Na íntegra: Sprint Race 2017, 4/8

CASCAVEL – A primeira metade da sexta temporada da Sprint Race Brasil terminou no último fim de semana de julho, em Interlagos, com a Guest Race. Foi a segunda edição da etapa, em que os pilotos regulares da categoria têm a parceria de grandes nomes das principais séries do país correndo como convidados em uma bateria extra e somando pontos para o campeonato de seus anfitriões.

Alexandre Navarro e a galera da AN09 produziram aquela quarta etapa de 2017, que narrei para exibição no BandSports e na PlayTV.

O próximo encontro da Sprint Race Brasil, no dia 24 de setembro, acontecerá em Mogi Guaçu. Será a primeira vez da categoria no interessantíssimo Velo Città.

Anúncios

Na íntegra: Porsche Império GT3 Cup, 4/9

CASCAVEL – O último fim de semana foi de corridas bem interessantes no Porsche Império GT3 Cup Challenge Brasil, com a quinta etapa em Termas de Río Hondo. Foi a penúltima do campeonato de corridas de curta duração. As duas próximas, no Velo Città e em Goiânia, serão válidas pelo Endurance Series, outro formato de disputa. O formato do evento, aliás, vai ser pauta por aqui nas próximas semanas. Se bem conheço meu eleitorado porschístico, podem e devem estar pintando novidades para 2018.

Enfim, enquanto a GT3 Cup finaliza a metódica viagem de volta da Argentina, é tempo de revermos o que rolou na etapa anterior, a quarta, disputada três semanas antes em Buenos Aires. As etapas argentinas tiveram, excepcionalmente, quatro corridas cada, duas em cada categoria. Transmitimos todas elas ao vivo na internet, com minha narração e comentário do Marcelo Gomes.

Todas estão no mesmo link, que tem mais de oito horas de duração – o contato no YouTube é ininterrupto e o intervalo entre as corridas é determinado por um grafismo apresentado na tela. Para que vocês se localizem mais facilmente, indico aqui os pontos do vídeo que têm o início de cada prova. Na classe Challenge, a transmissão das corridas começa aos 10min55s e a 3h18min58s. Na Cup, o início das corridas aparece a 1h56min17s e a 7h09min36s.

Os nomes da Cascavel de Ouro

OURO VANDRE

Já exibida por aqui, a foto que o Vandré Dubiela produziu momentos antes da largada de 2015, ano em que a Cascavel de Ouro assumiu seu real tamanho no cenário nacional, é uma das minhas preferidas.

CASCAVEL – Uma das coisas que mais têm me perguntado nos últimos dias é quem são os pilotos que vão disputar a Cascavel de Ouro. A corrida tomou tamanha dimensão a ponto de, impressão minha, as pessoas duvidarem um pouco do estardalhaço que o evento de 5 de novembro vai alcançar. Vai ser, como vocês sabem, a 31ª edição, marcando os 50 anos de história da corrida longa mais tradicional do automobilismo brasileiro na atualidade. Sem bairrismos, as 12 Horas de Tarumã, evento de irrefutável grandeza nesse nosso esporte, tiveram sua história iniciada já em 1971, quatro anos depois da primeira edição da Cascavel de Ouro no poeirão aqui do centro da cidade.

Vai ser um domingo para lembrarmos pelo resto de nossas vidas, nós que estamos envolvidos com a edição dos 50 anos da Cascavel de Ouro. Que vai premiar os vencedores com R$ 100 mil em dinheiro, coisa inédita em eventos do gênero no Brasil. Que vai ter transmissão ao vivo do BandSports. Que vai premiar os dez primeiros colocados com troféus bonitos como penso que nunca se viu pelas bandas de cá – eles, os troféus, serão apresentados aos pilotos e à imprensa em setembro. Que vai ter, pela primeira vez, uma corrida de repescagem para que saibamos quais serão os 50 carros classificados à disputa pelo prêmio inédito durante as três horas de prova. Que vai ser do caralho.

