Pietro Rimbano (GO/SP), Ford Fiesta/Ferrari Motorsport

74 – Guto Baldo/Júnior Caús (PR/PR), GM Corsa/Sivel Competições

77 – Wellington Cirino/André Marques (PR/SP), VW Gol/Jack’s-Masso Alimentos Especiais

84 – Diego Barroso/Cido Morais (PR/PR), VW Gol/Banco do Automóvel

88 – Cléber Fonseca/Matias Garavano/Renan Santos (PR/ARG/PR), GM Celta/Fast Racing

89 – Lucas Inoue/Leandro Totti (PR/PR), VW Gol/Ymagawa Racing

90 – Beto Pontes (CE), Ford Fiesta/Ferrari Motorsport

99 – César Bonilha/Rafael Colombari (PR/PR), VW Gol/Cesinha Competições

107 – Edson Bueno/Diogo Pachenki (PR/PR), VW Gol/Stumpf Preparações

111 – Marcos Paioli/Peter Gottschalk (SP/SP), GM Celta/Paioli Racing

113 – Rodrigo Helal/Marcelo Bambino (SP/PE), GM Celta/FP Max Sports Car

115 – Carlos Machado/Beto Monteiro (PB/PE), GM Celta/Tuta Racing-Autotech

128 – Wilians Peres/Rodrigo Bonora (PR/PR), VW Gol/Abreu Motors

132 – Gefferson de Lima/Felipe Lobo (PR/PR). VW Gol/RB Motorsport

133 – Paulo Bento/Marco Romanini (PR), GM Celta/Sorbara Motorsport

137 – Giovani Almeida/Alexandre Peppe (SP/SP), GM Celta/Alpie Competições

141 – João Lemos/Analino “Choka” Sirtuli (POR/RS), GM Corsa/Choka Car Racing

146 – Rogério dos Santos/Dorivaldo Gondra Júnior/JP Naumes (PE/PE/PR), Renault Clio/Leandro Motorsport

155 – Paulo Salustiano/Roberval Andrade (SP/SP), VW Gol/Jack’s-Masso Alimentos Especiais

177 – Gabriel Corrêa/Daniel Kaefer (GO/PR), Ford Ka/Sergio Ferrari Racing Team

246 – Edson do Valle/Wellington Justino (GO/GO), Ford Ka/Classe A-Ferrari Motorsport

333 – Paulo Henrique Costa/Fábio Tokunaga/Dario Bernal (PR/PR/ARG), GM Celta/Alpie Competições

343 – Christiano Bornemann/Marcelo Cancelli (PR/SC), VW Gol/MP Competições

514 – Claitão Salcedo/Eduardo Fuentes/Rafael Cohen (RS/RS/RS), GM Celta/Kaki Motors

666 – Luís Filgueiras/Rodrigo Moreno (MG/SP), VW Gol/AGB Preparações

771 – Gustavo Myasava/Lucas Daleffe (PR/PR), MRF Motorsports/GM Celta

777 – Wanderson Freitas/Leandro Freitas (MG/MG), VW Gol/Stumpf Preparações

950 – Igor Antunes/Anderson Oliveira (PE/PE), GM Celta/Tuta Racing-Malta Locadora

988 – Eduardo Bacarin/Alexandre Malta (CE/PE), GM Celta/Malta Locadora-Bacarin Papéis

999 – Demilson Andrade/William Gaiewski/Alisson Nurnberg (RS/RS/PR), GM Celta/Leandro Motorsport

OURO 28 - PODIO GERAL.jpg

O pódio da Cascavel de Ouro do ano passado, que teve 56 carros inscritos e 121 pilotos de 14 estados e mais o Distrito Federal. A vitória e o prêmio de R$ 100 mil ficaram com Marcel Sedano e Emílio Weiss.

Enfim, a Gold Classic!

GOLD CLASSIC - GAUCHO

As equipes da Classic Cup do Rio Grande do Sul já trataram de colocar a Gold Classic em sua agenda de eventos para 2018. Maioria desses belos carros estarão no nosso grid no dia 17 de novembro.

CASCAVEL – Faltam ainda sete meses para o evento propriamente dito, o que não significa que o trabalho em torno da Cascavel de Ouro tenha de esperar. Pelo contrário, ele já começou e já nos tem consumido muito. A 32ª edição da corrida vai acontecer no dia 18 de novembro, com premiação recorde de R$ 150 mil, transmissão ao vivo na tevê, tudo aquilo que já é sabido pelos pilotos dos carros de Marcas 1.6 em todo o país – aliás, neste ano a categoria passa a ser oficialmente tratada como Turismo Nacional, para efeito de Campeonato Brasileiro.

Bem, a programação da Cascavel de Ouro terá mais atrações. Entre elas, as corridas da sétima e penúltima etapa da Sprint Race Brasil. Essa não nos dá trabalho algum. Pelo contrário, a trupe do Thiago Marques já traz a festa prontinha da sede em Curitiba, nosso único trabalho é alocar os carros nos boxes e os treinos e corridas na tabela de programação, tarefas que já estão devidamente cumpridas. Outra atração é a Gold Classic, um torneio para carros antigos que vai ter duas corridas na véspera da Cascavel de Ouro, dia 17 de novembro. É a ela, à Gold Classic, que o post se destina.

GOLD CLASSIC - MIGUEL BEUX

Miguel Beux, de Cascavel, fará na Gold Classic a estreia em corridas do Avallone-Chevrolet ao qual tem se dedicado nos últimos 12 anos. O carro já protagonizou demonstrações em várias pistas.

