Basso estreia na Copa Petrobras

CASCAVEL – O novo ano ainda não chegou, mas sua movimentação automobilística já transcorre a pleno. Na Copa Petrobras de Marcas, por exemplo, já há equipes definindo ou redefinindo times de pilotos para a temporada que vai começar em Curiiba nos dias 5 e 6 de março.

É o caso da Onze Motorsport, que estreou em 2015 e conquistou quatro vitórias. Quem vai estrear na categoria com um dos GM Cruze do time paulista é Márcio Basso.

FB_IMG_1451234493266Representante da cidade de Ribeirão Preto, no interior paulista, Basso terá em 2016 sua segunda temporada completa no automobilismo, conciliando a temporada de estreia na Copa Petrobras de Marcas com mais um ano no Porsche GT3 Cup Brasil. Algumas corridas de longa duração nos Estados Unidos também estão nos planos.

Nonô tem acompanhado Márcio em todos os passos de sua carreira. Nas provas de longa duração, inclusive, os dois competem como dupla. A parceria será mantida no próximo ano. “Minha meta para 2016 vai ser baixar meio segundo”, estipula Márcio, sobre seus tempos de volta. “Em 2015, por exemplo, terminei o campeonato do Porsche GT3 Cup a um segundo dos pilotos mais rápidos da categoria”, lembra.

Há mais equipes da Copa Petrobras de Marcas com suas duplas de pilotos definidas. Vai ser parte do nosso assunto nas próximas semanas, inclusive, esse vaivém de pilotos nas categorias nacionais de automobilismo.

(ATUALIZANDO EM 28 DEZEMBRO, ÀS 15h16):

Chegou a notícia do acordo de Márcio Basso com a Onze Motorsport e deduzi, por conta própria, que ele ocuparia a vaga de Guilherme Salas. Deduzi besteira, claro. Esse é um panorama que não está definido e a probabilidade maior é de Basso e Salas serem companheiros de equipe, com Nonô Figueiredo atendo-se à direção técnica da equipe. São definições aguardadas para janeiro. De modo ou outro, eliminei do texto original a parte que cravava a permanência de Nonô como piloto titular do time. Uma aposta mais coerente seria Basso num carro, Salas no outro e Figueiredo acompanhando os dois dos boxes, pelo rádio.

Haja fôlego!

BLOGCASCAVEL – A foto, estilo selfie, mostra o Galid Osman e o Beto Monteiro durante a corrida de duplas que abriu o campeonato de 2015 da Stock Car, em Goiânia. Aquela corrida, em que os dois pilotos obtiveram o 11º lugar, foi só uma das inúmeras oportunidades em que o Beto, competidor regular da Fórmula Truck, experimentou diferentes máquinas de corridas ao longo da temporada.

Não costumo repicar press releases aqui no blog, mas esse – que por sinal e sem melindres fui eu quem produziu – me chamou atenção pelo inusitado do contexto. Karts, monopostos, carros de velocidade na terra, Nascar, vários exemplares de turismo e logicamente o caminhão Iveco de competição estão na lista. A história completa está aqui.

Somos todos uns doidos, os Monteiro. Lobato deve ter sido o mais normal de nós.

Tela veloz

272780_569421_foto_luciano_santos_sigcom_16CASCAVEL – Terminou, e terminou bem, a quarta temporada da Sprint Race Brasil. As corridas do último sábado, que confirmaram Pietro Rimbano e Fábio Brecailo como campeões de 2015 nas categorias Pro e GT, nesta ordem, deram à categoria a oportunidade de integrar uma programação interessantíssima em Interlagos.

Fechado durante praticamente todo o ano por conta da reforma do autódromo, questionável ao extremo se considerando as centenas de milhões de dinheiros que ali gastaram, Interlagos recebeu também a etapa final das várias categorias do Campeonato Paulista de Automobilismo e as corridas do primeiro evento da nova e atrativa Old Stock Car. Houve até público em Interlagos, coisa que surpreendeu todo mundo que frequenta aquele lugar mais que eu nos eventos do gênero.

Mas é da Sprint Race que trata o post, e na Sprint Race ninguém joga o suado dinheiro de contribuintes pelo ralo. Vamos falar de coisa boa, portanto, que eu só tinha vindo aqui para lembrá-los que as provas da etapa final, a de Interlagos, serão mostradas pelo Bandsports nesta quarta-feira, antevéspera de Natal, a partir das 22h30. Produção do Beto Borghesi, narração minha.

A caminho da unificação

CORRIDA 2SÃO PAULO – A comunidade automobilística que tem olhos para as categorias regionais tem batido bastante, ultimamente, na tecla da unificação dos regulamentos técnicos de todos os campeonatos da categoria Marcas & Pilotos 1.6. O próprio presidente da CBA, Cleyton Pinteiro, chegou a se colocar à disposição desse propósito quando o assunto veio à tona no início do mês, durante o Festival Brasileiro da categoria, que neste ano ocorreu em Guaporé. Escrevi algumas linhas a respeito, na ocasião.

