Cascavel de Ouro em 3/11

screenshot_20190125-172011

A Cascavel de Ouro terá sua próxima edição no dia 3 de novembro. A premiação aos pilotos ainda não foi anunciada.

FLORIANÓPOLIS – O Automóvel Clube de Cascavel divulgou hoje o calendário de eventos para 2019 no Autódromo Internacional Zilmar Beux, anunciando 3 de novembro como data da 33ª edição da Cascavel de Ouro.

Também foram confirmadas as datas das quatro etapas do Campeonato Metropolitano de Marcas & Pilotos: 14 de abril, 9 de junho, 4 de agosto e 6 de outubro.

A volta das 3h de Joaçaba

img-20190124-wa0060

Time pronto para a largada das Três Horas de Joaçaba de 2017, última das edições da corrida, que ficou fora do calendário no ano passado e volta agora. Estarei lá para conhecer o negócio de perto.

FLORIANÓPOLIS – Empenho é total da rapaziada da velocidade da terra que já vive a expectativa de mais uma edição das Três Horas de Joaçaba. Evento confirmado para 16 e 17 de fevereiro no autódromo Cavalo de Aço. A movimentação em torno da prova lembra muito a que acompanhei nas últimas edições da Cascavel de Ouro.

Essa será, por assim dizer, a terceira edição da fase moderna das Três Horas de Joaçaba. A corrida foi disputada várias vezes na década de 80 e passou anos fora do calendário. Foi retomada com a pompa que merece em 2016, com um grid de 14 carros, todos da categoria Marcas. Vitória foi de Fausto de Lucca e Gustavo Magnabosco. Em segundo ficou o trio formado por Michel Giusti, Davi dal Pizzol e Allan Prim, à frente de Christiano Bornemann (ele prefere “Chris”) e Raulino Kreis Júnior. No ano seguinte foram 16 carros. Josias Esmerio e Flaviano Ramos formaram a dupla vencedora, com Juliano Dutra/Richard Heidrich em segundo e De Lucca/Magnabosco em terceiro. Ano passado a corrida não aconteceu e volta agora, com o maior grid da fase atual e levando o nome do patrocinador principal: Prova Scherer Autopeças.

vencedores

Gustavo Magnabosco e Fausto de Lucca venceram as Três Horas de Joaçaba em 2016. No ano seguinte, a vitória foi de Flaviano Ramos e Josias Esmerio.

Quando falo em maior grid, ele já está assegurado. São 19 os carros inscritos até agora. O limite é de 28 e os promotores Juliano Dutra e José Junqueira andam bem sorridentes diante da possibilidade de atingirem esse patamar. Com mais um carro na lista a faixa de premiação em dinheiro para os três primeiros colocados na corrida passa automaticamente a R$ 7 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil – por ora, por ter sido rompida a barreira de 15 carros, esses valores são de R$ 3 mil, R$ 2 mil e R$ 1 mil, conforme estipula o regulamento desportivo.

Nota imperdoável do meu ainda parco currículo de andanças pelo automobilismo, nunca estive em um autódromo de velocidade na terra. E já me falaram ao pé do ouvido, aqui, que o Cavalo de Aço de Joaçaba é o traçado que separa os homens dos meninos, bordão que todos usam para se referir ao traçado de Cascavel. Vou dar um jeito de aparecer desta vez. Se não for para correr, pelo menos para ver esse troço de perto. As fotos do post, todas da lavra do Victor Lara, já dão uma ideia de como o negócio é legal.

A quem interessar possa, a taxa de inscrição é de R$ 1.500,00 por carro, podendo ser dois ou três os pilotos do carro. O número de contato do Juliano é (49) 9 9116-6019; o do Zé, (49) 9 9915-0572. Abaixo reproduzo a lista dos nomes já inscritos, que identificam 17 carros. Outro, inscrito pela MP Competições, ainda não tem a indicação dos nomes dos pilotos. E mais um, que consolidou a nona inscrição cronológica do evento, é de uma dupla de São Paulo que vou atualizar na relação assim que obtiver os nomes.

img-20190124-wa0121

O circuito Cavalo de Aço, em Joaçaba, é um dos mais desafiadores da velocidade na terra nacional. Os pilotos inscritos nas Três Horas vivem a expectativa do maior grid da história do evento.

