Na íntegra: Sprint Race, 1/18 e 2/18

CASCAVEL – O Bandsports exibiu ontem à noite o VT das provas que compuseram, no último dia 13, a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Sprint Race, em Interlagos. Narrei o programa a convite do Thiago Marques, que é o capitão da nova categoria.

Haverá reexibições do programa amanhã e sábado, ainda não posso informar os horários. Por via das dúvidas, para quem não viu, está aqui, cortesia do Marcos Rossini, a edição completa da etapa, tal qual foi ao ar.


A segunda etapa da Sprint Race, acompanhando a programação do Campeonato Paulista de Automobilismo, vai acontecer no dia 10 de junho.

Anúncios

Festa do interior

CASCAVEL – Está ficando interessante essa tendência de inventar moda que o Dener vem tornando cada vez mais evidente.

As provas da quarta etapa do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil, no dia 16 de junho, vão acontecer no Velo Città. Será a primeira disputa de uma competição oficial da CBA na pista construída em Mogi Guaçu, no interior paulista, pelo piloto Eduardo Souza Ramos. O traçado tem 3.430 metros, maioria das curvas são de média velocidade, será a segunda pista inédita para os pilotos da categoria na temporada – a lusa Algarve foi a primeira -, quem já conhece o Velo Città testemunha que ocupa uma área muito bonita.

Essa etapa estava marcada, em princípio, para Jacarepaguá, mas havia, meses atrás, a previsão de que o autódromo seria disponibilizado a necessidades da tal “Rio + 20”. Para evitar contratempos, o time da categoria analisou algumas opções e definiu-se por essa.

Legal, gostei da novidade. E será o 13º autódromo visitado por mim em 2012.

Sprint Race no Bandsports

CASCAVEL – A primeira temporada da Sprint Race já começa com conquistas que para outros eventos do automobilismo demoram meses, às vezes anos, em alguns casos não acontecem.

Caso da transmissão das corridas pela tevê. O Thiago Marques, capitão da nau da Sprint Race, confirmou agora há pouco que as corridas de 2012 serão transmitidas pelo Bandsports. Serão VTs editados de 30 minutos, mostrando os principais momentos das duas baterias de cada etapa. A primeira, que aconteceu no dia 13 de maio, será exibida amanhã à noite, a partir das oito e meia. Haverá reapresentações na sexta-feira e no sábado, ainda não sabemos em que horários.

A foto lá em cima, feita pelo Bruno Vicaria, mostra o Guilherme Sperafico, que ganhou a primeira corrida. A outra foi vencida pelo Eduardo Leite. A próxima etapa vai acontecer no dia 10 de junho.

Ah. Quanto à transmissão da primeira etapa pelo Bandsports, a narração é minha.

Calendário zoneado

CASCAVEL – Foi pela mais absoluta falta de tempo, já que ainda acredito no enriquecimento como fruto do trabalho (tolo, eu), que o BLuc estava abandonado desde sábado à noite.

Não que hoje haja tempo, não há, mas um registro exige alguns minutos da minha conturbada agenda. Foi pelo Twitter que o José Santiago, piloto da Copa Marshal de Marcas & Pilotos, me alertou para o anúncio feito pela FASP, Federação de Automobilismo de São Paulo.

O calendário no site da FASP indica para o fim de semana de 8 e 9 de dezembro a realização, em Interlagos, da oitava etapa do Campeonato Paulista de Automobilismo. O calendário disponível no site está nesse link aqui. Para o caso da devida correção, que deverá – ou deveria – ocorrer dentro de instantes, eis o print que tirei da tabela de datas e eventos às 16h47 de hoje, é só clicar que amplia:

Pois bem. Ocorre que a data de 8 e 9 de dezembro está reservada ao Porsche GT3 Brasil e vai comportar, também, a “Corrida do Milhão” da Stock Car, conforme tratamos na semana passada. E assim será, não tenham dúvida.

A FASP já deu uma barrigada dessas no ano passado, marcando a última etapa do Paulista para o mesmo fim de semana do Itaipava GT Brasil, cantei essa pedra aqui no blog quatro meses antes. De fato, o Paulista não correu, houve as provas da GT, do Mercedes-Benz Grand Challenge e do TNT Superbike, como acordado entre promotores e Confederação Brasileira. A bem da verdade, nem lembro como terminou o campeonato do Marcas de São Paulo, que era Copa Engebras e neste ano passou a ser Copa Marshal.

