Bandeira verde para a Top Series

CURITIBA – E já que falei sobre Top Series no post aí de baixo, cabe o registro de que a categoria vai abrir sua primeira temporada amanhã, na pista de rua do Anhembi, prova preliminar da etapa brasileira da Indy.

As fotos deste post vieram da assessoria de imprensa da Top Series e foram produzidas hoje, nas garagens montadas lá num dos galpões do Anhembi. Acima, os Mercedes-Benz SLS das duplas Vanuê Faria/Renan Guerra e Cleber Faria/Duda Rosa, da equipe CRT. Esses dois carros estiveram semana passada no grid do Brasileiro de GT em Santa Cruz do Sul. Cleber e Duda, inclusive, venceram a corrida de domingo. Lá abaixo, os dois Corvette Z06R, de Pedro Queirolo/Rodrigo Barbosa e Fernando Croce/Fernando Gomes Croce/Daniel Croce.

A categoria nasce sob o propósito de resgatar as corridas de longa duração, que tanta tradição acumularam durante décadas no automobilismo brasileiro, e que viraram lembrança por conta dos inúmeros fatores, vários deles de cunho político, que inviabilizaram nos últimos anos as tentativas de se levar adiante um Campeonato Brasileiro de Endurance. O último, salvo improvável engano, foi o que o Toninho de Souza promoveu em 2007. Agora é a Auto+, capitaneada pelo Marcello Sant’Anna e pelo Pedro Queirolo, que assume o desafio de fazer o Endurance ascender de vaga lembrança a forte realidade. Que tenham sucesso, os dois e todos que os apoiam, na nova iniciativa. Hão de ter.

Aí abaixo, a lista de duplas ou trios participantes da etapa do Anhembi, que vai começar às 15h30 de amanhã. A corrida, extra-campeonato, vai ter transmissão ao vivo pela Rede Bandeirantes, na íntegra. O Tatá Muniz é quem narra, com o Tiago Mendonça no comentário.

Top 1
5 – Dimas de Melo Pimenta/Rodrigo Pimenta (Protótipo Dimep)
8 – Carlos Amorim/Antonio De Luca (Protótipo MRX Metal Moro)
9 – Xandy Negrão/Xandinho Negrão (Lamborghini Gallardo LP600+)
13 – Pedro Queirolo/Rodrigo Barbosa (Corvette Z06R)
19 – Chico Longo/Daniel Serra (Ferrari F458)
22 – Paulo Bonifácio/Sérgio Jimenez (Mercedes-Benz SLS AMG)
30 – Cleber Faria/Duda Rosa (Mercedes-Benz SLS AMG)
61 – Fernando Croce/Fernando Gomes Croce/Daniel Croce (Corvette Z06R)
75 – Henrique Assunção/Ronaldo Kastropil (Lamborghini Gallardo LP600)
105 – Vanuê Faria/Renan Guerra (Mercedes-Benz SLS AMG)
911 – Marcel Visconde/Nonô Figueiredo/Ricardo Maurício (Porsche 911 RSR)

Top 2
3 – Eduardo Oliveira/Sérgio Laganá/Alan Hellmeister (Ferrari F430)
6 – Valter Pinheiro/Leonardo Burti (Lotus Evora)
7 – José Cardoso/Eduardo Furlanetto (Spyder)
10 – Demétrio Mendes/Valter Patrocínio (Maserati)
18 – Carlos Burza/Cristina Rosito (Spyder)
21 – Valter Rossete/Fábio Greco (Ferrari F430)
28 – Marcos Ramos/Mario Marques/Marcelo Losasso (Ferrari F430)
31 – Marcello Sant’Anna/Christian Pons (Ferrari F430)
54 – Rodrigo Gonçalves/Fabrício Cola (Spyder)
64 – Henry Visconde/Ricardo Landi (BMW M3)
66 – William Freire/Leonardo Jafet (Spyder)
71 – Robson Kolling/Marco Garcia (Spyder)
82 – Marçal Melo/João Gonçalves (Ginetta G50)
996 – Marcel Visconde/Nonô Figueiredo/Ricardo Maurício (Porsche 996)

Anúncios

Jeans na pista

CURITIBA – Legal a sacada do Boni e do meu sócio Sérgio Jimenez, de mandarem pintar – ou envelopar, como se diz por aí – o carro como uma calça jeans. Esse é o visual do Mercedes-Benz SLS AMG que a dupla vai pilotar amanhã na primeira etapa da Top Series, categoria que nasce com a proposta de resgatar as boas competições de longa duração do automobilismo brasileiro.

É o que destaca o press-release do parceiro Rafael Durante, citando a ação promocional de Boni, logicamente motivada pelo patrocínio dos jeans Pool que a dupla leva para as pistas da Top Series. Tomara que o efeito fique legal no vídeo, já que as corridas terão transmissão da Rede Bandeirantes.

A ideia não chega a ser exatamente uma novidade. No fim da década de 70, o mago Sid Mosca pintou um Fiat 147 com esses mesmos efeitos. Era um carro de rua, mesmo, promoção da marca de calças Gledson. Claro que não lembro disso, muito menos sabia da história. Quem me relata a situação é o enciclopédico Luiz Alberto Pandini, meu companheiro de quarto no hotel aqui em Curitiba.

Sempre li Gledson em fotos antigas de corridas e nunca imaginei que fosse uma marca de calças. Nunca formei uma opinião absurda a respeito.

Se o assunto mesclar os bons tempos e calças jeans, o que me vem na cabeça é a US Top. Lembram?

Na íntegra: Brasileiro de GT, 1/16

PINHAIS – Está aí, enfim, na íntegra em oito partes, o que arrisco definir como melhor e mais maluca corridas de carros de todos os tempos dos últimos anos da última semana.

