"Carros de Insegurança"

Ainda na onda das suítes sobre a cacetada de Juan Pablo Montoya nas 500 Milhas de Daytona, segunda-feira à noite, o site do Fox Sports pôs no ar há pouco um levantamento muito bem sacado de acidentes em provas automobilísticas envolvendo o safety car.

Não pedi licença a ninguém do Fox Sports e, por conta própria, tomei a liberdade de reproduzir o levantamento aqui no blog. A publicação original do site é essa aqui.

TOP 5: ACIDENTES COM SAFETY CAR
Conheça os “Carros de Insegurança”

O acidente de Montoya em Daytona ficou marcado pelo envolvimento de um carro de apoio. Confira outros momentos

Juan Pablo Montoya protagonizou um acidente de grandes proporções durante a primeira corrida da Sprint Cup da Nascar, em Daytona, nesta segunda-feira (27 de fevereiro). Com a prova interrompida, o ex-piloto da Fórmula 1 perdeu o controle do carro e acertou um caminhão que recolhia detritos da pista. Com a batida, o combustível do veículo de segurança pegou fogo. Montoya não saiu ferido, mas teve o capacete danificado pelo fogo. Assista ao vídeo.

Esse não foi o primeiro – e provavelmente nem o último – acidente com carros de segurança. O site do FOX Sports relembra outros acidentes (nenhum fatal):

Era para sair?
Logo no começo das seis horas de Castellet, pela Le Mans Series em 2011, um momento bizarro. O carro de segurança não retornou ao pit e a direção de prova autorizou a largada. Os primeiros carros do grid chegaram a acelerar, mas ao verem o carro ainda na pista diminuíram a velocidade. O pelotão de trás não enxergou e o resultado não podia ser outro, um engavetamento causado pelo Safety Car.

Quem bate atrás é culpado
Bem antes de ser anunciado como conselheiro da Williams em 2012, Alex Wurz protagonizou uma cena estranha enquanto corria na Fórmula 3 Alemã, em 1994. Durante a prova de Avus, o líder Wurz achou que era bom passar o Safety Car antes de contornar a curva. Até era uma boa ideia, mas mal sabia ele que o carro de segurança já estava saindo da pista e não iria frear tão cedo.

Ele não vai ganhar
Durante a segunda prova do Mundial de Carros de Turismo (WTCC) de 2009, na França, o piloto do Safety Car recebeu a ordem para entrar na pista, mas não esperou o melhor momento. Com uma entrada estabanada, o carro de segurança decidiu que Franz Engsler, que liderava a prova, não iria ganhar nesse dia. Engsler tentou, mas nada pôde fazer para evitar o acidente.

Por favor, fecha a porta?
Nem mesmo a Fórmula 1 ficou fora das barbeiragens dos carros de segurança. Durante o aquecimento para a prova de Interlagos de 2002, Enrique Bernoldi, que corria na Arrows, bateu forte na saída do “S” do Senna. O Safety Car parou para socorrer o piloto. Nick Heidfeld, da Sauber, não conseguiu desviar e levou a porta do carro de presente.

Posando para a foto
Faz tempo, mas merece ser lembrado. No ano de 1971, durante as 500 Milhas de Indianapolis, pela Fórmula Indy, os fotógrafos levaram um susto. O piloto do Carro de Segurança, Eldon Palmeri, tinha colocado um cone para marcar o ponto de freada dentro do pit. Alguém tirou o cone sem avisar ao piloto que freou tarde e perdeu o controle. O carro foi parar no espaço construído para os fotógrafos.

Agora, os ingressos

NOVA SANTA RITA – Então, vamos lá. Sem muitas delongas, uma PromoBLuc valendo três pares de ingressos, um para cada participante contemplado, para o GP Petrobras, primeira etapa dos campeonatos Sul-Americano e Brasileiro da Fórmula Truck.

Para participar da brincadeira, além de seguir o meu perfil no Twitter, o participante tem de postar a seguinte frase, devidamente acompanhada do link e da hashtag indicados:

A temporada da @Formula_Truck começa neste domingo com o GP Petrobras, no @Velopark. http://kingo.to/10Db @lucmonteiro #PromoBLuc

Vou fazer o sorteio amanhã à noite. Um retuíte é suficiente, até porque, pelo que me consta, o site Sorteie.me, ferramenta que usamos para definir vencedores de promoções nesse formato, identifica como algo parecido com spam a postagem repetida por um mesmo usuário.