Pois bem, a ideia de trazer os clássicos para a pista em Cascavel não é nova. Falo nisso desde a edição de 2015. Expus isso ao Edson Massaro depois da última Cascavel de Ouro e ele, promotor do evento e entusiasta de qualquer coisa relacionada ao automobilismo, topou na hora. Fez mais: me encarregou de fazer o negócio acontecer, motivo pelo qual aproveitei as corridas que fiz no Paulista de Automobilismo entre dezembro e fevereiro para contatar diretamente as equipes de lá a respeito. Trouxe de Interlagos um bom pacote de sugestões a respeito. Num segundo momento as equipes do Rio Grande do Sul também passaram a fazer parte da conversa, e em seguida as de Minas Gerais e as de Londrina, onde neste ano ressuscitaram a boa e velha Speed Fusca, mais boa que velha.

A primeira coisa foi configurar um regulamento técnico que contemplasse todo mundo. Não é intenção de ninguém fazer com que as equipes modifiquem seus carros para disputar um torneio de fim de ano em Cascavel. O Paulo Nazzari, que é comissário da Federação Paranaense de Automobilismo, acabou debruçado sobre os regulamentos técnicos de todos esses campeonatos que citei. Combina daqui, compara dali, e o Paulo formatou um regulamento próprio para a Gold Classic. Serão sete as categorias em disputa: Força Livre, Gran Turismo Super, Gran Turismo Light, Turismo Super, Turismo Light, Gold Speed Fusca e Gold Fusca Cup. As cinco primeiras podem ser tratadas pelas siglas FL, GTS, GTL, TS e TL, que no mundo dos vivos podem não ter muito sentido, mas são bem familiares aos pilotos e às equipes.

GOLD CLASSIC - NENE FINOTTI

Nenê Finotti, de São Paulo, vai disputar a Gold Classic a bordo de seu invejável Porsche 550. Sua equipe, a LF Preparações, terá vários outros modelos no grid. Acho que com pilotos de Cascavel, inclusive.

Uma das dificuldades que encontro quando vou correr em São Paulo está sanada para a Gold Classic, que é o pouco tempo de pista. A programação prevê cinco sessões de treinos livres de meia hora, mais uma tomada de tempos classificatória e as duas corridas, cada uma com 30 minutos e mais uma volta. O chefe de uma equipe já me disse que os treinos livres são excessivos. Respondi-lhe que melhor sobrar, como aqui, que faltar, como em Interlagos. Os pilotos não precisam participar de todos os treinos, mas acho melhor que tenham todas essas sessões disponíveis para trabalharem quanto e como acharem melhor.

A Cascavel de Ouro vai fechar um fim de semana prolongado – 15 de novembro, feriado nacional alusivo à Proclamação da República, vai ser dia reservado a treinos extraoficiais com cronometragem na pista de Cascavel. Em princípio, só para a Cascavel de Ouro. Havendo demanda das equipes da Gold Classic, já com a prévia concordância do Massaro, teremos no feriado duas horas de pista liberada para os antigos e furiosos. Não sei se já disse, mas a programação oficial da Gold Classic será toda desenvolvida nos dias 16 e 17. Três treinos livres na sexta, ficando o sábado reservado a mais dois treinos livres, à tomada de tempos e às duas corridas. Fica o domingo para as equipes de fora, que serão a grande maioria, destinarem à viagem de volta. Mais um problema resolvido.

GOLD CLASSIC - WESSLER COMPETICOES

Parte do “arsenal” da Wessler Competições. A equipe do Stanley Wessler vai integrar o grid da Gold Classic. O meu carro está ali no meio, o Fuscão vermelho com que consegui minha primeira vitória.

Outro empecilho que me foi manifestado nesse contato prévio com as equipes estava atrelado ao valor da taxa de inscrição, previamente anunciado em R$ 1.000 por carro – pode haver inscrições individuais ou em dupla, a inteiro critério dos participantes. Piloto sempre vai achar que a inscrição é cara, eu também acho quando vou correr. Busquei um meio para isso, também. Assim, quem efetuar sua inscrição até dia 31 de julho paga R$ 650. A partir de 1º de agosto voltamos aos R$ 1.000 previstos no regulamento desportivo.

Uma coisa que ainda não podemos bater no peito para confirmar é a transmissão das corridas da Gold Classic na TV e na internet. O que dá para afirmar é que temos tratado do assunto. Palpite meu, teremos essas corridas mostradas para o mundo inteiro. Os pilotos que não vierem vão poder acompanhar de casa o nosso torneio e se arrepender de terem deixado a participação para 2019.

Meu palpite para o grid de 17 de novembro? Hum… 50 carros.

GOLD CLASSIC - BETO LACOMBE

Beto Lacombe, do Rio Grande do Sul, fez questão de ser o primeiro a se inscrever na Gold Classic. Vem com o Gol BX da Lacombe Motorsport, puxado por um motorzão de 216 hp, na classe Força Livre.

Por fim, sobre o regulamento técnico: ele já existe. Os que tiverem interesse em consultá-lo podem solicitar o envio com mensagem para o meu e-mail, lucmonteiro10@gmail.com. Os que têm meu número de WhatsApp podem solicitar o regulamento por lá, também, e já o receberão no ato.

Abaixo, repico as fotos de alguns dos carros que deveremos ver em ação no feriadão de novembro no circuito mais veloz do automobilismo brasileiro. Vai ser uma festa para saudosista ou antigomobilista nenhum colocar defeito. E um grande aperitivo para a maior Cascavel de Ouro de todos os tempos.