COPA ECPA

Foto do Adilson Zavarize em etapa recente da Copa ECPA, com carros de quatro marcas no mesmo ritmo. Esse é o grande barato da categoria Marcas & Pilotos 1.6, que forma o grid da Cascavel de Ouro.

Bem, o que mais tenho feito nos últimos dias é conversar com pilotos e chefes de equipe da categoria Marcas & Pilotos 1.6, a que forma o grid da Cascavel de Ouro. A primeira preocupação de maioria deles, compreensível, era consultar o regulamento desportivo, que está disponível no site da Federação Paranaense de Automobilismo. O regulamento técnico, acho que todos os interessados já sabem disso, é o mesmo que rege o Campeonato Paranaense da categoria.

O Caio Carvalho e o Edson Massaro, que neste ano arregaçaram as mangas e assumiram a promoção da Cascavel de Ouro, apostam entre 65 e 70 carros inscritos. Daqui a uma semana teremos uma noção mais precisa das chances disso acontecer. Isso porque há um desconto de R$ 1.000 sobre a taxa de inscrição para as participações que forem confirmadas até 31 de agosto. Essa taxa é de R$ 4.500 por carro – logo, todos querem definir a vida o quanto antes para depositar apenas R$ 3.500 e enviar o comprovante de depósito ou transferência juntamente com a ficha de inscrição preenchida para o e-mail da organização do evento, cascaveldeouro2017@gmail.com.

COPA CENTRO-OESTE

A movimentada Copa Centro-Oeste, organizada em Goiânia pelo bonachão Joel Júnior, também terá um bom número de pilotos inscritos na edição cinquentenária da Cascavel de Ouro.

Pois bem, o propósito desse post era, ainda é, tratar dos nomes que vão compor o grid no Autódromo Internacional Zilmar Beux no dia 5 de novembro. Ao fim do post indico a lista dos que vão participar da corrida com certeza, vários deles inclusive já devidamente inscritos. Uma lista que vai aumentar bastante até 3 de novembro, data de início dos treinos livres da programação da prova. Uma dica interessante, sobretudo para pilotos e equipes de outras praças: a quinta-feira anterior à corrida, 2 de novembro, será inteira reservada a treinos livres em que teremos serviço de cronometragem à disposição das equipes. Uma maneira agradável, é assim que eu vejo, de aproveitar o feriado de Finados.

A lista que vou indicar abaixo ainda está desfalcada de vários nomes que também vão correr a Cascavel de Ouro. Começo relacionando apenas quem já está com o esquema definido ou perto disso. Mas podem colocar nessa conta, também, os nomes que seguem. De Cascavel, além dos campeões brasileiros Luis Fernando Pielak e Leandro Zandoná – esse inclusive já venceu a Cascavel de Ouro -, estarão na pista Paulo Pizzoni, Beto Vanzin, Marcos Cortina e Diego Barroso. Londrina vai comparecer pelo menos com Cesinha Bonilha, Enrico Bucci e André Jacob, casualmente todos pela mesma equipe, ainda estão definindo as parcerias para as duplas e os trios. Curitiba não pode ficar fora dessa especulação, então ponho aqui o nome do Duda Bana. Do automobilismo goiano, podemos incluir Rogério Castro, Giuseppe Vecci, Pablo Alves, Gustavo Veronez – Larissa Cruzeiro já avisou que ela e o pai Rogério Cruzeiro estarão fora do grid, posição que imagino ser revertida até novembro.

