Aos amigos e inimigos…

Não pelo momento delicado que vive, e quem o conhece há de concordar, mas é pertinente afirmar que Zoião é uma figura singular. Nunca viveu abastado, sempre uma pessoa de poucos recursos, mas dono de uma capacidade imensa de buscar o bem-estar dos que o rodeiam.

Suas gírias, seu português falho – propositadamente, muitas vezes -, sua irreverência e o tino para reagir com tiradas divertidas às mais variadas situações fizeram de Zoião um personagem quase folclórico do jornalismo no automobilismo de competição do Brasil. E, aqui, são dispensáveis considerações sobre o talento profissional.

Zoião é autêntico. A ponto de, poucas horas depois de viver o maior drama de sua vida – duas complexas cirurgias cardíacas, intercaladas por um miserável intervalo de quatro horas -, estar distribuindo sorrisos. Faltava pouco para o almoço de hoje quando gravou um vídeo, pela terceira vez desde que foi internado, a primeira como frequentador da UTI. A imagem tem pouca qualidade, claro, foi produzida por um telefone celular. Mas a mensagem é rica, considerando-se ter como fonte alguém que tinha a vida por um fio há poucas horas.

Dentro das limitações físicas que a doença, o tratamento e as cirurgias consecutivas impuseram-lhe, falou, brincou, fez piada, repetiu que não iria citar nomes para não incorrer em inevitáveis omissões e deixou seu abraço “para os amigos e para os inimigos”.

Zoião tem, também, uma capacidade que impressiona para tirar energia de fontes esgotadas. Vai longe, ainda. Sorte nossa.

Do hospital, o primeiro susto

Da UTI do Hospital Salete, veio o primeiro susto. Passava um pouco da meia-noite quando recebi telefonema. Era Sueli, esposa do Clóvis Grelak, que acompanha de muito perto todo o processo que levou Vanderley Soares, o Zoião, a uma cirurgia cardíaca de quase cinco horas ontem. Temi pelo pior, claro, Sueli não teria motivo para me ligar àquela hora.

Interrompi o showzinho que estava fazendo no Pantanero Bar com Juli, minha esposa e parceira de cantoria. Aproveitei a presença de Wilson & Osmar, dupla da cidade de Nova Aurora, e escalei-os para tocarem uma seleção enquanto fui lá fora retornar a ligação. Sueli estava nitidamente nervosa. Zoião estava, de novo, no centro cirúrgico.

A convocação de uma cirurgia de emergência por volta das 10 da noite, coisa de cinco horas depois do delicado procedimento de ontem, denotava a gravidade da situação. Não entendi direito, mas parece-me que os familiares de Zoião foram chamados ao hospital. Clóvis já estava lá também, Sueli estava a caminho. Retomei meu palco. Temi pelo pior.

Cada número do repertório musical, dali por diante, saiu da boca pra fora. A cabeça estava na UTI do Salete. Apresentação encerrada, fui para fora de novo. Chamei Clóvis ao celular. Já estava em casa, descansando. Disse-me que voltaria ao hospital hoje de manhã. Fui dormir por volta das 3h, temendo por alguma coisa. Já não era pelo pior, acho.

Hoje cedo, as informações a respeito do problema tornaram-se um tanto mais claras. Zoião sofreu uma hemorragia interna. O sangue não coagulava e foi necessária uma nova intervenção. De peito aberto novamente, teve o sangramento reduzido a níveis razoáveis, sob expectativa de normalização nas horas seguintes.

No que diz respeito aos ritos cirúrgicos, atesta novamente a equipe médica, o pior já passou. Um dos fatores que torna a situação ainda mais delicada do que normalmente seria é o fato da endocardite infecciosa, doença que o levou ao leito hospitalar, ter comprometido em nível considerável o funcionamento dos rins. E os rins serão um tanto sacrificados com a forte medicação que lhe terá de ser ministrada.

Zoião tomará doses de fortes antibióticos para evitar que a infecção, ainda não debelada, comprometa as próteses de válvulas que lhe foram implantadas no coração. Os rins serão um tanto sacrificados no processo todo, o que vai acarretar a necessidade de um período de hemodiálises até retomem o funcionamento normal.