2 – Josias Esmerio/Flaviano Ramos

12 – Dirceu Rausis/Eduardo Berlanda

15 – Rafael Balestrin/Naor Petry

16 – Afonso Bastos/Alexandre Bastos

17 – Eduardo Pavelski/Juninho Berlanda

19 – Juliano Dutra/Bernardo Junqueira

32 – Gefferson de Lima/parceiro a definir

41 – Lucas Bornemann/Edson Leandro dos Reis

44 – Tarsis Hildebrando/parceiro a definir

51 – Fausto de Lucca/Gustavo Magnabosco

72 – Igor Waczyleski/Michel Levi

79 – Israel Salazar/Ezequiel Salazar

141 – Mário Bernardi/Daniel Elias

151 – Leopoldo Mess/Richard Heidrich

197 – Guilherme Ragnini/Roberto Bonato

217 – Juca Lisboa/Daniel Hoffmann

343 – Chris Bornemann/Marcelo Cancelli

 

 

Copa HB20: Odair dos Santos

Foto: Rodrigo Aguiar Ruiz

Odair dos Santos confirmou presença no grid da Copa HB20 em sua quinta temporada como piloto de corridas, levando à categoria as cores da Paraguay Racing

FLORIANÓPOLIS – Com início previsto para março, a primeira temporada da Copa HB20 tem anunciado o primeiro nome de seu grid. Primeiro a ter me confirmado participação, no caso. Odair dos Santos confirmou que estará na disputa pelo título da competição monomarca da Hyundai, que terá na pista o modelo hatch equipado com motor 1.6. Odair, que não recusa o apelido “Paraguaio Voador”, vai pilotar o carro número 74, levando as cores da Paraguay Racing a mais uma série nacional.

Piloto de automobilismo desde 2015, ano em que criou a Paraguay Racing, Odair dos Santos passou por inúmeros campeonatos regionais e estaduais da categoria Marcas – Metropolitano de Cascavel, Paranaense, Paulista e Copa Centro-Oeste, por exemplo. Ainda com carros de tração dianteira, motor 1.6 e pneus radiais, como o que vai conduzir na Copa HB20, venceu em 2016 a 30ª edição da Cascavel de Ouro, formado dupla com seu compadre Thiago Klein. A trajetória contemplou, ainda, passagem por competições de maior projeção. Foi ao pódio das 500 Milhas de Londrina no primeiro ano de envolvimento com as corridas, cumpriu duas temporadas da hoje sabática Copa Petrobras de Marcas, conquistando em 2017 o título brasileiro da classe Trophy, fez duas participações no Porsche GT3 Cup Challenge em 2017, dedicou-se à Stock Light no ano passado ao mesmo tempo em que disputou três etapas do Brasileiro de Marcas, vencendo as duas provas da etapa de Cascavel e amealhando em Goiânia e Interlagos mais troféus para a já numerosa galeria que mantém em Ciudad del Este.

O carro da Copa HB20 Motorsport foi desenvolvido ao longo da temporada de 2018 da Turismo Nacional pela Scuderia Fast Racing, pela qual o piloto e chefe de equipe Fabiano Cardoso, do Rio Grande do Sul, conquistou o título da classe 1A, tida como a principal da competição. O modelo registrou vitória em metade das 24 corridas, sendo 11 com o próprio Fabiano e uma com o paulista Rafael Lopes.

O grid previsto para a Copa HB20 é de aproximadamente 25 carros, todos preparados pela mesma equipe. O pacote oferecido aos pilotos inclui operação logística, fornecimento do carro, insumos e atendimento técnico em pista – tudo, em resumo, é o formato em que, como dizemos, o participante só leva o próprio capacete para a pista. O calendário com datas e locais das oito etapas é aguardado para os próximos dias, talvez próximas horas – é sempre conveniente lembrar que as etapas vão integrar a programação dos eventos da Copa Truck. Serão duas corridas por etapas, com exibição pelo BandSports. Na apresentação do campeonato, feita em novembro durante o Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, o orçamento proposto para a temporada completa era de R$ 200 mil.

hb20

Com oito rodadas duplas, a Copa HB20 vai integrar os eventos da Copa Truck, com grid estimado em 25 unidades do hatch 1.6 da Hyundai. E as duas fotos que ilustram o post são da lavra do Rodrigo Ruiz.