A programação do evento no Velopark está no site da Truck e a corrida de domingo, com largada às 13h05, terá transmissão ao vivo pela Band, em HD.

ATUALIZANDO EM 2 DE MARÇO, ÀS 8h56:
Como não fiz o sorteio ontem, como combinado, ele sai hoje. Já estão aqui comigo os três pares de ingressos e, detalhe que eu tinha esquecido: cada ingresso vem acompanhado de um boné bordado da Fórmula Truck alusivo ao patrocinador da etapa, no caso a Petrobras. O sorteio sai entre as cinco e as seis da tarde de hoje, sem falta.

Jaque e César levam prêmio vip da Truck

NOVA SANTA RITA – Dei trabalho aos amigos da internet na primeira PromoBLuc do ano, que valeu credenciais vip para o GP Petrobras, primeira etapa da temporada da Fórmula Truck, que vai movimentar o Velopark no fim de semana.

A brincadeira foi lançada quase duas semanas atrás, e dois dos participantes que respondessem corretamente a pelo menos oito das dez questões propostas concorreriam a pares de credenciais vip. Ocorre que só dois dos dezenas de participantes atingiram esse número. Jaque F. Lubianca e César Magalhães avançaram à segunda fase, cumprindo o número mínimo de acertos. Logo, dispensamos a segunda fase da promoção e os pares de credenciais são deles dois.

Na verdade, foram três e-mails classificados. Mas um deles, com nove acertos, foi do Aldo Pastore, que é da casa – é ninguém menos que o capitão da Cronomap, que presta serviços de cronometragem à Fórmula Truck. Participou da gincana por farra e, por motivos óbvios, abriu mão do prêmio. Ontem, quando terminou o prazo para participação, acrescentei lá mesmo, no post do dia 17 que propôs a brincadeira, as respostas corretas às dez questões, todas ambientadas nas dez últimas corridas de Fórmula Truck disputadas no Rio Grande do Sul.

Pela brincadeira proposta, outros três acertadores seriam contemplados com pares de ingressos de arquibancada para a corrida de domingo. Não houve mais acertadores. Quanto aos ingressos, pois, vou propor alguma outra coisa lá no Twitter, desta vez sem que ninguém precise pesquisar nada para concorrer.

Cascavel no Mundial

E foi o Rodrigo Mattar, em seu blog “A mil por hora”, quem deu a notícia em primeira mão: Jaime Melo Júnior, piloto que saiu cá das bandas de Cascavel para fazer sucesso no automobilismo mundial, está confirmado no Mundial de Endurance.

Depois de cinco temporadas de vínculo com a Risi Competizione, pela qual priorizou desde 2007 a American Le Mans Series enquanto cumpria atuações esporádicas em competições europeias, “Negão” vai disputar o WEC pela Luxury Racing, conforme o próprio Mattar já havia arriscado num recente papo nosso.

É pilotando carros de corrida da Ferrari que Jaime, hoje com 31 anos, ganha a vida desde 2004 – em 2006, defendendo a italiana AF Corse, foi campeão do Mundial FIA, pela categoria GT2.

Aproveitando a dica que o próprio Rodrigo deu no blog dele, resgato aqui um dos momentos mais interessantes da longa carreira de Jaime nas pistas. Foi na volta final das 12 Horas de Sebring de 2007, primeira etapa da ALMS. Ele com a Ferrari da Risi, Jörg Bergmeister com o Porsche da Flying Lizard. Uma disputa frenética nos instantes decisivos. Vale ver:


Rodrigo Mattar é o jornalista que mais entende de endurance no mundo, disparado. Só não entende nada é de futebol.

Nelson, sem papas

O vídeo caiu na rede agora há pouco, pelo Twitter, chamou-se atenção para a aparência do então garoto Celso Miranda. “Faz um tempinho e alguns quilos”, reconheceu o próprio Celso.

