Ação entre amigos, sem eufemismos

SPERAFICO

O macacão do vice-campeonato do Rodrigo Sperafico na Stock Car, mote do envolvimento de um grupo de amigos para que possamos contribuir um pouquinho com o Instituto Ingo Hoffmann.

CASCAVEL – Por motivos que são inteiramente dele, o Rodrigo Sperafico resolveu confiar a mim o macacão que usou na temporada de 2007 da Stock Car, aquela em que conquistou duas vitórias, se não me falha a memória em Curitiba e Tarumã, e também o vice-campeonato brasileiro. “Faz com ele o que você achar melhor”, recomendou. Fiz, depois de ouvir sugestão de alguns amigos.

E assim, sem o menor temor de ser incomodado pela Caixa Econômica Federal, que é a instituição que regulamenta grandes promoções do gênero, submeti o valioso souvenir do Rodrigo a uma rifa. Isso mesmo, uma rifa. Poderia fugir dos preceitos legais, usar eufemismos como “ação entre amigos”, que de fato é isso mesmo, mas é uma rifa. Com 200 números, obviamente de 1 a 200. Cada número vai custar R$ 50,00, que serão depositados na minha conta bancária (os mais próximos farão o pagamento em mãos), e os pretensos R$ 10 mil da arrecadação serão integralmente repassados ao Instituto Ingo Hoffmann, que tem sua sede em Vinhedo e que presta atendimento de primeiríssima linha às famílias de crianças que estão em tratamento de câncer. Campeão que é, Ingo criou o instituto na década passada como forma de retribuir à vida tudo de bom que a vida permitiu-lhe compartilhar com os fãs das corridas de carros.

Um dos nomes da lista de 200 números ganhará o macacão do Rodrigo como prêmio. Os recibos dos depósitos que farei na conta do instituto serão compartilhados com os participantes, para que se mantenha a lisura da ação entre amigos, e aqui o termo cabe sem eufemismos. A data do sorteio? Ainda não sabemos. Primeiro vamos tratar de completar a lista de participantes e de arrecadar as contribuições de todos eles para repassar à instituição. Simples assim. Tenho alguns formatos de sorteio em mente, seguramente será feito com transmissão ao vivo pela internet. Tenho lá minha credibilidade para mexer no dinheiro dos outros assim, até pela nobreza da causa – a do Ingo, no caso.

Publico abaixo a lista dos números já escolhidos e de seus donos, que entraram na brincadeira menos pelo presente do Rodrigo, mais pela oportunidade de contribuir com o instituto – que, admitamos, vem cercada de uma certa competitividade. Vou atualizar essa lista diariamente, até que esteja completa. Os interessados em participar devem indicar os números com que querem participar no post do meu Facebook onde indico a brincadeira, ou ainda comentando o post de igual teor no meu Instagram.

Que nos perdoem os diretores da Caixa, sei que as regras para iniciativas assim são um tanto mais burocráticas. Mas o Instituto Ingo Hoffmann precisa. A arrecadação caiu bastante neste ano, debite-se isso à crise financeira por que passa o país, e toda ajuda é bem-vinda.