O automobilismo mineiro deve comparecer com os irmãos Leandro e Wanderson Freitas, Wilton Pena, talvez o Gustavo Mascarenhas (esse é mero palpite). Pena, imagino, vai formar dupla com Zigomar Júnior, que é nome das corridas paulistas, como Eduardo Doriguel, Juka Gandelim, Alexandre Souza, Luis Piccolo, Eber Gomes, Alexandre Peppe, os irmãos Gustavo e Vicente Passarelli, Caê Coelho, Cláudio Ramenzoni e Witold Ramasauskas, outros que deverão dar as caras pelas bandas de cá de macacão e capacete no início de novembro. Isso sem contar os cariocas Alexandre Seda, Francisco Júnior, Marcelo Costa e Paul Lanfredi e o capixaba Jefferson Hubner, que também acredito ver na churrascada da véspera da corrida no autódromo. Acho que não deveria ter mencionado a churrascada, mas ao que sei os costelões já estão até encomendados, então não tem problema. Sem contar a rapaziada do Nordeste. O Marcelo Bambino me garantiu que vem mesmo que seja a pé para participar da corrida. Carlos Machado e Alexandre Malta são outros amigos de lá que acredito ver na pista por aqui. E não esqueçamos da galera do Distrito Federal, como André Massuh, Fernando Dalabona e Thiago Azalini.

Bem, como já falei, os nomes dos dois parágrafos acima não integram a lista inicial de participantes que reproduzo aí abaixo. E, desses já citados, o #DataLuc estabelece que no máximo cinco vão deixar de vir. Esse post vai receber atualizações e mudanças sempre que a conveniência da situação assim sugerir.

NORDESTAO 2

O automobilismo do Nordeste, que conheci de perto numa tentativa de participar em julho do Campeonato Pernambucano, também terá seus representantes na corrida de 5 de novembro em Cascavel.

Finalizando: tem mais nomes já definidos que, por um motivo ou outro, ainda não devem ser citados. Não me meto nas razões de cada um e respeito a privacidade solicitada. Enfim, vejam aí quem são os pilotos que vão compor a festa da Cascavel de Ouro, que como lembrou ontem um amigo gaúcho é o maior evento automobilístico do país na categoria Marcas & Pilotos – diante da observação, aliás, fico grato pela parte que me toca.

0 – Rafael Suzuki/Renato Constantino/Luciano Lobão (SP/DF/DF), VW Gol/Paraguay Racing

2 – Júnior Caús/Ingmar Biberg (PR/PR), GM Celta/Caús Motorsport

3 – Felipe Carvalho/Guilherme Salas (SP), GM Celta/Sensei-Sorbara Motorsport

6 – Fernando Júnior/Clemente Moroni (RS/RS), GM Celta/CenterBus-Sambaíba

7 – Ariel Barranco/Rafael Barranco (PR/PR), VW Gol/RB Motorsport

8 – Guto Matiazzi/Marcos Regadas/Antonio Canedo (PR/MA/SP), VW Gol/Paraguay Racing

9 – Miguel Laste/Ricardo Sperafico/Rodrigo Sperafico (PR/PR/PR), Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team

10 – Célio Vinicius/Gabriel Correa (GO/GO), Ford Ka/Classe A-Ferrari Motorsport

11 – Fabiano Cardoso/Tuka Antoniazzi (RS/RS), GM Celta/Fast Racing

12 – Vilmar Malagi/Conrado Pontes (PR/RJ), Ford Fiesta/Ferrari Motorsport

13 – Galid Osman/André Bragantini (SP/SP), GM Celta/Sensei-Sorbara Motorsport

14 – Marcelo Beux/João Paulo Gelain (PR/PAR), VW Gol/Speed Car

17 – Daniel Kaefer/Carlos “SG” Souza (PR/PR), Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team

18 – Cleves Formentão/Gabriel Formentão (PR/PR), VW Gol/Speed Car

19 – Guilherme Sirtoli/Leônidas Fagundes (PR/PR), Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team

22 – Israel Favarin/Edgar Favarin (PR/PR), VW Gol/Paraguay Racing

23 – Beto Monteiro/David Muffato (PE/PR), GM Celta/Sensei-Sorbara Motorsport

27 – Natan Sperafico/parceiro indefinido (PR), Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team