Entrevista de 1994, dada pelo Nelson Piquet ao “Roda Viva”. Ouvir o Nelsão falando, por mais conhecido e batido que seja o enredo, é sempre uma aula de espontaneidade.


Abrindo o vídeo na página do YouTube, e está aqui, você encontra ícones para todas as partes da entrevista. Vale a pena.

A epopeia de Rubens

Aí que o Rubens Barrichello convocou uma entrevista coletiva para o fim da manhã de quinta-feira, em São Paulo. Não vou conseguir acompanhar, mesmo com as facilidades da nossa época, vou estar a caminho de Foz do Iguaçu pra de lá começar a minha jornada de corridas da nova temporada.

Todos sabem, é o que concluo, o que será anunciado na coletiva: seu acordo com a KV Racing Technology para disputar a temporada da Fórmula Indy, que começa daqui a quase quatro semanas na Flórida. Desde que foi surpreendido com a perda da vaga na Fórmula 1, há 43 dias, Rubens tratou de respirar fundo e aproveitar o que lhe surgisse à frente. A oportunidade de testes em Sebring e Sonoma com o novo carro da Indy foi costurada por seu amigo-de-fé-irmão-camarada Tony Kanaan, a história já foi contada, recontada e requentada um zilhão de vezes. Não sei se há mais testes agendados.

Rubens vai anunciar que corre o campeonato todo pela KV, é o que se sabe. Dá pra confiar? Apesar da certeza absoluta que qualquer cone de pista tem a respeito, tenho lá as minhas ressalvas. Beirando os 40, com a vida ganha, a família e a fama pra curtir, em que pese sua inegável paixão pelo automobilismo, não descarto que nosso ilustre corintiano tenha reservado uma surpresa para abrir – ou acabar com – o apetite de todos momentos antes do almoço de quinta. Caraminholas da minha cabeça, que fico alimentando por minha conta e risco com base em detalhes que só devem chamar a minha atenção e de mais ninguém.

Costumo ser sempre contra a corrente em vigor e, diante disso, arrisco meu pitaco pra não dividir o prêmio do bolão com mais ninguém: na coletiva de daqui a 50 horas, Rubens vai descrever a experiência que teve em seus testes com o carro do Tony, definindo-a como um dos momentos mais divertidos de sua carreira, frisar o clima bonachão da categoria, a receptividade de Jimmy Vasser e seus asseclas, falar das boas impressões que teve do carro, e que o mundo da Indy é bem diferente do da Fórmula 1, sem recitar méritos ou deméritos.

Mais, vai revelar que tinha, sim, um contrato em mãos pronto para ser assinado, reiterar que está à disposição da equipe para alguma eventualidade do futuro – tendência total à SP Indy 300, no fim de abril –, deixar no ar a possibilidade de correr as 500 Milhas de Indianápolis pela primeira vez e confirmar que não, não vai participar do campeonato. Foi bom enquanto durou, e tudo mais, mas fica pra próxima.

Às vezes acerto alguns palpites. Esse é um, sujeito aos teoremas do copo meio vazio e meio cheio. Anotem-no, pois.

Wacky Races

Dois momentos históricos na já bastante histórica edição de 2012 das 500 Milhas de Daytona da Nascar. Um, o acidente quase inacreditável do gorducho Juan Pablo Montoya, que tinha minha torcida embora estivesse bem mal na corrida – havia acabado de pôr quatro pneus novos quando bateu, a 40 voltas do término previsto. O acidente:


Outro, o tweet do piloto Brad Keselowski, postado às 21h59 locais, 23h59 de Brasília. “Fogo! A minha visão”, escreveu o piloto, de dentro do carro, anexando à mensagem a foto aí de baixo.

É quase meia-noite e meia, a remoção do jet-dryer danificou o asfalto, a corrida não deve ser retomada – já foi adiada de domingo, por causa da chuva… – e a vitória, tudo indica, vai ficar com o azarão Dave Blaney.

ATUALIZANDO EM 28 DE FEVEREIRO, ÀS 9h29:
E não é que depois de eu ver o fim do “Homem Aranha 3” com o Luc Jr. e ir dormir a corrida foi retomada? Vitória de Matt Kenseth, a segunda dele, conforme o Felipe Giacomelli descreve no Grande Prêmio.