1 – ANDERSON PORTES

2 – INGRID LUSQUIÑOS

3 – ANDRÉ MORAES

4 – LUIZ BARCELLOS

5 – LUIS FERNANDO SALES

6 – JOÃO PASSOS

7 – DÉBORA RODRIGUES

8 – SANDRA CORRÊA

9 – RENATO MARTINS

10 – FÁBIO SILVESTRE MOURA

11 – MARCIELO GIRARDELLO

12 – AURY CARLOS

13 – MARCO AURÉLIO SCHEFFER

14 – JORGE SALMINI RODRÍGUEZ

15 – TATIANE FUTEMA

16 – RENATO CONSTANTINO

17 – DANIEL KAEFER

18 – RAFAELA SCHUINKA

19 – RAFAEL CATELAN

20 – ANTONIO MOMBERG

21 – MARCELO LAVANINI

22 – BRUNO VALLE

23 – ANSELMO BRANCO

25 – NEY ROBERTO FAUSTINI

26 – SÉRGIO HELOU

27 – TOBIAS PEIXOTO SANTOS

28 – ANSELMO BRANCO

29 – PAULO TOHMÉ

30 – RONALDO DUDCZAK

31 – CRISTIANO MOMBERG

32 – ORLEI SILVA

33 – DUDA WEIRICH

34 – FELIPE RAMALHO MOMBERG

35 – VINICIUS RAMALHO MOMBERG

36 – JEFFERSON HUBNER

37 – MARCELO CAMPAGNOLO

38 – GABRIEL CASAGRANDE

39 – AMADEU RODRIGUES

40 – BETO TRENTO

41 – JOÃO LEMOS

42 – SÉRGIO HELOU

43 – AMADEU RODRIGUES

44 – JÚLIO CÉSAR FERNANDES

46 – RUDOLFO RIETH ZUIO

47 – DU CARDIM

48 – MARCOS ANDRÉ JACINTHO

49 – GABRIELA PEDRON

50 – SÉRGIO MARTINEZ

52 – GIOVANNI LUIZ PICCOLI

54 – EDSON LUIZ MASSARO

57 – NEY ROBERTO FAUSTINI

59 – JOÃO GUILHERME AGUIAR

61 – ANTONIO CARLOS REGAL

64 – GABRIEL CASAGRANDE

66 – LUC MONTEIRO

67 – LUIZ BARCELLOS

68 – CARLOS MENESES

69 – GILLIARD CHMIEL

70 – MARCO AURÉLIO SCHEFFER

71 – IAN JEPSEN ELY

72 – LUIZ EVANDRO ÁGUIA

74 – MARCO AURÉLIO SCHEFFER

76 – ANTONIO CARLOS REGAL

77 – MARCO AURÉLIO SCHEFFER

78 – ANTONIO CHAMBEL

79 – JEFFERSON HUBNER

81 – JOSÉ EDISON BENTO

82 – ANSELMO BRANCO

83 – ANSELMO BRANCO

84 – TIAGO SILVA

86 – CARLOS EDUARDO MATTOS

87 – RAFAEL VIEIRA

88 – SÉRGIO MARTINEZ

89 – VICENTE PASSARELLI

94 – GABRIELA PEDRON

96 – GELMAR CHMIEL JÚNIOR

97 – LUIZ SÉRGIO SENA JÚNIOR

99 – JOSIANNE MOMBERG

100 – RAFAEL COLOMBARI

107 – CARLOS MENESES

108 – RENATO WERLE RIBEIRO

110 – ANTONIO CARLOS GONÇALVES

111 – ANTONIO CARLOS GONÇALVES

112 – ANDRÉ MORAES

113 – RAFAELA SCHUINKA

114 – RENATO CONSTANTINO

115 – ANTONIO CARLOS REGAL

117 – NORBERTO GRESSE FILHO

119 – FÁBIO SILVESTRE MOURA

122 – INGRID LUSQUIÑOS

123 – RAFAEL COLOMBARI

127 – ÂNGELO GIOMBELLI

133 – ÂNGELO GIOMBELLI

164 – EDSON LUIZ MASSARO

166 – LUIS GUILHERME FILGUEIRAS

169 – FÁBIO SILVESTRE MOURA

171 – NORBERTO GRESSE FILHO

172 – FRANCIS TRENNEPOHL

173 – LEONARDO RAMOS

174 – JOSÉ AYRES SILVA

177 – TIAGO MENDONÇA

181 – RODRIGO RUIZ

187 – ALEXANDRE SOUZA

197 – LUIZ SÉRGIO SENA JÚNIOR

199 – ANDERSON PORTES

200 – ANTONIO CARLOS REGAL

Anúncios

Ação entre amigos

CORTINA 1

GOIÂNIA – O que vemos aí acima é um print da transmissão de TV que mostra o exato momento da saída de pista de Marcos Cortina e Cido Morais durante a segunda bateria da categoria N na sexta etapa do Metropolitano de Marcas & Pilotos, no autódromo de Cascavel. Os dois bateram logo à minha frente na saída do Bacião e foram para fora da pista, como mostram os segundos seguintes da transmissão do “Velocidade Máxima”, que estará disponível até o início da semana.

