Do computador para a pista

Imagem

CASCAVEL – Novidade das mais bacanas anunciada pela Sprint Race Brasil. A categoria terá em 2014 um campeonato virtual, em parceria com o F1 Brasil Clube, que já tem inscrições abertas em seu site, à taxa de R$ 100 por participante. O Sprint Race Academy, nome dado à competição que terá como base o simulador da categoria, será composto por sete rodadas duplas, cada uma com duas baterias de 25 minutos. Serão sempre aos sábados.

O prêmio é um dos mais atrativos já vistos no ramo: o campeão do Sprint Race Academy terá direito a um treino em pista de verdade, com um carro da categoria. O teste d campeão virtual na pista real acontecerá em dezembro, em Curitiba. Todos os detalhes da parceria estão no site da categoria.

A terceira temporada da Sprint Race confirma as corridas de sua primeira etapa para dia 26 de abril, em Interlagos.

Imagem

 

Anúncios

Corridas virtuais, mas de verdade

CASCAVEL – Você acabou de assistir, e se não assistiu faça o favor de clicar na setinha ali do meio, ao teaser do Brasil Le Mans Series, que vai abrir hoje à noite a temporada da categoria Endurance.

Trata-se, claro, de uma competição de automobilismo virtual, que utiliza como base o simulador do iRacing – apontado por quem é do ramo, o que não é meu caso, como um dos melhores da atualidade, sancionado inclusive para reproduzir corridas que existem de verdade, como as da Rolex SportCars Series, Fórmula Indy, Nascar e V8 Supercars.

As temporadas do BLMS seguem o sistema implementado pelo simulador e têm duração de três meses, com corridas quinzenais. Esta primeira é dividida em três categorias. A Endurance, que começa hoje, tem corridas com duração de duas horas, com subdivisão em três classes: a P2, para o protótipo HPD, GT1, com o Corvette C6.R, e também GT, em que os participantes utilizam o Cadillac CTS-VR. As etapas acontecem sempre às terças-feiras, a cada duas semanas, e têm transmissão ao vivo por canal próprio no YouTube, sempre a partir das dez da noite pelo horário oficial de Brasília. As transmissões têm vídeo de abertura e tudo mais, um luxo só. Até o spotter guide, como vemos abaixo.

SPOTTER GUIDE

Mas eu falava que o BLMS tem três categorias. A Petit Le Mans, série de acesso à Endurance, tem suas corridas às quartas-feiras, semana sim, semana não, sempre a partir das 22h30 – a primeira será amanhã. As corridas têm duração de uma hora, também em três classes: a PC, em que os jogadores utilizam o modelo Radical SR8, a GT, que engloba o Mustang FR500S e o Jetta TDI Cup, e a GTC, para os Mazda MX5.

Por fim, há a categoria Super GT, também com duração de uma hora. Essa é multimarca, com três modelos de carros devidamente equalizados em desempenho e autonomia – McLaren MP4 12C, Ford GT e Cadillac CTS-VR. Estas etapas também acontecem às quartas-feiras a partir das 22h30, também a cada duas semanas, em calendário alternado com o da Petit Le Mans.

O Brasil Le Mans Series começou semana passada com a primeira etapa da categoria Super GT, que teve participação de 22 dos 25 inscritos. A vitória foi de Anderson Mota, com Ford GT – a íntegra da corrida está aí abaixo, com narração do Guto Colvara, que é o organizador da coisa toda. Parece que a transmissão teve uns picotes no início, mas depois tudo correu tranquilamente.

Esse negócio de corridas virtuais é bem mais sério do que pode imaginar um tonto como eu. Tyler Hudson, por exemplo, ganhou um prêmio de 10,5 mil dólares pelo título mundial da Nascar virtual e estará em Homestead daqui a duas semanas para receber seu prêmio na mesma cerimônia que o campeão da Nascar da vida real. O título virtual do cara está em destaque no site da categoria de verdade.

Nesta primeira temporada, o Brasil Le Mans Series tem participação de 77 pilotos virtuais nas sete classes disponibilizadas – são 13 as equipes inscritas – e há premiação para os cinco primeiros de cada classe. Quem quiser mais informações a respeito pode pedi-las diretamente ao Guto via Twitter, ele passa o dia inteiro lá.

Ainda acabo caindo de cabeça nesse negócio.

Senna, 14 anos depois

CASCAVEL – A Folha de S.Paulo publicou em sua versão online e o Jorjão Guirado indicou o link lá no Twitter.