28 – Marcel Sedano/Valmor Emílio Weis (SC/PR), VW Gol/Stumpf Preparações

29 – Raphael Teixeira/Hélio Brandão (GO/GO), GM Corsa/Brandão Motorsport

32 – Fernando Fortes/Raijan Mascarello (SP/MT), GM Celta/Tuta Racing-Autotech

33 – Caíto Carvalho/Paulo Bento (PR/PR), GM Celta/Sensei-Sorbara Motorsport

37 – Marcelo Campagnolo/Gastão Weigert (PR/PR), GM Corsa/Sivel Competições

39 – Roney Ribeiro/Felipe Braz (PR/PR), VW Gol/Stumpf Preparações

41 – João Lemos/Analino “Choka” Sirtuli (POR/RS), GM Celta/Choka Car Racing

43 – Juliano Bastos/Anderson Portes (PR/PR), Ford Ka/Sérgio Ferrari Racing Team

44 – Luiz Carlos Ribeiro/Pierre Ventura/Peter Ferter (RS/RS/RS), Ford Ka/Ourocar

46 – Edson Massaro/parceiro indefinido (PR), VW Gol/Speed Car

60 – Betão Fonseca/Adriano Rabelo (SP/CE), GM Celta/CenterBus-Sambaíba

64 – Lorenzo Massaro/Paulo Salustiano (PR/SP), VW Gol/Speed Car

66 – Luís Filgueiras/Rodrigo Moreno (MG/SP), VW Gol/AGB Preparações

69 – Andrei Carta/Ruslan Carta Filho (PR/PR), VW Gol/Stumpf Preparações

71 – Wyllian Cezarotto/Eber Gomes/Pablo Vaz (PR/SP/GO), Ford Fiesta/Cezarotto Motorsport

72 – Gustavo dal Pizzol/Davi dal Pizzol (SC/SC), VW Gol/Pein Competições

73 – Leandro Totti/Maicom Tumiate (PR/PR), VW Gol/AGB Preparações

74 – Thiago Klein/Odair dos Santos (PR/PAR), VW Gol/Paraguay Racing

77 – Raphael Reis/Serafim Júnior (GO/RJ), GM Celta/equipe indefinida

86 – Gustavo Frigotto/Nicolas Salmini (PR/PR), Ford Fiesta/Paraguay Racing

87 – Michel Giusti/Jorge Martelli (SC/SC), VW Gol/MP Competições

88 – Leandro Zandona/Paulo Pizzoni (PR/PR), Ford Ka/Ferrari Motorsport

99 – César Bonilha/Juca Lisboa (PR/PR), VW Gol/Cesinha Competições

107 – Edson Bueno/Diogo Pachenki (PR/PR), VW Gol/Stumpf Preparações

117 – Gustavo Myasava/Pedro Saderi (PR/PR), GM Celta/MRF Motorsport

118 – João Naumes/Alisson Nurnberg (PR/PR), VW Gol/MP Competições

128 – Wilians Peres/Guto Baldo (PR/PR), VW Gol/Abreu Motors

133 – Gustavo Magnabosco/Eduardo Berlanda (SC/SC), VW Gol/Pein Competições

146 – Rogério dos Santos/Dorivaldo Gondra (PE/PE), GM Corsa/Fast Racing-Jeg Team Racing

174 – Alexandre Seda/Francisco Paiva Júnior (RJ/RJ), GM Celta/Grupo TMC-Landerson Competições

169 – Gilliard Chmiel/Gelmar Chmiel Júnior (PR/PR), VW Gol/Chmiel Competições

177 – Lúcio Seidel/parceiro indefinido (PR), Ford New Fiesta/Seidel Preparações

213 – Nuno Pagliato/Marcelo Gomes (SP/SP), Ford New Fiesta/Ferrari Motorsport

246 – Edson do Valle/Wellington Justino (GO)/GO), Ford Ka/Ferrari Motorsport-Classe A

332 – Mário Garibaldi Filho/Rafael Colombari (PR/PR), VW Gol/RedFoot Racing Team

333 – Fábio Tokunaga/PH Costa (PR/PR), VW Gol/RedFoot Racing Team

555 – Leandro Reis/Renato Braga/Leandro Romera (GO/GO/SP), GM Celta/Pimba Competições

CASCAVEL

Os carros do Metropolitano de Cascavel, claro, estarão todos, ou quase todos, na lista de inscritos. E aproveito para mostrar o carro com que participei da última corrida pelas bandas de cá, o rápido Fiesta da Cezarotto Motorsport. A vaga de parceiro do Wyllian Cezarotto ainda está disponível, diga-se.