A disputa no Rio Grande do Sul foi marcada por uma série de desclassificações de ordem técnica. E por quê? Porque os pilotos levaram à Serra Gaúcha carros construídos e adaptados aos regulamentos dos campeonatos regionais dos quais participam durante o ano todo. São padrões diferentes, o que se permite em um regional é proibido em outro, e alguns pilotos foram excluídos da competição por conta disso.

É um panorama que dificulta, também, a participação dos pilotos de São Paulo no campeonato do Centro-Oeste, ou dos de Cascavel no do Rio Grande do Sul, e por aí vai. Ou ia.

Hoje houve reunião em Curitiba, na sede da Federação Paranaense de Automobilismo, entre os presidentes de clubes promotores de provas. Juraci Massoni, que dá as cartas no clube lá de Cascavel, desembarcou há pouco na cidade e tratou de informar aos interessados que a reunião definiu pela unificação dos regulamentos técnicos para os campeonatos de Cascavel, Londrina e Curitiba – sim, no Paraná cada cidade com autódromo tem seu próprio campeonato, o que talvez não seja o ideal, mas é assim que funciona há quase 15 anos.

Não conversei mais a fundo a esse respeito com o Juraci, não sei se cada clube cedeu um pouco para que todos chegassem a um formato único ou se a FPrA simplesmente impôs seu regulamento a todos, e se foi isso que aconteceu também não está errado.

O Paraná deu o exemplo dentro de suas divisas. Tomara que o exemplo seja suficiente ao presidente Pinteiro, ao Dadai, a todo mundo da CBA para que tome providência semelhante em âmbito nacional. A categoria de Marcas & Pilotos 1.6 é a única que compõe todos os campeonatos regionais de automobilismo existentes no país. Merecem ser unificadas para que os pilotos daqui possam ter novas experiências ali sem que isso lhes exija gastos às vezes exorbitantes com modificações nos carros.

 

Corridas às sextas

LANCERSÃO PAULO – Costumo brincar, nas rodas de bate-papo de corridas, que minha primeira providência quando me tornar presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo vai ser marcar corridas também às quartas-feiras. Seria uma saída para evitar tantos conflitos de datas entre as etapas dos vários campeonatos existentes.

Bem, o caminho já está trilhado – sem nada de brincadeira, neste caso. O calendário da quarta temporada do Mitsubishi Lancer Cup prevê a realização de etapas às sextas-feiras. A primeira e a terceira etapa, ambas no Velo Città, têm suas corridas marcadas para 29 de abril e 29 de julho. São sextas-feiras. A quarta, em Goiânia, vai acontecer no dia 2 de setembro, também uma sexta. A segunda, ainda não se sabe se no Velo Città ou em Interlagos, está marcada para 4 de junho, um sábado. A última, também no Velo Città, vai ser igualmente num sábado, 5 de novembro.

Apenas a última das cinco datas do campeonato, que vai entrar em sua quarta temporada, terá rodada dupla. As outras quatro consistirão em eventos com três corridas, cada. Incluí o campeonato a posteriori na última prévia geral do calendário de corridas no Brasil para 2016.

Ressurreição brasiliense

Al3EtNnqhtGBUi0mHnqNVfFuDugoiLkaTZuQIqct_OmiSÃO PAULO – A foto é da última terça-feira. Renato Constantino, piloto da cidade, acelerando no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília, o GM Celta que pilota na Copa Centro-Oeste de Marcas & Pilotos. E por que cargas d’água o Renato estaria testando seu Celtinha se o campeonato já terminou?

Não foi um mero treino. Nem um teste do carro. Renato testou, sim, o novo asfalto do autódromo, a pedido da Novacap, agência de obras do Governo do Distrito Federal que entre fim de 2014 e começo de 2015 iniciou a reconstrução do autódromo. A obra foi interrompida por questões orçamentárias no âmbito do GDF, o que inviabilizou a volta da Fórmula Indy ao Brasil – a inédita corrida em Brasília abriria o campeonato no dia 8 de março. Ao que tudo indica, está prestes a ser retomada.

O traçado, falo do circuito misto, foi recapeado em maior parte de seus 5.475 metros de extensão. O piloto sai da curva Dois, sobe o Drive-In, faz a Três, desce o Mergulho, contorna a Bruxa e desce até a metade da reta oposta, tudo isso sobre o novo piso – bem, talvez meu cálculo dos 60% não seja tão preciso. Há quem diga que o trecho da pista reconstruído é bem maior que esse. Não estive em Brasília para conferir por mim mesmo. No que diz respeito à pista, faltam pintura de faixas e construção das zebras. E, a partir disso, a renovação de estruturas como boxes e torres.

Desde a obra iniciada pelo consórcio Novacap para o que seria em março a Brasília Indy 300 a pista está bem mais larga. Tem áreas de escape gigantescas, como haviam solicitado os promotores da Indy. Ouvi que a Dois está bastante diferente, quase convertida em duas curvas.