Sugestão óbvia aos caciques da Copa Marshal e das demais categorias do paulista: que tratem de arrumar um lugar para correr em dezembro. Nos dias 15 e 16, não custa lembrar, Interlagos terá as etapas finais do Brasileiro de Gran turismo, do Mercedes-Benz Grand Challenge, da Spyder Race e do Elf Superbike. E, se possível, indiquem alguém à FASP para organizar o calendário. A coisa por lá parece complicada.

Cigano do Brasil

CURITIBA – Eis que estamos no quarto do hotel, Kaká Ambrósio e eu, zapeando a televisão enquanto não termina o infame Zorra Total, procurando algo para ver até a hora do tal UFC. Que não sabemos onde vai ser, e nem a que hora começa, e nem onde é. E nem quem vai lutar com o Cigano.

Horas atrás, lá no aeroporto de Congonhas, brinquei com o Júlio Campos, que me perguntou se seria hoje a luta do Cigano. Brinquei com ele pelo Twitter, perguntando quem é Cigano e o que é luta. Não sabia, de fato, mas pressupus que sim, que seria hoje, já que no início do ano, janeiro ou fevereiro, vazou na mídia a história do currículo do adversário do Cigano postado na Wikipedia, já considerando a vitória sobre o Cigano na luta de maio. Foi disso que lembrei, que a luta aconteceria em maio, a chance de ser hoje era quase total.

Já em Curitiba, o cidadão que sentou-se a meu lado ligou pra alguém, imagino que sua esposa, e pediu para gravar o UFC, porque hoje o Cigano lutaria. Dúvida dirimida, enfim. E, mesmo não entendendo picas do UFC, sei quem é Cigano, claro, afinal há pouco tempo ele foi aclamado à condição de Júnior Cigano do Brasil, lembrei agora que é Júnior.

O Kaká parou na MTV, onde estão Herbert Vianna e seus blue caps, todos vestidos de vermelho da cabeça aos pés, cantando e tocando músicas da Legião Urbana. Haveremos de achar o UFC, quero ver a luta do Júnior Cigano, que não sei o que vale, nem sei se vale algo, parece-me que esses combates sempre valem título mundial.

Não vou arriscar juízo de valor sobre o MMA, que é a modalidade, já que UFC é o evento, isso foi repetido a tamanha exaustão que consegui aprender. Só o que não me entra na cabeça é a disposição que os praticantes têm de subir a um ringue, o tal octógono – que já definiram como quadrado de oito lados –, e tomar soco e pontapé na cara em nome do espetáculo. Isso machuca.

Artes marciais, eis uma coisa que me causa certo fascínio. Anos atrás acabei acompanhando por mais de uma hora uma sessão de treinamentos de uma equipe de kung-fu, não sei se leva esse hífen, a habilidade com movimentos e o lido com as armas próprias da modalidade me deixaram atônito, a exigência de treinamento e de disciplina é extrema. Judô é outra modalidade que aprecio, em que pese a implicação de um confronto para que seja consumado, mesmo quem toma um nocaute, no caso um ippon, sai do tatame sem lesões, reverenciando o contexto. Não há o culto ao sangue.

Aí, como trabalho como automobilismo, alguém haverá de me alertar que as corridas também machucam, até matam. A diferença, a mim, é muito evidente. Automobilistas não levam para seu cotidiano as particularidades das corridas. Normalmente, por saberem o que é a prática do automobilismo, evitam abusos em ruas e estradas e espaços públicos. Rachas e cavalos-de-pau na rua, coisa de gente retardada, não são praticados por pilotos de competição, salvo lamentáveis exceções. Por outra via, fã de corridas costuma ser mais insuportável que quem aprecia os combates.

Ao que percebo, praticantes de esportes que primam pelo espancamento do oponente são os que andam em locais abarrotados de gente com os braços em formato de asa de xícara, fazendo questão de esbarrar em todo mundo, sempre dispostos a mostrar quem é o melhor galo de briga do pedaço. Têm a estupidez e a arrogância estampadas no olhar. Praticam tudo que vai contra os princípios da boa convivência calçados no que entendem ser argumento, de que as virtudes do espancamento são advindas do esporte, e esporte é vida.

Meros devaneios sem importância.