Marcos, do carro preto e vermelho que aparece em primeiro plano fora da pista, bateu forte na proteção de pneus. Seu carro, o Gol número 5 da Cortina Competições, ficou parcialmente destruído. Virou sucata, talvez dê para vender por quilo. É, era, o carro com que ele participava do campeonato desde 2012, quando ele e Antonio, seu pai, concluíram um trabalho que levou mais de três anos na montagem do carro, peça por peça, na garagem de casa, época em que corria com um modelo “quadrado” do Gol.

Sem condição financeira para substituir o carro perdido no acidente e sem admitir a hipótese de parar de competir, apesar dos sacrifícios a que se submete por conta das corridas, Marcos Cortina viu na promoção de uma ação entre amigos a chance de voltar a ter um carro de competição. Já até reservou um com alguém que deixou as corridas de lado, um monobloco em que vai aproveitar boa parte da mecânica que sobreviveu ao acidente do dia 6. Ação entre amigos que, aliás, já está lançada.

O prêmio vai ser uma TV Philips Led Full HD Skin digital com tela de 48 polegadas, essa da foto logo abaixo. Serão 100 números, cada número a R$ 120. O Marcos decidiu aproveitar a realização da Cascavel de Ouro para programar lá mesmo, em algum lugar do autódromo, o sorteio do prêmio, na presença de toda a turma do automobilismo da cidade. Sabendo disso, sugeri que fizesse no domingo, 25 de outubro, depois da corrida. Ele concordou.

Embora eu mesmo já tenha aconselhado ao Marcos que deixasse as corridas de lado, isso bem antes do acidente, vejo com alguma simpatia o esforço dele para participar desse negócio. Tem devoção pela coisa. Minha pequena colaboração para ele voltar logo à pista eu dei reservando o número 66 na lista dos participantes da ação entre amigos.

foto (2)

Fla-Flu beneficente

CASCAVEL – Camisas oficiais utilizadas por jogadores do Flamengo e do Fluminense. Estão com o Jorge Guirado, que prometeu há pouco, em seu perfil no Twitter, entregá-las a quem se dispuser a fazer doações ao Lar dos Bebês.

Aliás, o Jorjão vem dando expediente filantrópico no Twitter hoje. Vale acompanhar.

Para muitos, uma chance única. Quando rolar a do Corinthians o Jorjão já sabe a quem mandar a cobrança.

Volta rápida e arquibancada beneficente

CASCAVEL – Enquanto espero o embarque para Curitiba, já que o voo das sete da manhã foi cancelado e tornei a improvisar um airport office, vale relembrar que a etapa de sábado do Porsche GT3 Brasil terá caráter beneficente.

Os torcedores que forem ao Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais, vão participar da doação de alimentos para famílias carentes, que será intermediada pelo Instituto Social Vó Durvina. Para ter acesso às arquibancadas, cada torcedor entregará um quilo de alimento não perecível.

O Instituto Social Vó Durvina possui duas sedes, uma delas instalada no próprio autódromo. “Encaminharemos essas doações às famílias que atendemos mensalmente com cestas básicas, remédios, fraldas”, disse Elisângela Duran, assistente social. “Essa ação é muito importante, porque neste momento elas vivem em situação problemática”.

O instituto oferece cursos profissionalizantes gratuitos nas áreas de moda, beleza, corte e costura, informática e administração. “Temos uma parceria com as prefeituras de Pinhais e Curitiba, e o autódromo nos cede o espaço”, afirmou Elisângela. A instituição foi fundada em 1984 pelas filhas da avó Durvina – uma mulher enérgica, mas solidária -, que primeiramente só se reuniam para fazer artesenato, vender as peças produzidas e doar o dinheiro arrecadado às instituições. Depois surgiu a ideia de promoverem cursos profissionalizantes gratuitos. Em Curitiba, são 800 vagas. Em Pinhais, 450.

