Em fila dupla

VELOPARKCASCAVEL – Em cada casa, uma regra, é esse um dos mandamentos do mundo que, antes de aval, demandam respeito. Se na Stock Car e suas categorias parceiras as corridas no Velopark têm largadas lançadas com os carros em fila indiana, na Fórmula Truck a corrida do mês que vem deverá manter os caminhões em duas filas, como foi em 2012, na última passagem da categoria pela pista gaúcha.

Falo disso na coluna de hoje no site da Fórmula Truck. Para lê-la, basta clicar aqui.

Anúncios

Na íntegra: Metropolitano de Marcas de Cascavel, 2/6

CASCAVEL – Na contramão do que acontece em vários dos centros do esporte no país, Cascavel vai muito bem, obrigado, no que diz respeito a seu automobilismo regional. O Campeonato Metropolitano de Marcas & Pilotos cá da cidade, nesta sua 15ª temporada, desmembrou suas categorias em dois grids distintos, dado o aumento no número de carros. E teve a etapa do último domingo, segunda do calendário, transmitida ao vivo na televisão e na internet.

As categorias A e B ainda formam grid único. Nem deveria ser diferente, já que seus carros são preparados à luz do mesmo regulamento técnico, ficando a divisão em classes por conta da graduação de cada piloto. A transmissão ao vivo pelo Grupo CATVE de Comunicação contemplou as duas corridas de domingo. As duas estão aí.

A categoria N, que neste ano passa a ter grid e vida próprios no Metropolitano, teve transmitida ao vivo a segunda corrida da etapa de domingo. Ei-la, também na íntegra:

A geração de imagens da etapa foi da Master/CATVE. Narrei tendo o César Chimin como comentarista. Otil Bandeira trouxe a reportagem de box e de pista.

Eles estão entre nós!

CASCAVEL 01

CASCAVEL – A primeira edição de uma etapa do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil em Cascavel já mobiliza os torcedores do automobilismo no Oeste paranaense. Os primeiros carros de competição da categoria foram desembarcados hoje pela manhã no Autódromo Internacional Zilmar Beux, palco das corridas do dia 23 de maio, um sábado, que vão marcar a terceira etapa da temporada. Os carros também serão expostos em vários pontos da cidade.

A presença dos carros da categoria, que acaba de completar 10 anos de existência no Brasil, tem chamado atenção. Um deles, o do piloto carioca Fábio Alves, atual campeão da categoria Challenge, foi exposto na praça da Catedral, no centro da cidade. Outro, do paulista Ramon Alcaraz, da Challenge Sport, está no Auto Posto Maçarico, um ponto de venda de ingressos e credenciais. A expectativa é de mais de 12.000 pessoas no autódromo no dia das corridas.

CASCAVEL 04

Os torcedores terão mais oportunidades de conhecer de perto os carros do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil antes da etapa do dia 23. Entre sábado e domingo haverá três carros expostos no próprio autódromo, durante a segunda etapa do Campeonato Metropolitano de Marcas & Pilotos. A partir da manhã de domingo o Cascavel JL Shopping – também ponto de venda – terá um dos carros da competição em sua galeria superior.

Os ingressos para a etapa de Cascavel do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil estão à venda e custam R$ 30. Credenciais que dão acesso à área vip do autódromo têm preço de R$ 250. As duas modalidades estão disponíveis nos pontos da rede OK Ingressos nas cidades de Cascavel, Toledo, Medianeira e Foz do Iguaçu, ou pelo site okingressos.com.br, sem taxa adicional. Mais de 12.000 torcedores são esperados para o evento.

CASCAVEL 05

O retorno?

Milton e JoacirCASCAVEL – A foto, produzida pelo Vanderlei Faria em 1994 nos boxes do autódromo de Cascavel, mostra o Milton Serralheiro e o Joacir Alves, dois dos caras que representavam a cidade no automobilismo paranaense. Muitas vezes em dupla, e foi em dupla que conquistaram, por exemplo, a vitória na única corrida noturna da história do automobilismo da cidade, em 1991, ou o Torneio Paraná-São Paulo de Speed Fusca, naquele mesmo 1994 – esse campeonato acabou tendo uma única rodada dupla, disputada em Curitiba, e os dois ganharam suas baterias, o Joacir de ponta a ponta, o Milton despencando para sétimo e escalando o pelotão ladeira acima. Também correram muito um contra o outro, e teve até caso de um correr pelo outro, com a missão de tirar pontos de um adversário pra garantir o título do parceiro, e pelo que ouço até hoje foi assim que o Joacir terminou 1992 como campeão paranaense da nossa saudosa Speed Fusca.