Aplicando dados colhidos na telemetria, a Honda fez com que a pole de Senna no GP do Japão de 1989 fosse reproduzida em 2013, com o percurso do piloto sendo reproduzido por luzes, num cenário noturno. Está tudo no vídeo aí abaixo.

Não são fracos, esses japoneses

Game a preço de ocasião

CASCAVEL – Com o automobilismo virtual acelerando para se igualar em prestígio ao vento na cara das corridas de verdade, não custa indicar esse game aqui.

Na verdade, o que não custa é indicar. O jogo, mesmo, sai por 125 mil libras, que dão quase 400 mil dinheiros brasileiros. E o simulador, vejam só, vem acompanhado de nada menos que um carro de verdade, esse aí da foto, que desenvolve 280 cavalos, atinge 274 km/h e acelera de 0 a 100 km/h em miseráveis três segundos.

Imagem

Quem deu a dica do link com a oferta pitoresca foi o Diego Ximenes, que já está juntando suas moedas para importar o kit todo da terra de Sua Majestade.

O game da Sprint Race

Imagem

CASCAVEL – A correria da semana truckística em Caruaru acabou fazendo com que uma das novidades mais legais da Sprint Race na temporada passasse sem registro aqui no blog. A categoria lançou na primeira quinzena do mês seu game oficial.

A galera que curte automobilismo e corridas virtuais já pode conferir o jogo, disponível para download no site da categoria – não há custo nenhum, o que é outra grande sacada; o usuário só precisa dispor da plataforma rFactor. Ainda não joguei, o que não surpreende ninguém. Quem experimentou garante que a fidelidade do jogo espanta.

A Sprint Race é a terceira categoria do automobilismo brasileiro a lançar seu game. A primeira foi a Stock Car. O simulador da Fórmula Truck, para plataforma Windows, foi lançado no mês passado.

Imagem

O game da Truck

CASCAVEL – Quem gosta de games e da Fórmula Truck vai se amarrar na novidade. A Reiza Studios já finalizou o jogo oficial da categoria, que vai ser disponibilizado logo, logo. O jogo simula a temporada de 2012, com todos os caminhões e pistas do calendário.

Eu, longe da condição de especialista no assunto, experimentei o jogo num simulador nos boxes da etapa de Guaporé, mês passado. No jogo, fiz uma corrida na pista de Cascavel, a que conheço melhor. O realismo dos gráficos e do áudio impressiona.

Com vários níveis de dificuldade, os jogadores terão opções para acerto de transmissão, suspensão, freios, pneus e aerodinâmica dos caminhões, num sistema desenvolvido com base nos dados de telemetria das equipes da Truck. Há opção para treino, corrida ou um campeonato todo.

Aqui, um tíser disponibilizado pelo Renato Simioni, da Reiza. Vale ver.

Pensei em manter, nesse post, a saga de aportuguesar termos em inglês. Teria citado “gueime”, em vez de game. Ficou para a próxima. Até porque o Mauricio de Sousa escreve videogueime desde sempre em seus quadrinhos, seria um plágio descarado.

ATUALIZANDO EM 30 DE NOVEMBRO, ÀS 12h49:Faltou informar que o jogo foi desenvolvido na plataforma PC, para Windows.

Narrações virtuais

CASCAVEL – O portoalegrense Guto Colvara, que eu sei ser um dos papas do automodelismo no Brasil, foi quem me chamou atenção hoje para um nicho que, de novo, não tem absolutamente nada, a não ser pra mim mesmo: o automobilismo virtual.

“Assim como dá pra aprender a pilotar em simuladores, também dá pra ‘aprender’ a narrar corridas?”, foi o que me perguntou. Dá, ora, é claro que dá. Eu deveria ter feito isso, inclusive, talvez hoje fosse capaz de prestar um serviço melhor.

Aí abaixo, o vídeo de uma das corridas narradas pelo Guto, que tem o Rafael Sanque como comentarista. Disputa completa da iGP NASCAR, segundo ele me explicou. Corrida na pista de Talladega. Conversando com ele, lembrei que um conhecido cá de Cascavel, o Rogério Pires, já me falou algumas vezes do filho dele, que narra disputas virtuais travadas entre os nomes do automobilismo de verdade.

É ou não é um verdadeiro simulador de narração, também?


Aproveitando pra fazer seu comercial, o Guto avisou que hoje à noite vai ter transmissão de uma categoria de monopostos, chamada Fórmula Brasil, na pista de Watkins Glen. A partir das 22h15, no iRacing Brasil. Na virtual, claro, é disso que estamos tratando. Não faço a mínima ideia de quem vai “correr”, mas vou tentar assistir.