Outra ação ativada pelo Porsche GT3 Brasil em Curitiba vai levar torcedores para voltas rápidas pela pista nos carros da categoria. O funcionamento da promoção está explicado aqui.

Tuíta, Edgard!

CASCAVEL – Ontem à noite, antes de me recolher, deixei lá no meu perfil no Twitter a ideia para uma campanha. Fazer campanhas está na moda, afinal, só o que o partido da raiha faz é campanha – bem, não é a esse tipo de campanha que eu me referia.

Propus, enfim, uma campanha de sensibilização. Sob a hashtag #TuítaEdgard, o propósito é fazer com que a galera que orbita o mundo das corridas convença o mestre Edgard Mello Filho a criar, enfim, um perfil no Twitter. Sei lá se tem paciência para isso, acho até que tem. Acordei com as galinhas hoje e, numa rápida examinada na internet, percebi que o #TuítaEdgard já está ganhando adesão das massas. E das moças, também.

E quer canal mais adequado para o Edgard seguir compartilhando com a gente, quando não está narrando ou analisando em seu “Loucos por Automobilismo“, suas sacadas de gênio, suas excelentes tiradas, sua experiência vivida dos dois lados do balcão, seu jeito sempre positivo de ser e de ver?

A campanha está lançada. Vamos interditar ruas, promover piquetes, confeccionar faixas, acionar carros de som e entupir calçadas e bueiros com material impresso. Vamos fazer panfletaço nas portas das escolas e das baladas, fechar supermercados, arrecadar fundos para mensagens no rádio e na tevê, mobilizar os usuários e dependentes de redes sociais, mandar uma correspondência ao Lula. Talvez não fechemos os supermercados, não sei por que incluí isso. Deve o afã de ver uma causa nobre sendo levada a efeito.

O clamor da nação internética há de ter algum efeito. O grito que ecoa nas timelines é apenas um: Tuíta, Edgard!

ATUALIZANDO EM 9 DE OUTUBRO, ÀS 7h41:

O Leonardo Gomes informou agora há pouco que o Edgard já criou um perfil no Twitter, o @emf_autoracing. “Ele só não usa por não ter saco pra isso”, falou o Léo. A única postagem tuítica do Edgard, de 30 de março do ano passado, foi “Por enquanto estou só na moita observando como as coisas funcionam por aqui…”. É mais um motivo para a tuitosfera bradar: tuíta, Edgard!

Homem-Carro

CASCAVEL – Há uma campanha rolando para arrecadação de fundos, e dela fiquei sabendo dias atrás blog do Gomes, para que a Raquel Valadares, filha do Anísio Campos, consiga concluir o documentário sobre o pai. “Homem-Carro” é o nome do filme.

Gomes retomou o assunto ontem, vi agora. Acessei o site que viabiliza as doações, que têm valor mínimo de 20 reais e meta de arrecadação de R$ 57.318. Não compreendo a exatidão de valores quebrados, mas é o que está lá. Até as 9h52, momento em que conferi o andamento da coisa, 88 pessoas haviam contribuído de alguma forma, perfazendo arrecadação de R$ 45.941.

Recorri ao DataLuc para algumas conclusões. A primeira, de que o valor médio das doações auferidas é de R$ 522,05, o que leva a supor que alguém de bom grado e boas posses fez uma contribuição polpuda, posto que nos dias de hoje ninguém, ou quase ninguém, se dispõe a contribuir com quinhentos paus para alguma causa, por nobre que seja. A segunda, que envolveu todos os técnicos da lúquica corporação matemática, é de que 80,15% da meta foram atingidos.

O prazo para contribuição expira na próxima segunda-feira. Se a campanha não fechar o valor pretendido, toda a grana doada será devolvida a quem colaborou. Os valores podem ser doados através desse site aqui, se é que o termo doação cabe à ocasião. Prefiro fazer menção a um investimento na história que une os doentes por carros e corridas.

Se a galera do automobilismo não conseguir fechar uma causa tão adiantada quanto a arrecadação dos fundos para o filme sobre o Anísio a gente fecha a internet de vez.