Quando tenho tempo para conversar comigo mesmo, e me acho ótima companhia, costumo aplicar minhas sempre superficiais análises aos motivos do MMA. Estão muito além, ou muito aquém, da minha compreensão. Ao Luc Júnior, com seus cinco anos e meio, já reservo a consulta de institutos que ensinam o judô, ou o kung-fu, esse esporte tão bonito em que os grandes mestres não têm necessariamente de espancar ninguém. Boxe, MMA e afins não são coisa para ele.

De qualquer modo, vou torcer pelo tal Cigano. Apesar de ele ser o Cigano do Brasil.

Próxima parada, Curitiba

SÃO PAULO – Não houve tempo para nada. Nem para comer, posto que vim almoçar agora, depois das cinco da tarde, um supercombinado de rango japonês aqui em Congonhas, depois de feito o check-in. Agora, a companhia anunciou que o voo vai atrasar um pouquinho, o que não surpreende e nem aborrece mais.

Foi um fim de semana movimentado e meio, como dizem, na terceira etapa do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil. O autódromo de Interlagos esteve apinhado de torcedores, hoje, todos acolhidos no paddock e na área de boxes, mais uma ação interessante do time da categoria. Narrei uma vitória de Clemente Lunardi e outra de Marcel Visconde na Cup, e mais uma do Daniel Schneider (foto) na Challenge, a primeira dele, e essa em especial me deixou feliz, sobretudo pelo papo rápido que tive com ele hoje. Foi uma daquelas coisas certas que acontecem na hora certa, foi essa a conclusão a que cheguei conversando comigo mesmo.

Enquanto aguardamos o embarque, e parece que ainda vamos aguardar mais um pouquinho, dou uma fuçada nos sites buscando saber um pouco do que aconteceu hoje em Curitiba, no Brasileiro de GT – já sabia antes da vitória do João Campos no Mercedes-Benz Grand Challenge. Vitória do Sérgio Jimenez e do Paulo Bonifácio com o Mercedão jeans na geral, à noite vou tratar de assistir à gravação das duas, do GT e do Mercedes-Benz Grand Challenge, ajuda bastante.

Amanhã espero a companhia de todos os amigos a partir das 11h, na Rede TV!. Primeiro a corrida do Grand Challenge, depois da GT, uma em seguida à outra. Vai ser, como observei dias atrás aqui no blog, um domingo perfeito para quem gosta de assistir a corridas de carros pela televisão.

Ou, pelo meu ponto de vista particular, que só interessa a mim mesmo: serão duas horas de Galvão Bueno, duas horas de Luc Monteiro, três ou quatro horas de Luciano do Valle e mais de quatro horas de Sérgio Lago. Haja pipoca e cervejinha.

Vencedores da PromoBLuc

SÃO PAULO – Ok, não custa registrar. Lancei dias atrás essa promoção aqui, valendo mimos para a segunda etapa do Brasileiro de Gran Turismo, no Autódromo Internacional de Curitiba.

Seguindo meu livre critério, conforme combinado, cinco participantes levam pares de ingressos e, ainda, credenciais para a visitação aos boxes que vai compor a programação de amanhã. São, por ordem alfabética, Cesar G. Novak, Daniela Cardoso, Gustavo André Santos, Israel Muffato Favarin, e Natanael Francisco Andrade.

Outros participantes foram contemplados com pares de ingressos para o evento. Igualmente por ordem alfabética: Allan David do Prado, Aloysio Ludwig Neto, Antonio Contreras Muniz, Carlos Montalvão, Cíntia Azevedo, Danilo Andrade Cardoso, Douglas Vieira, João Paulo Gulka Silveira, Larissa Siviero, Rodrigo Vicente, Sérgio Rodrigues, Tarso Marques Lima e Vanderléia Pick Novak.

Todos foram devidamente comunicados por e-mail sobre como e quanto retirar seus prêmios. Aos que não consultam e-mails, confirmo aqui: hoje (caramba, já é sábado!), a partir das oito da manhã, na bilheteria do autódromo, anexa ao portão de entrada. Falsidade ideológica só vai funcionar se for muito bem arquitetada: a retirada dos ingressos e credenciais estará condicionada à apresentação do RG e há uma lista com os nomes dos contemplados com a rapaziada que trata disso lá aos portões do AIC.

As duas primeiras corridas acontecem hoje, as quatro demais serão amanhã. A programação completa do evento está aqui.