Bom de boleia

Imagem

PINHAIS – A foto está horrível por ser um print da imagem da televisão reproduzida na internet. De modo ou outro, fica muito claro que alguma coisa está errada.

Quer saber como terminou o perrengue na encharcada rodovia? É só clicar aqui.

Fosse sócio da Neusa Navarro, já teria proposto a contratação do cidadão para correr na Fórmula Truck.

Tela veloz

Imagem

PINHAIS – Cá estou, depois de quinhentos e poucos quilômetros de estrada embalados pelo bom repertório dos meus CDs de música sertaneja e de uma atípica noite de bom sono, no Autódromo Internacional de Curitiba. Gosto de viajar de carro quando a distância e as condições da rodovia tornam a direção viável. São horas em que não se pode fugir de nada, nem se mudar planos por conta das exigências sempre de última hora do trabalho, nem nada, a não ser acelerar, diminuir, acelerar de novo, manter o limite do bom senso no marcador de velocidade esperar um trecho de boa visibilidade para deixar um caminhão para trás e, como de costume, admirar a valentia desses caminhoneiros, não é fácil a vida que levam.

Por aqui, no meu caso, um sábado de pouco a fazer além de rever os amigos de sempre e bisbilhotar um pouco nos boxes da Copa Petrobras de Marcas atrás de algumas novidades, de saber quem sai e quem volta ao grid, o que está rolando no reino, enfim.

O campeonato termina amanhã e são oito os pilotos que largam para a primeira prova da rodada dupla com chance de título. Em 2011, no lançamento da categoria, Thiago Camilo foi o campeão pilotando o GM Astra da Carlos Alves Competições; no ano passado a taça foi parar nas mãos do Ricardo Maurício, piloto do Honda Civic da JLM Racing. Foi uma campanha curiosa, a do Ricardinho, campeão sem ter vencido nenhuma corrida; em 2013 ele já ganhou três e lidera o campeonato.

A etapa daqui vai marcar, acho, a penúltima transmissão ao vivo de automobilismo que narro no ano. Desta vez, acabo de saber, faço inédita dobradinha com o parceiro jornalista Cláudio Stringari, cicerone de primeira e sério candidato a pagar o jantar de hoje. Já trabalhamos juntos, o Cláudio e eu, noutras frentes; nunca revezamos microfones em uma transmissão de nada, faremos isso na transmissão de amanhã pela Band, que vai começar às 12h35.

Rabiscando num guardanapo que deixaram aqui sobre a mesa, chego à conclusão de que o Stringari será o décimo cara do ramo a comentar uma corrida comigo na televisão, numa lista que inclui também, por ordem meramente alfabética, o André Duek, o Andrei Spinassé, o Bruno Monteiro – que amanhã estará em ação na reportagem de box -, o Cadu Tupy, o César Barros, o Eduardo Homem de Mello, o Luiz Alberto Pandini, o Mário Laffitte e o Tiago Mendonça – não incluí o Rodrigo Mattar nessa lista porque na única vez em que dividimos microfones, isso numa quase casualidade em Jacarepaguá, a transmissão da corrida deu-se apenas pela internet.

Por outro levantamento, este rabiscado às costas do guardanapo com algumas linhas inclinadas para que os apontamentos desviassem da logo e do nome de determinada franquia de sanduíches, Stringari será o 25º a comentar uma corrida comigo na televisão, aqui considerando também os pilotos ao lado dos quais já narrei alguma coisa – Ângelo Giombelli, Diogo Pachenki, Felipe Giaffone, Flávio Poersch, Ingmar Biberg, Juliano Bastos, Lico Kaesemodel, Max Wilson, Nonô Figueiredo, Otávio Mesquita, Raul Boesel, Roberto Pupo Moreno, Rodrigo Hanashiro, Sylvio de Barros e Wilson Fittipaldi Júnior, também por mera ordem alfabética, acho que não faltou nenhum.

A terceira conclusão, essa óbvia e que não rabisquei em lugar nenhum, é de que até hoje narrei pelo menos 25 corridas na tevê. Claro que foram bem mais. Saindo do autódromo, compro um pacotinho do guardanapos, ou um ábaco, e tento levantar isso também. Fiquei curioso.

Na íntegra: Copa Pneus Marshal 2013, 9/10

CASCAVEL – Bem, pelo menos no que diz respeito à Copa Pneus Marshal de Marcas & Pilotos, estou rigorosamente em dia com as postagens dos vídeos das corridas aqui no blog. A partir de exatamente agora, quando trago as duas baterias que compuseram a nona e penúltima etapa.

Nesta nona etapa, as duas provas foram exibidas pelo Bandsports em dias distintos, sempre no horário nobre. Particularmente, achei bem interessante esse novo formato de exibição dos VTs preparados pela trupe do Marcos Moschetta.

Aqui, a primeira prova da etapa, tal qual foi exibida dez dias atrás.