É a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Gran Turismo, disputada semana passada, no sábado, lá em Santa Cruz do Sul de tudo. Aquele tipo de corrida em que dá para dizer que aconteceu de tudo – e é muito provável que eu tenha dito isso na narração da corrida para todos os sites que a transmitiram ao vivo.

A segunda corrida da rodada dupla de Santa Cruz do Sul já estava postada aqui desde ontem. Agora você vê, ou revê, a primeira de todas, como sempre com o comentário de André Duek e a reportagem de Kaká Ambrósio.

Sondermann: fim do luto

CASCAVEL – A cerimônia de inauguração do túmulo, marcada para as 12h30 deste domingo no Cemitério Israelita do Butantã, vai marcar, como costume da religião judaica, o fim do período de luto da família de Gustavo Sondermann.

O ato será aberto vai reunir familiares e amigos do piloto, que morreu há pouco mais de um ano em um acidente na Copa Montana em Interlagos.

O convite que recebo por e-mail frisa que “o Cemitério Israelita é um Campo Santo, devendo os homens manter a cabeça coberta em suas dependências, seja com chapéu, boné ou solidéu”.

Parece que eu infelizmente estava certo no que escrevi quando Gustavo morreu.

Mundo sobre rodas

CASCAVEL – Ando precisando de óculos. Quando cheguei ao estacionamento ontem à noite – sim, tenho trabalhado até a noite, tenho de rever isso – pra retirar o carro e tomar o caminho de casa, minha primeira reação foi a de ter deparado com um exemplar clássico do Porsche 911. Foi só olhar mais um pouco e ver que não, não era um 911. Remetia, em segunda análise, ao bom e velho SP2, outra impressão errada.

Era, sim, um Karmann Ghia TC, cuja existência eu desconhecia e que só me foi delatada pela perfeita afixação dos impecáveis decalques metálicos, que devem ter um nome menos pobre que esse.

Um grande carrinho, sem dúvida, parte do acervo de alguém que valoriza o bom passado da indústria automobilística, a julgar pelos adesivos de encontros de carros antigos colados ao vidro lateral. Na mesma vaga onde repousava o TC costuma estar uma camioneta, termo que o português admite como versão para caminhonete, da década de 50, que só não fotografei por deixar o celular conectado a internet o dia todo, o que come uma bateria lascada e deixa a câmera do aparelho sem força pra nada ao fim de cada expediente.

Li na internet, instigado pela inusitada descoberta, que o TC foi o último Karmann Ghia fabricado pela Volkswagen, uma versão um tanto luxuosa que bateu de frente, no mercado, com o Puma GTE, o Corcel GT, o SP1 e o SP2. Durou de 1970 a 1975, a fabricação do TC, que abrangeu cerca de 18.000 unidades. Uma delas repousa intacta aos efeitos da idade no estacionamento aqui ao lado.

Na íntegra: Brasileiro de GT, 2/16

CASCAVEL – Já que São Pedro resolveu adiar minha viagem a Curitiba, volto ao escritório para mais alguns rascunhos, sejam laborais ou por mero entretenimento.

Gostei desse novo espaço, o “Na íntegra”. Espero ter material o ano todo pra compartilhar aqui. Inaugurei-o ontem, com as duas provas que abriram a temporada do Mercedes-Benz Grand Challenge no último fim de semana em Santa Cruz do Sul – a primeira está aqui e a segunda, aqui. Aí, de quebra, fui lá no post da semana passada em que trouxe as corridas do Porsche GT3 Challenge Brasil no Algarve e renomeei seu título, ignorando por completo a ética dos blogueiros, se é que existe um código que a reja. Não se modifica algo já publicado, deve rezar algum parágrafo dos inexistentes mandamentos bloguísticos.

Enfim, aí está a segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Gran Turismo, que aconteceu domingo, também em Santa Cruz do Sul. Outro artigo dos mandamentos para blogs e tentativas afins deve condenar aos mármores quem enche uma tela com vídeos do YouTube. Eu, mesmo, fico puto quando abro o blog de alguém e lá só vejo janelas iutubísticas. Da próxima vez, acho, vou incorporar a janelinha (que nome se dá a isso, afinal?) da primeira parte e indicar as outras em links. Vamos ver.

Por ora vai assim, em seis partes, a corrida de domingo, que marcou a primeira vitória do Cléber Faria e do Duda Rosa, tal qual exibida pela Rede TV!, com minha narração, comentário do André Duek e reportagem do Kaká Ambrósio. A primeira corrida, de sábado, uma das melhores das melhores do mundo em lances inusitados e inesperados, vai pingar por aqui daqui a pouco. Assim que a postarem lá no Portal GT.

Tarumã no calendário

CASCAVEL – Não chega a ser lá a maior novidade da temporada, mas a organização do Audi DTCC transferiu para o Autódromo Internacional de Tarumã as provas da terceira etapa da temporada, no dia 19 de maio.

A etapa de Interlagos teve vitórias de Elias Júnior e Marçal Melo. Na de Brasília, ganharam Elias Júnior – líder do campeonato – e Felipe Gama.

Estarei em Tarumã, narrando as duas corridas para a Rede TV!. Não narro nada em Tarumã desde, acho, a locução de arena na segunda etapa da Pick-up Racing de 2004, que o João Campos ganhou 0s196 à frente do Marcel Wolfart. Estive lá pela última vez em 2007, numa etapa da Stock Car marcada pela falta de energia elétrica da sexta-feira.

Vai ser bom voltar a Viamão. Uma visitinha ao Barranco não está descartada, se a agenda permitir.