Na íntegra: Dopamina Endurance, 1/6, 2/6 e 3/6

CASCAVEL – Fechando a mala aqui para viajar a Santa Cruz do Sul, de onde amanhã vou narrar a quarta etapa nacional do Dopamina Endurance, lembrei que dias atrás um amigo me perguntou o motivo de eu não compartilhar aqui no blog as transmissões das corridas da categoria, que neste ano colocam em disputa, em várias classes, os títulos do Campeonato Brasileiro das provas de longa duração. São transmissões que disponibilizamos ao vivo na internet e que depois, em versões editadas de uma hora, são exibidas na programação do BandSports. Bem, nada respondi ao amigo em questão, porque resposta plausível não há. Puro esquecimento, na verdade.

Bem, sempre é tempo. Nossa temporada começou ainda no mês de março, com as Três Horas de Tarumã. Narrei aquela corrida tendo como comentarista o piloto gaúcho JB Rodrigues, especialista no assunto. Conheci-o naquele dia, e trabalhar ao lado dele deu-me a falsa e grata impressão de termos anos de entrosamento. JB estará comigo amanhã na transmissão ao vivo em Santa Cruz do Sul, também.

A disputa teve sequência no dia 24 de junho, com as Três Horas de Curitiba, segunda etapa do campeonato. A transmissão da corrida começa a 1h24min do vídeo – antes disso, dá para acompanhar como foi a segunda etapa do divertido Campeonato Brasileiro de Turismo 1600.

No fim de julho tivemos os 500 Quilômetros de Interlagos encerrando a primeira metade da temporada de 2017. O Marcelo Gomes esteve comigo na cabine de transmissão, e Bruno Monteiro fez o trabalho de reportagem nos boxes – logo, repetimos a trinca das transmissões do Porsche Império GT3 Cup Challenge Brasil.

Bem, o sábado vai ser de Dopamina Endurance. Estaremos ao vivo nos canais de YouTube do Auto+ TV e do Endurance Brasil. Os perfis de Facebook da empresa e do campeonato também vão repicar a transmissão.

Na íntegra: Porsche Império GT3 Cup 2017, 3/9

CASCAVEL – É tempo, sempre, de ver e rever os bons momentos do Porsche Império GT3 Cup Challenge Brasil. Para manter a sequência de compartilhamentos cá do blog, trago hoje as corridas que compuseram a terceira etapa da temporada, ainda no início de junho. Etapa disputada no Velo Città, para onde a direção do campeonato confirmou hoje a sede da sexta etapa, no dia 16 de setembro – o evento aconteceria em Interlagos, onde sem maiores surpresas o autódromo estará fechado para as intermináveis obras de reforma pré-Fórmula 1.

Transmitimos todas elas ao vivo na internet com geração de imagens da Master/CATVE. Eu narrei, tendo o Marcelo Gomes como comentarista e o Bruno Monteiro – não somos parentes – como repórter. As corridas foram apresentadas no dia seguinte pela Rede Bandeirantes.

Como de praxe, a programação no Velo Città começou com a primeira corrida da categoria Cup.

Pela categoria Challenge, como é praxe do regulamento para as corridas realizadas em pistas brasileiras, a etapa teve corrida única.

E o complemento da etapa mogiana, logicamente, teve a segunda corrida da categoria Cup.

Depois disso aconteceu também a etapa de Buenos Aires, falaremos dela na semana que vem. E o próximo encontro do campeonato, também na Argentina, vai acontecer na semana que vem, no belíssimo autódromo de Thermas de Río Hondo.