De momento, os médicos seguem atentos às eventuais complicações sempre passíveis das primeiras 24 horas de um pós-operatório. Mesmo sedado, Zoião foi acordado pelos médicos às 8 horas da manhã. Está confuso e atordoado, obviamente. Sabe que foi operado novamente. E deverá estar acordado novamente ainda antes do almoço. Conversará com a esposa Ana Maria e com Clóvis.

Situação bastante delicada. Mas já não temo pelo pior.

Preços e taxas do Brasileiros de Marcas

Reunião da diretoria do Automóvel Clube de Cascavel na noite de ontem serviu, dentre outras coisas, para definir algumas taxas e detalhes para o Brasileiro de Marcas & Pilotos, que vai acontecer por aqui, no Autódromo Internacional Zilmar Beux, daqui a duas semanas.

A taxa de inscrição para a disputa das quatro corridas que vão compor o campeonato, duas no dia 14 e duas no dia 15, será de R$ 750. Os pneus Pirelli P400 serão fornecidos no autódromo, com preço de R$ 120 por unidade. Haverá, no autódromo, estrutura conratada, a da Campneus, para montagem e desmontagem dos pneus e balanceamento de rodas, a custo de R$ 5 por unidade. O litro do álcool combustível, que deverá ser fornecido pelo Auto Posto Maçarico, custará R$ 2.

Os valores são extremamente convidativos para os padrões praticados no automobilismo brasileiro. Podem ser encarados como uma demonstração das boas intenções do automobilismo cascavelense, que trabalha para voltar ao cenário nacional.

O regulamento técnico do Brasileiro, disponível no site da Confederação Brasileira – está nesse link aqui -, determina, no item 4.17.5, reza que o sistema de injeção eletrônica dos carros seja original, sendo admitido retrabalho no Epron. É permitido aos pilotos, também, o uso dos sistemas “Digitronic, HIS, Full Tec (leia-se Fuel Tech) e Pandoo”. Aqui reside uma das broncas dos pilotos de Cascavel que planejam disputar o Brasileiro.

Vários deles utilizam e avalizam, no Campeonato Metropolitano, o sistema Injeforce, desenvolvido na cidade pelo time de profissionais liderado por Carlos Ansbach. A Injeforce está vetada. Consta que Paulo Vessaro, com Fiat Palio, Ingmar Biberg, com Renault Clio, Luiz Fernando Pielak, com Ford Ka, Cleves Formentão, com VW Gol, e Wanderley Faust, com GM Corsa Sedan, estão entre os adeptos da Injeforce. Eles cobram de Rubens Gatti, presidente da Federação Paranaense de Automobilismo e que tem atuado como porta-voz da CBA aos envolvidos com o campeonato do meio de novembro, algo que justifique o veto, já reafirmado por ele próprio.

Não acho que a CBA deva, ou vá, mudar qualquer coisa no regulamento a essa altura do campeonato. Mas uma explicação coerente, no mínimo, seria bem-vinda.

Zoião, o "peito de aço", vence mais uma

Transcorreu tudo bem, enfim, com a cirurgia cardíaca a que Vanderley Soares, e nosso Zoião, foi submetido hoje, no Hospital Nossa Senhora da Salete, em Cascavel. Foram quase cinco horas de intervenção, para colocação de próteses metálicas de duas válvulas, conforme descrevi ontem nesse post aqui.

E os médicos que o operaram seguem atentos ao risco de mais sangramento nas 24 horas seguintes à intervenção cirúrgica. Há risco, também, da infecção – que não foi completamente debelada – comprometer as válvulas metálicas implantadas em substituição à bicúspide e à aórtica. Caso isso ocorra, relata Ana Maria, pode ser necessária uma nova substituição.

Zoião ficará por mais três dias na UTI, antes de ser reacomodado no quarto, onde deverá permanecer por cerca de uma semana. Os médicos admitem, também, o risco do fotógrafo ter de se submeter a diálises periódicas por algum tempo após a alta médica. Trocando em miúdos, sua recuperação será certamente causticante, mas o pior já passou.

Ana Maria esteve com Zoião hoje cedo, momentos antes da angustiante ida para o centro cirúrgico. Grato pelas manifestações que todos nós recebemos, principalmente de seus companheiros de automobilismo, pediu-lhe que me enviasse, para publicação aqui no BLuc, a última foto que ele tirou, já no hospital, com a filha Mariana, de sete meses. Claro, Zóio, claro. Deixa a Ana respirar aliviada e chegar em casa, ela me manda a foto por e-mail. Vai ser a imagem que terei publicado com mais orgulho.