Milton e Joacir se divertiram muito enquanto pilotos de automobilismo. E passaram muita raiva, também. E ganharam campeonatos. Conheceram-se lá mesmo, no ambiente de corridas, e seria até um deslize do destino se não tivessem encerrado juntos suas carreiras nas pistas. A despedida dos dois foi em 2001, no Paranaense de Marcas & Pilotos, revezando a pilotagem de um Escort vermelho que levava nas portas o nome de uma marca de alguma geringonça que fazia os motores gastarem menos combustível, não lembro o nome do negócio, era um dos filhos do Milton quem distribuía aquilo na região. Tentou me vender um uma vez, pedi para fazer fiado, fiquei sem a peça dos milagres.

Reunir pilotos e ex-pilotos num ambiente que nada tem a ver em corrida é pedir para o assunto da roda ser automobilismo, e não foi diferente em determinada agenda de ontem à noite. Deixaram que Milton, Joacir e o Thiago Klein, esse um dos nomes da nova geração, conversassem entre si, e do papo saiu nada menos que a reestreia da dupla dos anos 90. Até duvido que a coisa vá além das animadas tratativas que alguns de nós presenciamos ontem naquele rancho, mas o Joacir me confirmou há pouco que o combinado não é caro e que os dois, ele e Milton, vão correr em dupla na segunda etapa do Metropolitano de Marcas & Pilotos, domingo agora, com um dos carros que o Thiago tem para locação. Um Fiesta, na categoria A.

Será que a dupla volta? E se voltar, estará inscrita sob o número 22 do Joacir ou o 66 do Milton? Terão os dois, agora já além da barreira dos cinquenta e com os semblantes um tanto mais castigados que os da foto do Vanderlei, algum reflexo dos tempos em que ganhavam corrida e aterrorizavam adversários quando lhes surgiam nos espelhos retrovisores?

Duvido, repito, que os dois vão mesmo participar da corrida. Mas que seria legal vê-los em ação, isso seria.

Tela veloz

TIKO 2CASCAVEL – A televisão é uma realidade irreversível no automobilismo e os campeonatos regionais, que sob vários aspectos são considerados “menores”, já entenderam esse recado. Exemplo claro disso é o Metropolitano de Marcas & Pilotos aqui de Cascavel, que terá as corridas de sua segunda etapa, neste domingo, mostradas ao vivo pela CATVE.

A transmissão vai começar à uma da tarde. Serão exibidas as duas corridas das categorias A e B, que compõem grid único, e também a segunda prova da categoria N, que em 2015 passou a ter vida e grid próprios – e que deve chegar a 20 carros nesta etapa.

A transmissão será disponibilizada simultaneamente na internet, pelo Portal da CATVE. A geração de imagens é da Master/CATVE, a mesma empresa que responde pelo trabalho em categorias como Stock Car, Brasileiro de Marcas, Brasileiro de Turismo, Fórmula 3, Mercedes-Benz Challenge, Porsche GT3 Cup, Moto 1000 GP e Fórmula Truck.

Padrão máximo de qualidade, portanto. Ponto para o automobilismo de Cascavel.

Jubileu de cristal

PEDRO MUFFATO

CASCAVEL – A data da foto era 16 de abril de 2006. O palco, o Autódromo Internacional Virgílio Távora, em Eusébio, cidade da grande Fortaleza. A ocasião, única e histórica: a vitória de Pedro Muffato na Fórmula Truck.

Aquele foi o ponto alto da trajetória do Pedro na Truck. Trajetória que se aproxima dos 15 anos. A marca será comemorada simbolicamente na terceira etapa da atual temporada, domingo agora em Londrina.

Faltam três meses para a estreia do Pedro na Truck completar 15 anos. Mas foi em Londrina. Fica como referencial da vez.