Nossa história na Globo

CASCAVEL – Já devo ter mostrado por aqui, o que não é o menor problema. Sempre uma delícia reviver a história do autódromo de Cascavel através da reportagem que o “Globo Comunidade” exibiu no finzinho de 2005. Num trabalho coordenado pelo Luiz Sonda, que três anos mais tarde seria meu professor na faculdade de Jornalismo, a equipe da RPC, afiliada da Globo pelas bandas de cá, garimpou ouro puro para mostrar a quem quisesse ver e ouvir quão rica é a história desse esporte na cidade.

Revi agora o material, antes de compartilhá-lo com vocês. As maluquices dos anos 60 e 70, a inauguração da pista asfaltada, o riso debochado de Nelson Piquet, as lágrimas de David Muffato como campeão brasileiro, a tragédia que no mês que vem completa 30 anos, o saudoso Delci Damian manifestando seu sonho de ver a Stock Car voltando a Cascavel – partiu do nosso meio antes disso -, a nostalgia no tom de voz dos igualmente saudosos Zilmar Beux e Saul Caús,

Ao se despedir ao fim da reportagem, Sonda frisou que naquela tarde a Cascavel de Ouro daria sequência à história do automobilismo de Cascavel. E deu. Edgar Favarin e Flávio Poersch venceram, pilotando um simpático Escortinho que dez anos depois acabaria parando nas mãos de um jornalista e narrador pequenino que resolveu arriscar umas aceleradas. É legal poder contar pro filho, em que pese a dose de exagero, que também faço parte da história daquele lugar.

As caras da capa

20170810_210859

A capa da “Grid” que me pôs no rumo de trabalhar com corridas de carros. Pena minha revista ter se perdido no tempo.

CASCAVEL – Postaram hoje no Facebook essa capa da “Grid”. Fevereiro ou março de 1989. Essa revista, refiro-me especificamente a essa edição, acabou tendo uma importância gigantesca nos rumos que minha vida tomaria nos anos seguintes.

Comprei-a por volta de julho ou agosto daquele ano. Sempre a via pendurada no mesmo lugar do varal da banca de jornal da Avenida Brasil em frente à Loja Soesma, onde hoje existe o Restaurante Monte Verde, quando por ali passava num ônibus da Viação Pioneira a caminho da redação do jornal. Tinha acabado de completar 12 anos, mas já frequentava a redação do jornal alimentando o sonho de seguir os passos do Leodefane e virar chargista. Eu era bom de traço e tinha acabado de tomar gosto pelas corridas de Fórmula 1, eram dois dos motivos que me faziam querer aquela “Grid” do varal. Enquanto pessoas subiam e desciam no ônibus no ponto ao lado da banquinha eu observava da janela e ficava encantado com as geniais caricaturas de Piquet, Senna, Moreno e Gugelmin produzidas pelo Eugênio Colonese para a capa. Eu tinha que reproduzir aquelas caricaturas. Consegui algumas, após ecaustivas tentativas. Pus na cabeça que teria de conhecer Colonese; nunca o conheci, sequer sei se é brasileiro ou se ainda vive.

O sentimento foi de conquista do mundo quando enfim convenci meu pai a abrir a mão e me prover os cruzados de que precisava para a tão esperada aquisição. Ela veio acompanhada de um livrinho de capa azul impresso em papel-jornal com tipografia bem pobre que trazia todas as estatísticas da F-1, uma arqueologia em tempos pré-internet. Com um pouco de sorte o livrinho azul ainda deve sobreviver entre as minhas tralhas que ficaram lá na casa da mãe. Ora, eu tinha as estatísticas na escrivaninha do quarto, um indicativo óbvio de que teria de me tornar um especialista em corridas.

Bem, jamais me tornei especialista em coisa alguma, o sonho de viver dos meus traços durou bem pouco, a “Grid” deixou de existir poucos anos depois de eu saltar do ônibus três pontos antes da redação do jornal para enfim comprar a edição que trazia as quatro caricaturas na capa. Estava envolvida num saquinho plástico, o que foi crucial para preservá-la até que nos uníssemos e ela tivesse sua boa parcela de responsabilidade no meu destino.

Pena minha “Grid” com caricaturas na capa ter se perdido no tempo, um tempo que revivi agora vendo uma foto na internet.