Em nome de todos os amigos e colegas de Zoião, deixo cá cumprimentos e agradecimentos sinceros aos cirurgiões cardíacos Luciano Augusto Leitão, José Dantas Lima Júnior e Rainielli Pitol, que tiveram sua vida nas mãos e dela cuidaram muito bem.

E bola pra frente! Não é a primeira vez que Zoião dribla uma adversidade e se dá bem. Nem a última.

(Atualizando em 29 de outubro, às 19h41)
E a pedido do Zoião, tá aí, a foto dele com a Marianinha. Cada qual à sua maneira, dois exemplos de nova vida.

Hoje, a nossa estreia

Em meio à correria da agenda do automobilismo, sempre reservo um tempinho para uma cantoria. Um karaokê, uma roda de viola, um festival de música – desses, calculo já participado de aproximadamente 90, em mais de 30 cidades aqui da região.

Cantar, como se pode ver no perfil aí do lado, é o meu esporte. Música sertaneja, sempre. Juliane, minha esposa, é adepta, também. Até gosta um pouco mais de alguns outros estilos. Já atuou como vocalista em algumas bandas, inclusive.

Nas noitadas, em casa, nos botecos, nós dois sempre arriscamos algumas modas, como dizem. E, numa dessas noitadas, dando uma canja na Noite do Artista do Pantanero Bar, acabamos convidados pela direção da casa para um show. Dois, na verdade. O primeiro, hoje; o outro, já confirmado para dia 19 do mês que vem.

Em quase 20 anos pitaqueando na área, é a primeira vez que vou rasgar a goela na noite sob contrato. Friozinha na barriga, coisas do gênero? Sei lá. É bem provável que não. O que mudou, apenas, é que faz alguns dias que estamos, Juli e eu, empenhados em preparar um bom repertório para quem for hoje ao Pantanero Bar. Serão três horas e meia de música sertaneja, foi o que combinamos. E a Juli passa a ser parceira minha, também, no trabalho musical. Antes mesmo de encarar a clientela, já estamos armando mais e mais apresentações.

O show não pode parar, diria alguém, embora nem tenha começado ainda. Assim, pelo que temos conversado à boca pequena com algumas pessoas que são do meio, nasce para valer a dupla Luc & Juli. Talvez merecêssemos um nome mais elaborado, mas sempre escrevemos “Luc e Juli” nos papeizinhos que mandamos para o rapaz que seleciona as apresentações no bar de karaokê. É assim que nossos amigos nos chamam, Luc e Juli.

E a Stela Giordani, lá do jornal O Paraná, deu uma força. Publicou essa matéria aqui, na página 6 do caderno de Variedades que ela edita. O mesmo para o qual escrevi a pedido dela, enquanto trabalhei lá dentro, textos sobre tantos artistas daqui e de fora.

Enfim, a confusão está feita. Estaremos lá à noite, Juli e eu, literalmente fazendo o nosso barulho e esperando os nossos amigos que apreciam o estilo. Não sei exatamente por quê, mas estou contente por isso.

Stock Car continua na Globo em 2010

Houve muita especulação nos últimos dias, em trocas de mensagens pelo Twitter, inclusive, sobre a possibilidade da Stock Car passar a ter suas corridas transmitidas por outra emissora a partir de 2010. Um assunto fomentado principalmente por jornalistas e telespectadores que assumidamente reprovam o formato e os costumes da Rede Globo.

As pessoas acabam reprovando e ridicularizando – injustamente, em alguns casos – o trabalho da Globo. Dá-se muita importância ao fato de Cacá Bueno, um dos principais nomes da Stock Car, ter atenção especial da emissora em que Galvão, seu pai, é o narrador principal – e com direito a voto, segundo juram alguns. O apelido “Fórmula Cacá Bueno”, que Antonio Pizzonia lançou via Twitter durante os treinos da etapa de Salvador, pegou.