E, aqui, a segunda corrida, igualmente vencida pelo Luiz Cirino.

Cirino, piloto do Corsa número 59 da Arias Motorsport, é o líder do campeonato na categoria Super. Seus adversários na disputa pelo título, que será decidido nas corridas de 22 de dezembro em Interlagos, são o Márcio Philippi e o Pedro Pimenta, que revezam o Corsa número 51 da CrossFox/Engebras, e também o Aldo Piedade Júnior, titular do Celta número 65 da Alpie Competições.

A categoria Novatos tem como campeão antecipado o mineiro Thiago Oliveira, da AGB Preparações. Na Light o título já é do Maique Papareli, da Maguila Motorsport, que em 2012 ganhou o campeonato na Novatos.

Na íntegra: Porsche GT3 Cup Challenge 2013, 3/9

CASCAVEL – A temporada do Porsche GT3 Cup Challenge termina na semana que vem e eu, displicente como sempre, não me dei o trabalho de trazer a vocês que passam por aqui as corridas brasileiras de 2013. Publiquei só as que abriram o campeonato, no Algarve, e as da semana seguinte, em Barcelona.

Pois bem, vamos à terceira etapa, que aconteceu em Interlagos, isso foi no mês de junho. Começando com a primeira corrida da categoria Challenge, que está nesse link aqui – foi aquela marcada por um acidente envolvendo vários carros na largada. Nesse outro, a segunda prova da Challenge.

A primeira corrida brasileira de 2013 na categoria Cup, quinta da temporada, está aqui. E aí abaixo, por fim, o complemento da rodada dupla da categoria Cup, essa eu lembro que marcou a primeira vitória do Pedro Queirolo na categoria – são tantas corridas e que fica difícil lembrar tudo sem checar os resultados, e não vou checar coisa nenhuma. Todas as provas têm a narração de sua transmissão ao vivo pelo portal Terra.

Tela veloz

SÃO PAULO – Antes de entrar numa reunião para a qual fui chamado e que ainda não sei o que vai tratar, e aproveitando que o assunto que importa em Interlagos é a Copa Pneus Marshal de Marcas & Pilotos, vale um pitaquinho: a segunda bateria da nona etapa será exibida pelo Bandsports hoje, a partir das oito e meia da noite. Assistam.

Imagem

Agora, se me dão licença, vou lá ver qual é a pauta da tal reunião. Tomara que não seja bucha.

Na íntegra: Copa Pneus Marshal 2013, 8/10

SÃO PAULO – Por falar em Interlagos, foi aqui que aconteceu, e já faz algum tempinho, a oitava e antepenúltima etapa da Copa Pneus Marshal de Marcas & Pilotos, exibida dias depois pelo Bandsports.

Para quem não viu – meu caso, apesar de ter narrado o VT -, aí está o programa preparado pelo Marcos Moschetta.

Cartoons na pista

Imagem

SÃO PAULO – Pouco a dizer sobre a Fórmula 1 em Interlagos. Nada, na verdade, se não observar que essas gaiolas fazem barulho demais e atrapalham a audição da minha metódica seleção das músicas do Raul Seixas. Vou deixar pra ouvir no hotel, paciência.

No Porsche GT3 Cup, que é atrás do que vim, algumas coisas que chamam atenção e que, como sempre, interessam só para quem procura isso. Mas um detalhe pitoresco merece ser compartilhado com a meia dúzia de pares de olhos que passam por aqui.

Dois clássicos do imaginário infantil estão reproduzidos no grid. Sylvio de Barros, como sempre, disputa a preliminar do GP do Brasil com seu Porsche disfarçado de Mach 5, o carro que Speed Racer pilotava nos cartoons de título homônimo idealizados no Japão em 1960.

Já Ronaldo Kastropil, piloto da equipe do Corinthians na Fórmula Truck que volta ao grid porschístico para uma participação especial, encomendou para seu carro o layout de Herbie, o simpático fusquinha criado nos estúdios Disney em fins dos anos 60. Talvez pelo fato do número que o Ronaldo costuma usar nas corridas, 53, seja o mesmo do Herbie. O fusquetinha foi protagonista de seis filmes entre 1969 e 2006 – o último deles, de poucos anos atrás, foi para as telas carregado de mau-gosto no roteiro, com Herbie vencendo corridas na Nascar com a desastrada personagem de Lindsay Lohan ao volante, uma presepada imperdoável, um acinte à história de glórias do carrinho. Enfim, críticas dessa natureza eu deixo para o Zé Wilker.

No que diz respeito à ligação do visual dos carros com o que a criançada conheceu ou conhece, não custa citar também o Pedro Queirolo. O carro número 13 dele estampa a logo dos carrinhos Hot Wheels por todos os lados.

E não custa citar, também, que as fotos desse post foram sacadas pelo natalino Chris Fabbri.

Imagem