Os promotores de corridas no Brasil, que por certo acompanham com atenção maior que a minha o andamento do imbróglio envolvendo a reforma do autódromo, trataram de incluir Brasília em seus calendários de etapas para 2016. Tanto a Neusa Navarro, da Fórmula Truck, quanto o Maurício Slaviero, da Stock Car, providenciaram anotações diante do nome da cidade, indicando a prévia possibilidade de alteração. Vão acabar eliminando logo esses asteriscos.

Calendário de 2016, prévia 3

IMG_7267SÃO PAULO – A foto produzida pelo zoiônico Vanderley Soares é repetida, já a utilizei na semana passada, mas cabe bem para a ocasião. É que chegou há pouco press release da Vicar Promoções ratificando as datas das corridas de todas as suas categorias para a próxima temporada automobilística – Stock Car, Brasileiro de Turismo e Mercedes-Benz Challenge, que eu já havia antecipado por aqui, e mais a Copa Petrobras de Marcas e a Fórmula 3 Brasil.

Além dos calendários, foi comunicada uma mudança de data da Stock Car, de 30 de outubro para 6 de novembro. É data em que a Fórmula Truck também tem uma corrida prevista em seu pré-calendário. E é a data para a qual estava agendada a 30ª edição da Cascavel de Ouro. Como houve vários pilotos da Stock e da Truck no grid de 2015, imagino que o Automóvel Clube de Cascavel possa reprogramar a corrida festiva do ano que vem.

A partir do e-mail da Vicar, tratei de atualizar aqui minha tabelinha, que ainda aguarda a divulgação das datas do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil – o Dener Pires prometeu isso para os próximos dias. É a partir dessa tabela que vou costurar minha agenda de 2016, imagino que muitos de vocês também. Assim, segue aqui a versão mais atual desse emaranhado das corridas que vamos acompanhar e cobrir no ano que vem.

6 de março – Stock Car/Copa Petrobras de Marcas/Mercedes-Benz Challenge/Brasileiro de Turismo (Curitiba)

13 de março – Fórmula Truck (Santa Cruz do Sul)

10 de abril – Stock Car/F-3 Brasil/Brasileiro de Turismo (Velopark) e Fórmula Truck (Curitiba)

29 de abril – Mitsubishi Lancer Cup (Velo Città)

1º de maio – Moto 1000 GP (Curitiba)

15 de maio – Fórmula Truck (Campo Grande ou Brasília)

22 de maio – Stock Car/Copa Petrobras de Marcas/Mercedes-Benz Challenge/Brasileiro de Turismo (Goiânia)

29 de maio – Moto 1000 GP (Cascavel)

4 de junho – Mitsubishi Lancer Cup (Velo Città ou Interlagos)

5 de junho – Stock Car/Copa Petrobras de Marcas/F-3 Brasil (Santa Cruz do Sul)

12 de junho – Fórmula Truck (Goiânia)

26 de junho – Stock Car/Copa Petrobras de Marcas/Mercedes-Benz Challenge (Tarumã)

3 de julho – Moto 1000 GP (Interlagos)

10 de julho – Fórmula Truck (Londrina)

17 de julho – Stock Car/Mercedes-Benz Challenge/F-3 Brasil/Brasileiro de Turismo (Cascavel)

30

31 de julho – Moto 1000 GP (Goiânia)

28 de agosto – Moto 1000 GP (Interlagos)

7 de agosto – Fórmula Truck (Interlagos)

2 de setembro – Mitsubishi Lancer Cup (Goiânia)

4 de setembro – Fórmula Truck (Guaporé)

11 de setembro – Stock Car/Copa Petrobras de Marcas/Mercedes-Benz Challenge/F-3 Brasil/Brasileiro de Turismo (Interlagos)

25 de setembro – Moto 1000 GP (Santa Cruz do Sul) e Stock Car/F-3 Brasil (Londrina)

9 de outubro – Fórmula Truck (Cascavel)

16 de outubro – Stock Car/Copa Petrobras de Marcas/F-3 Brasil/Brasileiro de Turismo (Brasília)

23 de outubro – Moto 1000 GP (Curvelo)

5 de novembro – Mitsubishi Lancer Cup (Velo Città)

6 de novembro – Stock Car/Mercedes-Benz Challenge/F-3 Brasil (Goiânia), Fórmula Truck (Brasília ou Campo Grande)

20 de novembro – Stock Car/Copa Petrobras de Marcas/Mercedes-Benz Challenge/Brasileiro de Turismo (Curvelo)

27 de novembro – Moto 1000 GP (Goiânia)

4 de dezembro – Fórmula Truck (Curvelo)

11 de dezembro – Stock Car/Copa Petrobras de Marcas/Mercedes-Benz Challenge/F-3 Brasil/Brasileiro de Turismo (Interlagos)