Eu mesmo já havia ouvido, no box de algum autódromo, que a Stock poderia mudar de tela. No microblog, houve quem dissesse ter ouvido que a Vicar, dona da categoria, estaria fechando com o SBT – o que não teria o mínimo cabimento, visto o fiasco que foi o envolvimento da rede de Sílvio Santos com o automobilismo nos tempos da Fórmula Mundial. Também houve alegações de que o contrato da categoria com a Record estaria em vias de ser assinado. Alguém já me tinha dito que a nova casa da categoria seria a emissora do bispo.

Mas não, não muda. A Stock continua na Globo em 2010, não teria motivo para mudar. Não se mexe em time que está ganhando, alegará alguém.

Quem confirmou a manutenção da parceria, e não imagino que isso seja segredo de estado para ninguém, foi Jorge Guirado, diretor da Master TV, empresa responsável pela geração de imagens da Stock Car e de praticamente todas as competições automobilísticas do Brasil.

Guirado debochou dos comentários que leu no Twitter e informou que a Vicar fará na semana que vem o lançamento do plano comercial de 2010 na parceria com a emissora do plim-plim. “Renovaram com a Globo”, afirmou, revelando que Carlos Col, mandachuva da categoria, negocia com Bandsports e Record News a exibição das provas da Copa Vicar – embora a classe de acesso possa nem existir mais, o que é um outro assunto, inclusive já tratado aqui.

Jorjão não é de se meter em falatórios. Só se manifesta quando tem certeza.

Zoião será operado nesta quinta

A equipe médica que atende Vanderley Soares, o nosso Zoião, aproveitou a presença de familiares e amigos durante o horário de visita, há pouco, para uma reunião com todos no Hospital Nossa Senhora da Salete, em Cascavel. Com o próprio Zoião, inclusive, que está internado há 20 dias por conta dos efeitos de uma endocardite infecciosa. O motivo da reunião: a gravidade de seu quadro clínico.

Há dois dias, por conta de novas complicações, conforme informei aqui, os cardiologistas decidiram adiar o procedimento cirúrgico, que estava previsto para o início da próxima semana. A nova previsão, anunciada na segunda-feira, era de que a cirurgia para troca da válvula bicúspide, cuja infecção levou-o ao leito hospitalar, acontecesse dentro de mais duas semanas.

Contudo, hoje, os planos foram alterados mais uma vez e Zoião será submetido à cirurgia já nesta quinta-feira, dia 29. A inflamação da bicúspide, ou mitral, até vem diminuindo. Deveria diminuir mais nos próximos dias, era o que os médicos esperavam para operá-lo sob condições clínicas mais indicadas. Contudo, além dos efeitos colaterais do tratamento, que lhe atingiram um rim, a inflamação alastrou-se para a válvula aórtica. As duas válvulas terão de ser substituídas por próteses metálicas.

A equipe comandada pelos cirurgiões cardíacos Luciano Augusto Leitão, José Dantas Lima Júnior e Rainielli Pitol iniciará a cirurgia às 13h. A previsão é de duração de quatro horas para o procedimento. A expectativa dos médicos, obviamente, é positiva. Mas todos deixaram muito claro, na minirreunião de poucos momentos atrás, que é um procedimento de risco considerável. Não há outra saída.

Os médicos vão relatar suas impressões e expectativas à família por volta das 17h30. Nesse horário, vou repassar por aqui, aos amigos, todas as informações a que tiver acesso. Abro minha contagem regressiva particular para que, em pouco mais de 24 horas, possa estar compartilhando com amigos e colegas – as duas coisas, em grande parte dos casos – boas e aliviadoras notícias.

Estive ontem com Zoião, no jardim do Hospital Salete. Como sempre foi sua marca registrada, sua tentativa era a de demonstrar descontração e bom humor, apesar de não conseguir esconder quão debilitados estão seu organismo e seus pensamentos com o momento difícil que tem vivido. Reação que ele também demonstrou nos dois pequenos vídeos que gravou no hospital para as inúmeras pessoas que têm se dirigido a nós, cá de Cascavel que estamos mais próximos dele, em busca de informações ou para endereçar-lhe bons votos. Os vídeos estão aqui e aqui, foram feitos nos dias 13 e 21 deste mês.

Por ora, resta a cada um de nós, amigos de Zoião, direcionar-lhe tantas energias positivas quanto possível. E também aos doutores que terão sua vida nas mãos.